Gravidez: dois pesos e duas medidas

Lendo o post da Mamãe Prática Mari sobre “A experiência de ser gestante”, tentei refletir sobre porque o meu “período gravídico” foi tão diferente do dela. E olha que somos irmãs gêmeas, mas cada uma viveu essa fase de uma maneira diferente…

Quando a gente fica grávida pela primeira vez é comum ouvir milhões de histórias sobre como é mágico e encantador gerar um bebê. São irmãs, amigas, primas, avós, todo mundo contando como é lindo e maravilhoso estar grávida (e eu pensando: mas não tô me sentindo assim, será que sou uma alienígena??)

No momento em que a notícia da gravidez se espalha, começam as perguntas: está sentindo enjoo? Tem muito sono? No meu caso tive a sorte de não sentir enjoos, mas em compensação toda a mudança hormonal e alterações no organismo trouxeram sintomas como cansaço, muito sono, indisposição, irritabilidade, dores nas costas, insônia, entre outros (e eu pensando: mas cadê a magia de estar grávida?).

É claro que muitas mulheres podem discordar, mas para mim a gravidez não foi algo assim tão encantador… Ok é legal, principalmente quando o bebê começa a mexer dentro da sua barriga, mas a gestação é, ao mesmo tempo, muito cansativa, desconfortável e até chata. Alguém concorda?

As pessoas me perguntavam por que eu parecia estar desanimada e eu não sabia explicar… Talvez porque tenho um lado mais prático e racional – e a gravidez não estava combinando muito com isso – ou simplesmente porque foi assim que eu passei por essa fase, sem grandes empolgações, mas também sem neuras.

O fato é que cada mulher vive a gravidez de uma maneira, seja com ou sem enjoos, com ou sem magia. Não tem o certo e o errado, o bom ou o ruim. Por isso, se você também compartilha desses sentimentos, saiba que é algo normal e que você não deixará de amar mais ou menos o seu filho por isso. É apenas uma forma diferente de encarar a gravidez e está tudo bem.

Se você quiser refletir mais sobre o assunto, veja que bacana trecho do programa “Espaço Aberto Saúde”, da Globo News, sobre os diferentes sentimentos e pensamentos das mulheres grávidas e que traz entrevistas com a psiquiatra Rosane Esquenazi e a obstetra Maria Helena Falcão.

Beijos da Mamãe Prática Fabi.

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

5 comentários em “Gravidez: dois pesos e duas medidas”

  1. Parabéns meninas! É isso mesmo, cada uma vivencia a maternidade de forma diferente e quando respeitamos nosso sentimento, tudo fica mais tranquilo, sem tanta pressão e cobrança.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.