menino com cachorro

10 perguntas que você precisa fazer antes de adotar um pet

Olá meninas! Ter um animal de estimação é tudo de bom! Sou mãe também de quatro gatos e durante toda a minha infância convivi de perto com diferentes bichos, por isso, fico feliz de ver meu filho crescer com nossos peludos. Sempre tento ensiná-lo sobre a importância de adotar um pet, cuidar dos animais, dar carinho, proteger, alimentar e, principalmente, não sair correndo e gritando atrás deles (o que para uma criança de três anos não é tão simples de entender…).

Talvez você concorde comigo que existem inúmeros benefícios de se ter um pet. Eles mandam embora a nossa solidão (a casa está sempre alegre, com vida!), são carinhosos e nos ensinam muito sobre amizade e companheirismo. Ao mesmo tempo, estimulam que as crianças aprendam sobre responsabilidade, paciência, tolerância e respeito, além da brincadeira. Mas é importante lembrar que ter um animal de estimação exige muita dedicação da nossa parte!

Quando chega a época de datas comemorativas como o Dia das Crianças e o Natal é comum a gente ouvir pessoas dizendo que darão um cachorro ou gato para o filho como presente. Muitas vezes essa atitude, de forma impulsiva, acaba se tornando frustrada quando a família tem dificuldade para se adaptar com o pet ou percebe que precisará gastar uma boa quantia para manter e cuidar do animalzinho. Infelizmente, não é à toa que existem tantos animais abandonados.

É por isso tudo que eu te digo: não dê um pet como presente para o seu filho!

Primeiro porque animal de estimação não é um brinquedo, mas sim uma vida que merece respeito, demanda cuidados e atenção.  Isso não significa que você não deve levar para casa um pet, ao contrário, eu espero que um dia você tenha sim um companheiro peludo na sua casa, mas que essa decisão seja tomada de forma consciente!

Posse responsável, já ouviu falar?

Pensando nisso, quero falar para você sobre a posse responsável, um conceito que vem crescendo no mundo todo e visa estimular a conscientização das pessoas sobre o que significa ter um animal de companhia.

Conversei sobre este assunto com o médico veterinário Mauro Lantzman, consultor em comportamento animal, professor de psicobiologia da PUC-SP e parceiro da COMAC. “A ideia da posse responsável tem vários pilares e basicamente estão relacionados com respeito pelo bem-estar do animal. A própria palavra ‘proprietário’ tem sido mudada e transformada em ‘tutor’, pois a intenção é que as pessoas estejam mais conscientes de que ao adotar um animal não estão adquirindo um objeto que pode ser descartado ou trocado a qualquer momento”, explica.

Segundo o Dr. Mauro, antes de adquirir um animal de estimação as pessoas precisam refletir sobre diferentes aspectos das necessidades do animal e a convivência que ele terá com a família. “É importante pensar em todas essas coisas para que o animal não seja um peso para você”, destaca Dr. Mauro. Veja 10 pontos e perguntas para se fazer antes de adotar um animal:

  1. Observe a idade do animal e pense no seu ciclo de vida familiar e individual. Tenha em mente que um animal de pequeno porte vive, em média, de 15 a 20 anos, enquanto o de grande porte de 10 a 15 anos. Você pensa em engravidar ou já é mãe? Pense que o cachorro, por exemplo, irá atravessar alguns momentos do seu ciclo familiar como a presença de um bebê em casa, crianças pequenas, adolescentes e por aí vai.
  2. Converse com a família sobre ter um bicho de estimação. Todos concordam? O que pensam sobre isso? Quais serão as responsabilidades de cada um?
  3. Pense na rotina da família e como o pet estará incluído nesse contexto. O animal ficará sozinho o dia todo? Quem vai alimentá-lo e levá-lo para passear? E quando as férias chegarem, quem cuidará do pet? Você está disposto a dedicar parte do seu tempo a ele?
  4. Avalie os custos. Ter um animalzinho envolve gastos com alimentação, higiene, saúde e outros cuidados. Você está disposto e tem condições de arcar com esses valores?
  5. Reflita sobre aspectos relacionados à sua casa. Qual é o tamanho da sua casa? Tem quintal? O cachorro/ gato irá circular por toda a casa? Vai dormir com você?
  6. Pense no próprio cão/ gato a ser escolhido. Quais são as características desejáveis de acordo com a sua rotina, estilo de vida e espaço? O que você está imaginando sobre tamanho, pelo, características de comportamento?
  7. Lembre-se dos aspectos sociais dentro e fora de casa. O cachorro, por exemplo, é um animal social e você deverá oferecer a ele contato social com pessoas e outros animais. Ele vai precisar de muitas atividades, passeios, brincadeiras e interações sociais. Como serão os passeios? Como você vai ajudá-lo nessa socialização?
  8. Pense na responsabilidade coletiva. Ao ter um animal de estimação é importante que você mantenha as vacinas em dia, principalmente contra a raiva, coloque uma coleira de identificação e cuide para que a socialização com outras pessoas e animais seja saudável.
  9. Considere a castração. Muitas pessoas ainda têm a ideia equivocada de que os animais precisam ter relações sexuais e procriar, mas isso certamente contribui para a grande quantidade de animais abandonados. Você está disposto a levar seu pet para castrar?
  10. Não compre, adote! Ao invés de comprar um pet favorecendo o comércio de animais, prefira adotar um animal de estimação. Existe um número enorme de animais abandonados em sofrimento que precisam de ajuda! Vamos lá?

