Natação para bebês

Faz tempo que eu estava querendo escrever esse post e agora, finalmente, consegui parar para contar um pouco sobre as aulas de natação do Serginho! Quem me conhece sabe que eu amooo nadar e onde tem piscina ou mar eu tô lá dentro (risos).

Quando o Serginho completou um ano comecei a levá-lo na aulinha de natação para bebês. Já faz seis meses e a cada dia que passa ele está mais adaptado com a piscina. Ele gosta tanto que não quer sair da água kkk (quem será que ele puxou??).

Até ele fazer dois anos de idade as aulas podem ser junto comigo (um momento muito gostoso para curtir entre mãe e filho!), já que depois de dois anos as crianças entram sozinhas na piscina com os professores.

Pensando nas nossas mamães leitoras que estão na dúvida se devem ou não levar seus bebês para a natação, conversei com a professora do Serginho, a querida Mara Guilherme, educadora física da Academia PH5 Fit, de São Paulo, que esclareceu tudo sobre o tema. Veja que bacana!

aula
Serginho com a prô Mara e os coleguinhas

Quem pode fazer
A natação é indicada para bebês a partir de seis meses e até dois anos. As aulas são sempre feitas com o auxílio de um adulto responsável, geralmente o pai ou a mãe. Após dois anos, a criança passa a fazer a aula sozinha com um professor.

O que o bebê aprende
Segundo a educadora física Mara Guilherme os primeiros aprendizados são a socialização e o reconhecimento do ambiente. “O bebê vai aprender a ambientação e adaptação ao meio líquido e das vias sensoriais”, diz. Ela explica que conforme a maturidade do bebê ele vai fazer as atividades na água, por exemplo, sentado, de pé ou andando. A natação também estimula bastante o equilíbrio porque o bebê senta na borda da piscina, no colchão, engatinha, fica de pé e faz mergulhos.

Esse quadrinho ilustra as primeiras etapas:

niveispedagogicos

Fonte: Academia PH5 Fit

Como ocorre a adaptação
As aulas são cantadas com músicas infantis e atividades em roda, assim os bebês vão se acostumando com a água e com os coleguinhas. “Às vezes tem uma criança chorando e ao ver outro bebê feliz acaba parando naturalmente com o chorinho. Repetimos sempre as músicas e os movimentos, por exemplo, para bater as perninhas, mexer as mãos ou fazer bolhinhas. Assim eles vão se acalmando e se familiarizando mais com a água, associando as músicas aos movimentos”, conta Mara. Ela também lembra que é importante que o acompanhante do bebê não tenha medo de água porque se os pais têm medo passam isso para a criança e prejudicam a adaptação.

Cuidados com os bebês
Alguns cuidados são importantes para prevenir contratempos como colocar sempre uma fralda de piscina no bebê e cobri-lo com um roupão na saída da piscina para evitar friagem antes do banho. Se o bebê estiver doentinho, com febre, não é aconselhável levá-lo na aula.

Porque é legal nadar

São inúmeros os benefícios da aula de natação para bebês. A começar pelo contato afetivo entre mãe e filho, além da socialização com outras crianças e familiarização com a água. “Os bebês se movimentam bastante na água, trabalhando todos os músculos, as articulações e a parte cardiopulmonar. Aprendem o bloqueio respiratório via boca e nariz. Aos poucos aprendem a mergulhar, começam a segurar o ar debaixo d’água e a soltar bolinhas”, explica Mara.

O objetivo é que ao completar dois anos a criança tenha mais independência, aprenda a se deslocar nas plataformas, fique sentada na borda (sem se jogar!) e obedeça as orientações do professor. Mara também lembra que o legal de ter um bebê na natação é se divertir com ele, criando o hábito da criança gostar da água. “São crianças que já estão praticando e gostando de um esporte”, diz.

Como escolher a melhor escolinha
Ao visitar a escolinha de natação, vale dar uma olhada nos seguintes pontos:

  • Verifique qual é a estrutura da academia. Veja se o vestiário tem um espaço adequado para dar banho e trocar o bebê após a aula, por exemplo, com banheira e trocador.
  • Observe se a academia tem pelo menos duas piscinas, uma exclusiva para crianças, e qual a temperatura. Geralmente a piscina infantil deve estar um ou dois graus mais quente que a de adulto. (A temperatura média na piscina que o Serginho frequenta é 31 graus).
  • Pergunte qual é o tempo de duração da aula e quantas vezes por semana. Geralmente a aula para bebês tem um tempo reduzido de 30 minutos justamente porque após esse tempo a temperatura do corpo esfria, além disso, os bebês começam a ficar mais dispersos. O ideal são duas aulas por semana.
  • Veja quantos alunos são permitidos por aula. Dependendo do tamanho da piscina, o ideal é que a aula de bebês tenha até 12 alunos para cada professor.
  • Observe se os professores possuem formação adequada na área de educação física e se estão preparados para dar aula para bebês. (Na escolinha do Serginho os professores possuem cursos específicos de aulas para bebês e utilizam a metodologia Gustavo Borges)
IMG_6376
Muito bom curtir esse momento com meu pequeno

Queridas, espero que tenham gostado da dica e das informações. E se vocês forem levar seus pequenos para a aula de natação, aproveitem bastante!

Ah e olha aí meu peixinho nadando com a prô (risos)

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

PS: Depois que escrevi esse post acabei iniciando a adaptação do Serginho para o próximo estágio que é a aula sozinho com os professores e amiguinhos. Por enquanto ele está sofrendo com a ansiedade de separação, já que eu não entro junto na piscina… Depois conto como foi!

Fotos: Mamãe Prática

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta