Como escolher uma babá

Será que é melhor deixar o bebê com uma babá, com a avó ou na escolinha? Certamente essa é uma pergunta que muitas mães se fazem hoje em dia. E a resposta não é tão simples porque todas as situações têm os seus prós e contras.

Neste post, eu falo especificamente sobre a contratação de babás. No meu caso, quando o Serginho era bebê, optei por contratar uma pessoa para me ajudar duas vezes por semana, já que estou trabalhando em casa mesmo, como freelancer.

Mas sei que muitos pais não têm escolha e precisam deixar o filho na escola ou com alguém enquanto saem para trabalhar. Pensando nisso, fizemos uma entrevista (bastante detalhada e esclarecedora) com a fisioterapeuta Cibele Mine Takahashi e a enfermeira Daniela Hiromi Suzuki Bravo, proprietárias do Grupo Cuidar, empresa especializada na contratação dessas profissionais. Veja só as dicas que elas dão:

1. Quais são as vantagens e desvantagens de contratar uma babá?
Entre as vantagens estão obter auxílio profissional para cuidar do seu filho, uma vez que nem todas as mães podem permanecer em casa após o término da licença maternidade, além das muitas que são autônomas e necessitam retornar ao trabalho para auxiliar com a renda familiar. Ter uma babá torna-se necessário para a mãe contemporânea, pois além do retorno ao mercado de trabalho, é importante para o bem-estar da família que a mulher sinta-se completa e equilibrada em outros aspectos da vida, que incluem todas as atividades que ela gosta de realizar. Além disso, a transição de um casal para um casal com filhos requer alguns ajustes na rotina de todos e para que seja uma transição saudável, muitas vezes recomenda-se o auxílio profissional.

Quanto às desvantagens, deve-se fazer um planejamento prévio dos custos da contratação de uma profissional, pois o valor geralmente é proporcional à carga horária desejada. Pelas leis trabalhistas (CLT), a carga horária para a profissional é de 44 horas semanais, e com as novas leis tornou-se obrigatório o registro em carteira de todo empregado doméstico. O valor médio de salário solicitado pelas profissionais é de R$ 1.200,00 a 1.500,00, dependendo do número de crianças e das atividades a serem realizadas.

Como em qualquer relacionamento interpessoal, é necessário realizar um treinamento com a profissional e fornecer ao longo do tempo um feedback do trabalho, seja positivo ou negativo. Ir realizando os ajustes, de forma que o ambiente de trabalho seja agradável tanto para o contratante quanto para o contratado. Esse processo muitas vezes é trabalhoso, mas assegura a fidelização do profissional que está  contratando e a satisfação do contratante.

“Pelas leis trabalhistas (CLT), a carga horária para a profissional é de 44 horas semanais, e com as novas leis tornou-se obrigatório o registro em carteira de todo empregado doméstico”

2. O que considerar na hora de contratar uma babá?
Antes de iniciar o processo seletivo, o ideal é que os pais tenham em mente qual o perfil desejado, como:
. Características comportamentais e técnica;
. Perfil profissional e pessoal da candidata;
. Experiência com recém-nascidos ou crianças maiores;
.Boas referências.

Vale lembrar que nem sempre a profissional mais capacitada é a mais adequada ao convívio com a sua família. Se a família dispuser de tempo e paciência para realizar um bom treinamento, uma profissional que tenha uma boa índole, tenha disponibilidade emocional para cuidar de uma criança, seja carinhosa e confiável será a mais adequada sempre.

3. O que os pais podem perguntar às candidatas?
– Traçar o perfil geral da candidata (idade, estado civil, se tem filhos, onde reside, nível escolar, quais atividades realiza nas horas livres, entre outras).
– Verificar a experiência da profissional com crianças, quanto tempo permaneceu em cada emprego, quais os motivos pelos quais se desligou dos últimos empregos.
– Indagar por que a profissional deve ser contratada para a vaga, verificar qual o seu diferencial entre as outras.
– Verificar o interesse em relação à vaga, sua apresentação no dia da entrevista, se ela se expressa bem e se foi pontual.

4. Quais são as atribuições de uma babá?
– A babá é responsável pelo cuidado da criança e por tudo que esteja relacionado ao seu cuidado, ou seja, realizar a higiene, administrar a medicação, preparar e oferecer a alimentação da criança, auxílio em consultas, passeios, higienizar a mamadeira, entre outros cuidados. Também é responsável pelo cuidado das roupas da criança (lavar, passar e organizar), caso não exista outra profissional que o realize, do quarto (organizar e limpar), dos brinquedos, e outros pertences da criança.