#TerPetFazBem

logotipo Ter Pet Faz Bem

Gostou do tema desse post? Então, aproveito para te contar sobre a Ter Pet Faz Bem que tem um canal exclusivo no Facebook e no Instagram sobre cuidados com a saúde dos pets, novidades e curiosidades do universo dos animais de companhia (cães e gatos). Com o tema #TerPetFazBem, a ação lembra que ter um animal de estimação faz muito bem, desde que você e toda a família assumam a responsabilidade sobre ele!

logotipo COMAC

A Ter Pet Faz Bem é uma iniciativa da COMAC (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), criada em 2007, que visa estruturar um ambiente de intercâmbio de informações e ideias, propondo e executando ações que estimulem o desenvolvimento do mercado pet brasileiro, em especial nas áreas ligadas à saúde animal.

Também aborda temas como os benefícios da relação entre os animais de estimação e o homem, a importância do médico veterinário na prevenção de doenças e na manutenção da saúde dos animais, valorizando a medicina veterinária e seus profissionais.
Espero que essas informações sejam úteis para você e que te ajudem a refletir sobre o tema! Este é um assunto que me identifico muito porque desde que adotei os meus gatos, há mais de quatro anos, tenho lido e pesquisado bastante sobre adoção consciente, cuidados com os animais e comportamento, especialmente dos felinos.

E para finalizar, algumas fotos dos meus amores!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos ajude a levar esse conhecimento a mais pessoas. Compartilhe esse post com seus amigos!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto abertura: Divulgação COMAC

 

Selo de Post Patrocinado

 

22 ideias sobre “10 perguntas que você precisa fazer antes de adotar um pet”

  1. Uma pena que muita gente acaba “adotando” uma animal sem ao menos saber que eles precisam de cuidados especcíficos. E ai o que vemos é muito animal abandonado ou maltratado.

    Adorei essas dicas. São fantásticas e todos que se dispõe a adotar um pet precisariam ler.

    1. Obrigada Ari, realmente é muito animal abandonado e falta mais conscientização sobre o que significa adotar um pet. Beijos, Fabi Fontainha

  2. Aqui filho é apaixonado por animais, todos os tipos inclusive, temos uma calopsita que ganhamos do vovô e uma labradora que comprei quando fui casar e ela é a melhor companhia do Gui e por ele ainda teriamos um gato também.

    Bjs Mi Gobbato @espacodasmamaes

  3. Melissa é doida pra ter um bichinho em casa, mas moro em apartamento, viajo todo final de semana e não consegui encaixar o Pet nesta rotina doida e não quero colocar um animalzinho em casa se não for em condições de ser um lar completo para ele. Ótimo post para conscientizar famílias na responsabilidade de se ter um animal

    1. Que bom Beatriz que você refletiu sobre o tema. Espero que um dia seja mais viável para vocês terem um pet em casa. Beijos, Fabi Fontainha

  4. Achei seu post excelente. Eu adoro cachorro mas não posso ter em casa neste momento. O bichinho precisa de cuidado, atenção carinho e amor. Meu filho vive me pedindo um cachorro e um gato mas já expliquei que por enquanto não. Apesar de achar que a convivência com um bichinho faz muito bem para todo mundo.

    1. Quem sabe um dia, em outro momento, seja possível para vocês terem um animal de estimação. Obrigada pelo comentário! Beijos, Fabi Fontainha

  5. Fabi
    assunto super importante
    Tudo esta tao banalizado e na verdade é muito, muito sério ter um pet.
    O meu esta velhinho e fico pensando se vou querer um outro depois…
    bjs
    Lele

  6. Por aqui temos um gatinho que é a nossa alegria e o pequeno o adora. Mas é isso mesmo, bichinho nao é brinquedo, é uma vida. E criamos nosso Tom como nosso 2º filho. Beijao

  7. Fabi, que maravilhoso seu post. Sempre tive bichos, a vida inteira. Fui daquelas crianças que não podia ver um cãozinho de rua, que lá ia eu carregar para casa! Meus pais sempre me apoiaram, fazíamos lar temporário e arrumávamos um tutor para o bichinho. A condição era ter apenas um bichinho e abrigar temporariamente mais um. Foi assim até eu me casar, quando trouxe comigo minha cadelinha, hoje com seis anos. Há menos de uma semana, num dia chuvoso apareceu um gatinho aqui em casa. Abrigamos o pequeno, sem intenção de adotá-lo, mas costumo dizer que os bichos sabem onde serão amados. Meu filho se apaixonou por ele e deixamos que ele ficasse. Acho que além de responsabilidade é preciso saber realmente se a família está disposta a cuidar daquela nova vida. Agora falei aqui em casa, fechamos o zoo! Temos um gato, um cachorro e um peixe! rs

  8. Adorei o post. Nós temos os nossos pets, eu sempre tive animal de estimação, faz um bem enorme à família, mas é extremamente importante que todos estejam conscientes do tempo, custo e cuidados que o animal demanda e que todos estejam dispostos a retribuir o amor que vão receber.
    beijos
    Chris

Deixe uma resposta