Decoração: Que cor usar no quarto do bebê?

ambiente-casa-cor-parana-2013-442
Neste quarto de bebê da Casa Cor Paraná 2013, o branco predomina e as cores estão nos detalhes

Uma tela em branco, milhares de possibilidades. É assim que você vê as paredes da sua casa logo que recebe as chaves. E aí começa o dilema: que cor pintar? A mesma dúvida surge quando estamos grávidas: que cores colocar no quarto do bebê?

De modo geral, as pessoas têm muito medo das cores e acabam, muitas vezes, optando por deixar as paredes brancas (branco não tem erro!) ou no máximo usar um amarelinho ou begezinho. Resultado: um ambiente monótono, sem vida!

Cada cor tem um efeito psicológico sobre nós. Simplificando bastante, podemos classificar as cores em três grupos: quentes (estimulantes), frias (calmantes) e as neutras (preto, branco e cinza). Abaixo segue uma listinha das cores e os efeitos por elas provocados:

Cores quentes:
– Vermelho: força, energia e paixão
– Amarelo: concentração e disciplina
– Laranja: equilíbrio, alegria e entusiasmo

Cores frias:
– Azul: harmonia e serenidade
– Verde: paz e esperança
– Violeta: calma e tranquilidade

Sabendo disso, montei um roteiro simplificado para quem não sabe nem por onde começar:

Primeiro passo: identifique o uso do ambiente. Será uma sala de estar, uma brinquedoteca, um dormitório infantil ou quarto de bebê? A partir daí, você saberá que grupo de cores irá utilizar. Cores quentes para uma brinquedoteca, por exemplo, são mais adequadas, pois sugerem energia, criatividade e entusiasmo.

Segundo passo: Dentro desse grupo, escolha a cor que você mais se identifica, a que gosta mais, e escolha uma parede de destaque onde esta cor será predominante. Não é necessário que seja a parede maior, mas a que julgar mais importante naquele espaço.

Terceiro passo: defina a intensidade do contraste. Se preferir um ambiente com personalidade, bem marcante, prefira para o restante das paredes cores que gerem bastante contraste. Ao contrário, utilize matizes mais suaves da mesma cor predominante e terá um espaço harmonioso. Procure utilizar no máximo três cores distintas num mesmo ambiente.

Quarto passo: procure usar cores mais fortes nos elementos decorativos que poderão ser facilmente trocados caso você enjoe daquela decoração, como nas almofadas, nos tapetes e nos objetos de decoração.

Quinto passo: Todos os elementos do espaço entram na regra das cores, por isso é importante que você faça os objetos e os móveis “conversarem” entre si por meio das cores. Por exemplo, um tom de azul presente na parede pode estar simultaneamente num detalhe da estampa da almofada do sofá e num vaso sobre a mesa.

Casa Cor e outras dicas

Você também pode observar nos ambientes da Casa Cor o uso das cores. No quarto de bebê da Casa Cor Paraná 2013 (projeto da arquiteta Keyla Kinder), que ilustra o começo deste post, o branco predomina e as cores estão nos detalhes: o azul pode ser visto por todo o espaço, assim como o bege numa tonalidade bem clara que minimiza o contraste das paredes e deixa o ambiente muito relaxante.

Quarto de menina da Casa Cor São Paulo 2013

 

Outro exemplo é o quarto de menina da Casa Cor São Paulo 2013 (projeto da arquiteta Renata Coppola). Nesse ambiente de relaxamento foi utilizado o verde como tonalidade predominante. O interessante deste projeto é que reforça que podemos colorir um espaço não apenas com tintas, mas com as diversas texturas existentes no mercado, como o papel de parede.

Como destaque, ao invés de uma parede, optou-se por colorir parte do teto. Note na foto que as cores presentes nesse detalhe se repetem em diversos elementos, como na mesa lateral e na almofada (ambas amarelas) e nos travesseiros vermelhos.

Além disso, sempre que escolher uma determinada cor, lembre-se que ela se modifica dependendo da base onde se encontra, ou seja, a mesma cor que você vê impressa no catálogo será diferente vista na tela do computador ou na parede da sua casa, por exemplo. Por isso, após escolhida a cor, compre amostras em diferentes tonalidades e aplique-as na parede em quadrados de aproximadamente 1 metro quadrado e deixe secar.

Após secar, a cor escurece. Visualize-a em horas diferentes do dia antes de escolher. Veja também que o tipo de iluminação pode alterar completamente a cor escolhida. Então, faça esse teste sempre com a lâmpada que será utilizada em definitivo. Caso contrário, você poderá ter algumas surpresas.

Por fim, não existe a cor certa para esse ou aquele ambiente. Existe a sensação certa que você deseja experimentar no espaço. Tudo é possível. Arrisque-se!

Andrea e DudaAndrea Couto é arquiteta e apaixonada por Decoração. Essa talentosa mãe é uma paulistana da gema que há alguns anos decidiu morar na fria Curitiba, no Paraná. Mãe de uma menina linda de 4 anos e de um mocinho muito fofo de apenas alguns meses, ela reservou um pouco do seu escasso tempo livre (entre muitas mamadas e trocas de fraldas) para escrever para a gente.

Deixe uma resposta