puerpério

5 dicas práticas para ter um puerpério mais saudável e tranquilo

Olá meninas, hoje vamos falar de um tema super importante para quem está grávida ou vai adotar bebê, principalmente para as mães de primeira viagem: como garantir um puerpério mais tranquilo junto com seu bebê. Eu já contei (aqui) que vivi alguns perrengues quando a minha filha nasceu. Por isso, considero este artigo sobre pós-parto extremamente importante pra você que deseja não passar por alguns apuros depois que tiver seu bebê.

Este artigo maravilhoso foi feito pela querida Larissa Simon especialmente para vocês. Ela vive no Rio Grande do Sul, é mãe de duas meninas lindas, tem formação como fonoaudióloga, doula e há alguns se especializou como consultora materno-infantil, autora do curso online “SOS Pós-parto: como cuidar do bebê e de si para um pós-parto saudável e tranquilo”.

Recomendo MUITO vocês conferirem as dicas da Larissa e colocá-las em prática. Eu gostaria muito de ter conhecido essas orientações antes da minha pequena nascer. Com a palavra, a Larissa:

5 dicas práticas para ter um puerpério mais saudável e tranquilo

O puerpério ou pós-parto é o período que se sucede ao nascimento do bebê caracterizado por importantes mudanças fisiológicas, psíquicas e sociais. Costuma ser um período muito desafiador para a grande maioria das mulheres, pois apesar de ser muito comum vivenciarmos oscilações de humor, introspecção, tristeza e sensação de medo e solidão, a sociedade espera que estejamos felizes, plenas e exultantes, o que aumenta nossa sensação de culpa e inadequação.

Do ponto de vista médico se considera que o puerpério dura em média 6 a 8 semanas após o parto ou até que voltem os ciclos menstruais. Mas do ponto de vista psicológico, emocional, essa duração é muito maior e variável de mulher para mulher, dependendo da sua história de vida, da sua psique, podendo durar até 2 anos ou mais. Mas o período que costuma ser mais desafiador para a mãe e para o bebê são os três primeiros meses, ou pós-parto imediato. E as dicas desse artigo se referem a esse período.

Mas antes de começar com as dicas práticas, deixa eu te contar um pouco de mim e porque eu estudo e trabalho tanto com esse assunto… Eu sou mãe de duas garotas incríveis e tive o privilégio de ter vivenciado dois pós-partos completamente diferentes em minha vida.

Na primeira vez eu li muito, tive o acompanhamento de bons profissionais, apesar de bem tradicionais, e o acolhimento do meu companheiro e familiares. Porém, apesar de ter muita informação, ela não passava pelo crivo da minha intuição, do meu sentir. E as coisas foram muito, muito difíceis… Já na segunda experiência de maternidade tudo foi muito mais fluído e natural. Eu li muito também, mas agora as leituras foram na contramão das “técnicas infalíveis” que eu tinha lido na primeira vez… Eu descobri a humanização do parto, a maternidade consciente e ativa, dentre outras literaturas que me abriram as portas para a vivência de uma maternidade muito mais conectada com a minha essência.

Além das pessoas que amo, também tive o cuidado por parte da minha doula e da minha parteira, que além de serem decisivas no meu parto, também me auxiliaram na vivência de um puerpério simplesmente transformador… A grande diferença dessa vez foi que eu passei a ouvir minha intuição e tudo fez muito sentido! Daí veio o meu desejo, não só de ser uma mãe melhor, mas também de ajudar outras mulheres a enfrentar os desafios do pós-parto com mais vínculo e conexão consigo mesmas e com seus bebês! Então fui me capacitar. Fiz formações de doula, doula pós-parto, educadora perinatal, consultoria em amamentação e transição alimentar e uni tudo isso com os conhecimentos que já tinha da fonoaudiologia, formatando assim minha atuação como Consultora Materno-Infantil.

Tenho dedicado meus dias a compreender as melhores maneiras de preparar e auxiliar as mães nesse lindo e desafiador processo de metamorfose de mulher a mulher-mãe. E posso garantir pra vocês que é possível vivenciar o pós-parto com mais tranquilidade e saúde se pudermos nos preparar para isso e contar com o apoio de familiares e profissionais que sejam acolhedores, amorosos e empáticos.

Dito isso vamos às dicas?!