Contudo, existe um outro perfil de profissional, o de babá arrumadeira. Esta profissional geralmente realiza os cuidados da casa em um período do dia e cuida da criança no outro período. É mais indicada no caso de crianças maiores que já frequentam a escolinha em pelo menos meio período. O perfil desta profissional é diferente, bem como o salário, pois desempenha mais funções na casa.

“Existe um outro perfil de profissional, o de babá arrumadeira. Esta profissional geralmente realiza os cuidados da casa em um período do dia e cuida da criança no outro período”

5. Quais são os erros mais comuns ao contratar uma babá?
Para os pais que estão em processo seletivo, um erro comum é não se ter em mente o que se procura. Os dados da vaga são importantes, pois o perfil de uma babá para dormir no emprego é diferente de uma profissional que vai e volta todos os dias e ambos diferem do perfil de uma profissional que trabalha no período noturno e das que são folguistas de finais de semana. Devem saber também quais os horários de entrada e saída, valores a serem oferecidos, benefícios e quais atividades a profissional irá realizar, além de colocar todas estas informações em contrato e o que for alterado ao longo do tempo deve ser ajustado.

Dentre as principais causas de insatisfação com a contratação, temos a falta de comunicação entre contratante e contratado. Como a maioria das famílias não utiliza um contrato com as informações descritas acima, algumas atividades e horários vão sendo alterados ao longo do tempo e isso passa a gerar insatisfação entre as profissionais. Já as famílias queixam-se de atitudes comportamentais e de atividades que não são realizadas da forma como gostariam.

6. Como funciona o Grupo Cuidar?
Recebemos os currículos, selecionamos os mais qualificados, conhecemos todas as profissionais do nosso banco de dados pessoalmente, fazemos o levantamento de antecedentes criminais, recolhemos cartas de referências e contatos dos trabalhos anteriores. Verificamos dados da sua vida pessoal para traçarmos o perfil que se adeque às necessidades das famílias.

Temos dois tipos de prestação de serviços. No agenciamento de profissionais, fazemos a intermediação entre profissional x família. O vínculo das profissionais é com a família contratante e os termos do contrato são acertados entre ambos. Montamos a equipe de acordo com as necessidades e acompanhamos o trabalho por um mês, para nos certificarmos do bom andamento do serviço e ajustarmos aquilo que pode estar sendo motivo de insatisfação entre empregador e empregado. Realizamos até duas trocas de profissionais , dentro do prazo de 60 dias, sem custo adicional. Para a empresa: existe uma taxa de agenciamento quando da contratação da profissional.

No caso da prestação de serviço completo na área de atendimento domiciliar, fornecemos uma profissional babá, para acompanhamento das atividades de vida diária. Os profissionais ficam sob supervisão de uma equipe multiprofissional (enfermeira, psicóloga e fisioterapeuta), sendo que o vínculo dos mesmos é com a empresa, não com a família. O valor cobrado depende do número de horas diárias trabalhadas, não havendo custos adicionais. Solicitamos para a família apenas a refeição do profissional no local de trabalho.

O vinculo da família é com a empresa, não com o profissional, ou seja, todas as questões trabalhistas ficam por conta da empresa. O contrato de prestação de serviços é assinado por tempo indeterminado, podendo ser cancelado a qualquer momento sem nenhum ônus.

Temos ainda o serviço de baby-sitter, que inclui o acompanhamento infantil por um dia/noite ou pelo período pré-determinado, como por exemplo, o acompanhamento em viagens. O valor é de acordo com a carga horária desejada e a profissional fica sob a supervisão da empresa.

Temos uma equipe voltada aos cuidados de pessoas em geral, especializada no fornecimento das profissionais para atuarem na residência. Nossa equipe atua na área de recursos humanos há mais de 9 anos, recrutando e treinando profissionais.

Contamos com assessoria multiprofissional (psicóloga, pediatra, pedagoga, fisioterapeuta, fonoaudióloga, enfermeira e assessoria jurídica) que colaboram para divulgar informações úteis às famílias e prestadoras na elucidação de dúvidas, bem como auxílio com os contratos.

Mamães e papais, se vocês estão pesquisando sobre esse assunto espero que essas informações sejam bastante úteis e boa sorte!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.