Mamãe Decora: Como salvar o planeta no quarto do bebê

Amigas, vida de mãe não é fácil. A gente precisa ser magra, ter carreira de sucesso, cuidar da casa, do marido e dos filhos. E uma das coisas que toda mãe precisa definir um dia é como será o quarto do seu bebê ou de seu filho já mais velho. Pensando nisso, criamos a Coluna Mamãe Decora, que pretende ajudá-las nessa e em outras tarefas.

A primeira mamãe convidada a participar desse espaço é a arquiteta Andrea Couto. Fiquem ligadas leitoras, teremos em breve outras convidadas marcando presença no blog! Com a palavra, a mamãe Andrea:

Como salvar o planeta no quarto do bebê

Montar o quartinho do bebê é uma alegria para muitas mamães. Escolher o tema, as cores, os acabamentos, enfim, cada detalhe é um momento bastante prazeroso. Mas é possível também por em prática nesse momento um tema bastante comentado atualmente e de extrema importância: a sustentabilidade. Então, como aplicá-la dentro do quartinho do seu bebê?

Antes de mais nada, é importante dizer que ser uma pessoa sustentável vai muito além de reciclar o lixo, economizar água ou energia elétrica. Em cada escolha que fazemos no nosso dia a dia, ao comprar um produto qualquer (um carro, um alimento ou até mesmo um botão), podemos beneficiar ou não o nosso planeta. Isso porque este produto pode ser (ou não) um ecoproduto, ou seja, qualquer artigo não poluente e atóxico que não traga prejuízo ao meio ambiente.

Mas, e o quartinho do bebê? Bem, podemos começar pensando nas paredes. Uma vez escolhida a cor, podemos utilizar tintas ecológicas: aquelas que contêm zero VOC (Compostos Orgânicos Voláteis), que são à base de água e não possuem metais pesados ou derivados de petróleo em sua composição.

Quanto ao móveis, podemos pensar em materiais que utilizem madeira reciclada (de demolição) ou provenientes de fontes totalmente renováveis que contenham certificação florestal. Você mesma pode reutilizar a madeira. Já pensou, por exemplo, em dar um novo uso a uma mesa velha encostada no porão? Ela pode muito bem virar um lindo trocador no quarto do bebê e, quando ele crescer, poderá usá-lo novamente como mesa para as tarefas escolares.

Tapetes e cortinas. A juta, por exemplo, é um material natural cujo plantio não utiliza fertilizantes ou defensivos e quando descartada se decompõe em apenas 2 anos, além de ser linda. Existe uma ampla gama de tecidos ecológicos hoje em dia – apenas para citar, temos: couro de pirarucu, seda ecológica, fio de fibra de bambu, etc. Além, é claro, daqueles que utilizam garrafas PET descartadas em sua composição, dando um novo destino a um dos maiores poluentes da atualidade.

Sem falar que ainda podemos fazer uma escolha sustentável na iluminação do quarto do bebê. Dando sempre prioridade à iluminação natural, podemos utilizar outros recursos mais sustentáveis para deixar o ambiente bastante aconchegante e acolhedor. É o caso das famosas lâmpadas de LED, cujo raio luminoso é livre de UV e de calor. Além disso, ao usá-las, economizamos de 50% a 80% na sua conta de luz!

Para o piso existe uma grande variedade de materiais, indo desde os que utilizam matéria-prima natural ou reciclada na sua composição até aqueles que podem ser aplicados sobre pisos pré existentes sem a necessidade de geração de resíduos. É o caso de algumas linhas de porcelanato feitas a partir de massa reaproveitada, pisos vinílicos produzidos à base de milho (fonte totalmente renovável) e pisos laminados cuja matéria-prima é a madeira reflorestada, entre tantos outros.

E por fim, os objetos decorativos podem surgir da reutilização de materiais que temos na nossa própria casa e, a partir de ideias simples, podemos usar nossa imaginação e criatividade para evitar o consumismo exagerado e desnecessário.

A conscientização aliada a um novo hábito pode fazer a diferença no mundo que vamos deixar para os nossos filhos. Pense nisso!

Andrea e DudaAndrea Couto é arquiteta e apaixonada por Decoração. Essa talentosa mãe é uma paulistana da gema que há alguns anos decidiu morar na fria Curitiba, no Paraná. Mãe de uma menina linda de 4 anos e de um mocinho muito fofo de apenas alguns meses, ela reservou um pouco do seu escasso tempo livre (entre muitas mamadas e trocas de fraldas) para escrever para a gente.

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.