1. Invista na sua preparação!

Todo evento de grandes proporções merece planejamento e preparação, não é mesmo?! Com a maternidade não poderia ser diferente. Mas lembre de se preparar tanto para as questões práticas quanto para as questões emocionais. De nada adianta ter um lindo enxoval, um quartinho mega organizado, um batalhão de pessoas pra te ajudar se o mais importante, o seu ESPAÇO INTERNO não estiver organizado pra receber o bebê. E isso pode ser feito de diversas maneiras. Cursos preparatórios, terapias, yoga, meditação, participação em rodas de gestantes e puérperas, enfim, cada uma de nós vai encontrar uma ou mais maneiras de se preparar que faça mais sentido para nós.

2. Faça um plano para o puerpério!

Muito tem se falado de plano de parto atualmente, que nada mais é que uma carta que contém suas aspirações com relação aos procedimentos com o parto e as primeiras horas de vida do bebê. Mas é bacana também pensar no planejamento da volta da maternidade ou do nascimento do bebê, no caso de partos domiciliares. Ter por escrito quem vai fazer o que pra te ajudar é bem legal. Converse com cada uma das pessoas que fazem parte da sua rede de apoio explicando suas escolhas e como você espera ser ajudada. Isso é fundamental para evitar conflitos depois que o bebê nascer. Uma ideia bacana é pensar num rodizio de amigas e comadres para te apoiar nos primeiros dias. Mas só chame pessoas que te deixem calma, segura, que não te julguem e que te deixem à vontade para exercer a maternidade do seu jeito, com as suas escolhas.

3. Tenha a geladeira cheia: de comida por dentro e de telefones úteis por fora…

Fazer uma grande compra de mercado nas últimas semanas (com coisas gostosas, saudáveis e nutritivas) é uma excelente maneira de se organizar. Além disso, fazer uma lista de telefones úteis que incluam entrega de comida saudável, farmácia e profissionais como pediatras, doulas pós-parto e consultoras de amamentação também é fundamental para ter tranquilidade nos primeiros dias.

4. Acolha seus sentimentos

Permita-se sentir o que vier à tona! Se precisar chorar, chore! Se precisar desabafar, converse com alguém. Não finja estar feliz se não estiver. Como eu falei no início, é um período desafiador para a grande maioria de nós, se não para todas. Li uma vez um artigo de uma famosa psicanalista que a mulher que não sente pelo menos um pouco de tristeza e introspecção no puerpério só pode ter algum desajuste psíquico, pois esse momento é uma verdadeira crise de identidade, de valores, de luto pela mulher que você foi, de estranhamento da mulher que você está se tornado, de surpresa diante de todas as demandas daquele serzinho que, apesar de ter crescido dentro de você, é um estranho em muitos aspectos. Vocês estão se conhecendo. É um processo… Não se surpreenda se não sentir aquele amor enlouquecido logo de cara. Para muitas mulheres o amor vem com o tempo e com a acomodação da nova fase. Não se julgue! Seja amorosa e paciente com você mesma.

5. Separe pelo menos 15 minutos por dia pra fazer uma coisa que te traga paz e conexão!

Acredite, se você não se determinar a fazer isso, não terá nem esses 15 minutos pra você. Então combine com sua rede de apoio, num momento que o bebê esteja calmo, tranquilo e dormindo, de preferência, para que alguém de sua confiança tome conta do bebê enquanto você toma um banho demorado, faz uma meditação, ouve uma música relaxante, qualquer coisa que promova bem-estar e conexão consigo mesma. Isso pode fazer a diferença no seu dia. Vai por mim…

Gostou das dicas?! Foram úteis pra você? Espero que sim… Eu gostaria muito de ter sabido disso antes de ser mãe pela primeira vez! Então aproveite pra se preparar e tenha uma excelente gestação, parto e pós-parto. Conte comigo!!!

Larissa Simon: Permita-se sentir o que vier à tona! Se precisar chorar, chore! Se precisar desabafar, converse com alguém. Não finja estar feliz se não estiver”

Meninas, espero que tenham gostado das dicas sobre puerpério! Elas são poderosas!

E se você gostou das dicas e da forma como a Larissa ajuda as gestantes e mães de bebês, já adiantamos que ela vai lançar, no dia 17 de abril, o curso online “SOS PÓS-PARTO: Como cuidar do bebê e de si para um pós-parto saudável e tranquilo”. As inscrições serão por tempo limitado e vamos ATUALIZAR ESSE POST com o link pra você!

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

2 ideias sobre “5 dicas práticas para ter um puerpério mais saudável e tranquilo”

Deixe uma resposta