Mentira na infância

Mentira na infância: como lidar com esse comportamento do seu filho

Olá meninas, quando acontece a mentira na infância, seja qual for o motivo, é sempre bom ficarmos atentas e corrigirmos nossos filhos, desde os primeiros anos.

Às vezes, a mentira na infância vem junto com uma inocência, como no caso das crianças de 2 a 4 anos, por exemplo. Mas, segundo a psicóloga infantil Ana Flávia Fernandes, do Terapia de Criança, não podemos deixar que nossos filhos continuem repetindo esse comportamento, pois a mentira na infância pode se tornar uma patologia.

Ela explica: “À medida que a criança mente e não vivencia nenhuma conseqüência negativa associada à sua mentira, ela entende que sua mentira é verdade, isso gera uma satisfação e contribui para que ela continue repetindo esse mesmo comportamento”, explica. Com a palavra, a psicóloga Ana Flávia:

Mentira na infância

Dentro do processo de desenvolvimento das crianças podemos nos deparar com a mentira, um comportamento que se não for cuidado pode se transformar em uma patologia conhecida como mitomania que é a compulsão por mentir.

Experiências de vida, padrão de relacionamento parental, genética e interações sociais são fatores que podem gerar o hábito de mentir. A maioria das crianças vai mentir por medo, baixa auto-estima, necessidade de atenção ou valorização e na tentativa de se proteger de situações constrangedoras.

Por conta da imaturidade neurológica, as crianças têm dificuldade para identificar o que é verdade e o que é fantasia. Então, a partir do momento em que começam a falar, geralmente a partir dos 2 anos, já é possível que a mentira apareça. Lidar com críticas e frustrações também é um grande desafio para elas, que podem mentir para preservar sua auto imagem.

A mentira vai assumir um caráter patológico quando ainda na infância percebemos que a criança responde com uma mentira para qualquer pergunta, por mais simples que seja. Quando as pessoas acreditam em suas histórias, isso gera um sentimento de ser aceita e interessante para os outros e ela passa a contar histórias cada vez mais incríveis.

À medida que a criança mente e não vivencia nenhuma conseqüência negativa associada à sua mentira, ela entende que sua mentira é verdade, isso gera uma satisfação e contribui para que ela continue repetindo esse mesmo comportamento.

Ao percebermos que a criança está contando algo que não corresponde com a realidade é importante entendermos o que a faz pensar daquele jeito, ajudá-la a reconhecer os prejuízos que a mentira pode trazer para ela e para os outros, como por exemplo diminuir a confiança, as pessoas se afastarem, ser excluída dos grupos e ter problemas com a lei.

Assim, ajudamos na construção de novas formas de se relacionar com as pessoas, sem a necessidade de mentir para suprir aquilo que a criança acredita que falta em sua vida.


Mais sobre o tema
A psicóloga Ana Flávia participou do programa Domingo Espetacular, da TV Record, abordando o assunto. Fica a dica para você assistir a reportagem:  Saiba como lidar com as mentiras contadas pelas crianças

Psicóloga Infantil com especialização em Psicodrama, Ana Flávia Fernandes atende as crianças e suas famílias há muitos anos. “Para cuidar bem dos pequenos, também é preciso cuidar dos adultos a sua volta”, explica. Muito querida e atenciosa, ela também nos brinda com a sua sabedoria e experiência clínica no blog Terapia de Criança.

Meninas, o que acharam deste tema sobre mentira na infância? Qual outro tema vocês gostariam que a psicóloga Ana Flávia abordasse na sua coluna? Escreva pra gente para contato@mamaepratica.com.br

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: freeimages.com/annelies Van Dijk

Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta