Qual o melhor momento para o desmame?

Muitas mães nos procuram em busca de orientações sobre o desmame. E dentre estas mamães também há uma parcela significativa de leitoras que nos escrevem dizendo que o bebê faz o peito de chupeta. Quase sempre, elas nos relatam com angústia e sofrimento esta situação. Por tudo isso, pedimos para a nossa querida colunista Ana Flávia Fernandes escrever sobre o tema. Psicóloga infantil, ela também atende muitas mães que vivem o momento do desmame. Com a palavra, a Ana Flávia:

Qual o melhor momento para o desmame?

Uma das questões mais comuns entre famílias que me procuram é sobre o desmame, ou seja, perceber qual o melhor momento para se despedir dessa fase tão rica e avançar para a próxima etapa do desenvolvimento da criança.

A hora da amamentação é um momento em que, principalmente mãe e filho, fortalecem o seu vínculo. O tempo em que passam juntos e conectados é uma referência de amor, satisfação e carinho para os dois. Porém, enquanto algumas mães têm uma sensação de liberdade, muitas outras sentem medo de fazer o desmame e perder essa conexão tão especial com o filho.

O desmame é algo natural que depende da necessidade do filho, da mãe e do seu estilo de vida. Já o amor entre mãe e filho não acaba nunca, apenas passa a acontecer de forma diferente. Beijar, abraçar, pegar no colo, cantar e conversar com o bebê são maneiras de potencializar esse amor e não interferir no desenvolvimento da criança.

Além do acompanhamento com o pediatra, existem alguns comportamentos que ajudam nesse processo de desmame.

O primeiro é entender que os bebês se comunicam pelo choro. Isso significa que podem chorar para “dizer” que estão com frio, calor, sono, fralda suja ou que simplesmente queiram um colinho para aconchegar-se. Os adultos é que vão ajudá-los a diferenciar essas sensações. Se a mãe oferece o peito a cada choro do bebê, essa compreensão não acontece e ele entende que qualquer desconforto será resolvido desta forma. Então, é comum que o bebê recorra ao peito da mãe como chupeta, mesmo que o desconforto não seja a fome.

O outro é encarar o desmame como um momento de desconforto e não de sofrimento. Fazer tudo gradativamente para que ambos se sintam bem e a mãe esteja segura com sua decisão. Mesmo sendo desconfortável, acreditar que é possível passar por essa transição. Suportar com a criança essa situação é saber que isso faz parte do processo de amadurecimento de todos nós.

Quando o adulto volta sua atenção para a hipótese de que o desmame é um sofrimento, acaba carregando essa sensação em todas as suas atitudes e o bebê compreende que realmente este é um momento de sofrimento. Ele recua também e, no medo de sofrer, todo o seu desenvolvimento fica travado neste estágio de dependência total entre mãe e filho.

Encarar esse momento confiando que o bebê vai dar conta e todos vão conseguir passar por ele, faz toda a diferença. O mais importante é o quanto a criança se percebe capaz nesse crescimento. Ela fica feliz e transmite uma enorme satisfação em se perceber evoluindo, conquistando novas possibilidades de viver seu desenvolvimento.

Para acreditar que pode vencer esse novo desafio, a regularidade de uma rotina, a disciplina e o respeito pelo seu cumprimento são essenciais. Isso potencializa a capacidade do bebê se tornar uma criança mais autônoma e reforça a noção de que você está junto dela para viver esse desconforto e adaptação para a nova fase de vida que vem chegando. Esse apoio e direcionamento dos pais com uma postura firme, amorosa e confiante é fundamental para a criança superar esta etapa e seguir para a próxima mais confiante de que também dará certo.

Com amor, Ana Flávia Fernandes.

Ana Flavia FernandesPsicóloga Infantil com especialização em Psicodrama, Ana Flávia Fernandes atende as crianças e suas famílias há muitos anos. “Para cuidar bem dos pequenos, também é preciso cuidar dos adultos a sua volta”, explica. Muito querida e atenciosa, ela também nos brinda com a sua sabedoria e experiência clínica no blog Terapia de Criança.

Mamães, eu me identifiquei muito com o texto da Ana Flávia, e vocês? Enquanto pra mim o desmame foi mais difícil, pra Fabi foi mais tranquilo e natural. Como foi ou está sendo o desmame pra você? Conte pra gente aqui nos comentários!

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Foto: freeimages/Carin Araujo

logo_ClubeMamaePraticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

13 ideias sobre “Qual o melhor momento para o desmame?”

  1. Olá meninas! Meu bebê tem 6 meses e meio e decidi q eu iria parar de amamentar, ofereci a fórmula e finalmente depois de 3 tentativas ele gostou um pouquinho mais do nam. Outra coisa foi a mamadeira…. Depois de comprar umas 4 diferentes uma deu mais ou menos certo! Kkkkkk comecei a oferecer a mamadeira nos momentos em que deveria mamar no peito, q não são muitas, já q ele já come frutinhas, almoça e janta papinha, resultado, ele começou a odiar o leite, a dormir mega mau, acordar resmungando querendo chupeta, coisas q até então ele não fazia. Estou me sentindo perdida, acho q meu bebê não está pronto para o desmame. Acho q vou parar de oferecer por um tempo e iniciar o processo denovo daqui umas 2 semanas! Não sei! Vcs tem alguma dica?! Achei q ele amaria a mamadeira já q é um comilão! Kkkkk mas não! Me ajudem a encontrar um norte! A fazer um plano! Bjus

    1. Olá Mariana! Segue a resposta da nossa colunista, a Ana Flávia, para as suas dúvidas:

      Primeiro ponto é entender o que te fez decidir que iria parar de amamentar no peito, quais os fatores que levaram a isso. Esse é um grande passo na vida de uma mãe com o seu filho e é importante que ele aconteça com bastante segurança para que os desafios que virão não a coloquem em estado de angustia e medo. Oferecer a mamadeira ao filho pode ser difícil para a mãe, pois é como se esse ato evidenciasse o seu fracasso em amamentar no peito e como se isso fosse trazer prejuízos irreparáveis no vínculo com o seu bebê. Estas ideias ocultas podem ser bastante pesadas de se carregar na maternidade. A mamadeira pode ser uma solução em vários casos, mas é importante que a mãe reconheça seus limites afetivos e práticos (principalmente aquelas que trabalham ou têm outros filhos), para que isso não se transforme em culpa. Caso seja necessário oferecer o recurso da mamadeira, é possível fazê-lo nas mesmas condições afetivas nas quais oferecia o peito, em um clima de tranquilidade e muito carinho.
      Outro ponte é verificar todo o processo que envolve as condições para ele se alimentar, desenvolver suas capacidades sensório motoras, dormir e acordar. A forma com que tudo isso acontece muda bastante o resultado e o comportamento dos pequenos. Talvez seja somente um reajuste nesse formato de rotina para que ele consiga suprir suas necessidades emocionais e físicas, para se alimentar, dormir e acordar com mais qualidade.

      Espero que tenha ajudado!! Beijos

      Ana Flávia Fernandes

      Mariana, esperamos que logo tudo se resolva! Interessante esses aspectos que a Ana colocou pra você. Eu acrescentaria, ainda, para você apenas tomar cuidado para não confundir seu bebê: uma hora ele pode mamar no meio e depois não pode? As crianças ficam confusas. Então, sugiro você primeiro avaliar a necessidade de desmamar agora (Você está preparada? Seu bebê sente muito falta? Você conseguiria se planejar para amamentar por mais tempo?). Se você estiver decidida a parar a amamentação, vale seguir as orientações da Ana e tentar criar uma rotina tranquila, com amor, para a hora da mamadeira. Beijos e boa sorte! Mamãe Prática Mari

  2. Boa noite

    Estou sofrendo muito com o desmame do meu filho ele tem 1 ano e meio é uma luta para desmamar mais estou tentando mais não estou conseguindo . muitos me falaram para passar dipirona nos seios mais não tenho coragem. Toda vez q falou q não vou dar de mama ele chora. Me ajudem!!!

    1. Olá Chris,

      Realmente o desmame pode ser um processo difícil. No caso da minha filha, isto também implicou em ensiná-la a adormecer de outra forma, ou seja, sem o apoio de estar mamando no seio (ela tinha quase 1 ano e meio). Aqui eu conto em detalhes como foi esse processo: https://mamaepratica.com.br/2014/02/10/como-minha-filha-parou-de-fazer-meu-peito-de-chupeta/

      Espero que a minha experiência ajude você a encontrar a melhor solução pra vocês.

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

    2. Olá Chris! Vi que o seu comentário é de Janeiro, meu BB tem 1 ano e meio agora e tenho o mesmo problema, vc conseguiu? O pediatra me falou que não tem nenhum problema uma gotinha de dipirona, mas ainda não tentei… me diga se pra vc deu certo!

  3. Meu nome é Melissa tenho um bebe de 9 meses ele mama a noite de 3/3 hrs
    Estou tentando desmamar ele pelo menos na parte da noite pois a enfermeira disse q ele ja come de tudo entao nao é fome e sim vicio
    Mas esta muito dificil ele nao aceita formula nenhuma de leite
    Estou firme mas esta muito dificil pois ele acorda na magruda e fica chorando ate dormir

    1. Olá Melissa,

      Estendo o que você está passando, pois eu também passei por isso, e até por ter vivido essa experiência, estou sempre em busca de novas informações (de especialistas) para ajudar as mães que passam pela mesma situação. Em um dos posts mais recentes entrevistamos a orientadora em cuidados com recém-nascidos Mariana Zanotto Alves. Segue o link: https://mamaepratica.com.br/2015/10/15/quando-o-bebe-so-dorme-no-peito-entenda-o-que-fazer/

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

  4. Tenho 3 filhos e os meu dois primeiros deixaram o peito naturalmente aos 8 meses ,o meu caçula tem 10 meses e é muito apegado ao peito ,eu não sei por onde começar a desmama -lo , ele já come de tudo toma mamadeira e já entroduzir as outras alimentações, tenho muita dó de não dar o mamá dele ? mais faz o meu peito de chupeta ,principalmente de madrugada !

    1. oi Angélica! Parabéns pelos seus filhotes!Sabemos como essa questão do bebê fazer o peito de chupeta é delicada (a Mamãe Prática Mari também passou por isso). Já fizemos alguns posts sobre o assunto (veja abaixo). Espero que as dicas possam te ajudar! Beijos, Fabi
      – Como minha filha parou de fazer meu peito de chupeta – https://mamaepratica.com.br/2014/02/10/como-minha-filha-parou-de-fazer-meu-peito-de-chupeta/
      – Socorro, meu peito virou chupeta – https://mamaepratica.com.br/2013/06/03/socorro-meu-peito-virou-chupeta/
      – Quanto o bebê só dorme no peito: entenda o que fazer – https://mamaepratica.com.br/2015/10/15/quando-o-bebe-so-dorme-no-peito-entenda-o-que-fazer/

  5. Olá!
    Estou passando por uma fase um pouco diferente e não sei o que fazer.
    Meu bebê tem 8 meses e ainda mama. Coloquei ele na creche aos 6 meses, somente a tarde e há uma semana ele começou a ir as 10 da manhã.

    Então agora ele mamá a noite e quando acorda. Isso Teoricamente, porque há umas duas semanas ele vem acordando muitas vezes a noite e só para de chorar quando dou peito. Achei que fosse fome e comecei a dar papinha de jantar. Não resolveu, percebi que ele nem mama direito, só faz o peito de chupeta.

    Não sei o que fazer pra resolver esse problema! Ele já dormia direitinho, umas 7 horas direto, e agora não passa de 3! Ainda por cima, acabo levando pra minha cama, porque não consigo ficar a noite toda com ele no peito, sentada, né?

    O que vocês me sugerem? Não queria desmamar agora.

    Beijos!!!

    1. Olá Gabriela!

      Seu bebê ainda é novinho e vale notar que, segundo muitos especialistas, são vários os marcos de desenvolvimento do bebê no primeiro ano (e alguns deles podem interferir no sono). É o que explica a orientadora em cuidados com recém-nascidos e parent coach Mariana Zanotto Alves (você pode ler mais aqui neste post).

      Também fizemos uma entrevista com a Mariana sobre quando o bebê só dorme no peito (veja aqui).

      Como você disse que seu bebê já dormia 7 horas seguida, vale prestar atenção na rotina. Além de ficar mais tempo na creche, a rotina do sono que você fazia antes mudou? Fique atenta se seu bebê está se alimentando bem durante o dia, se não tem nenhum desconforto durante a noite (como fome, sede ou calor). Ele vai precisar reaprender que não precisa ficar acordando durante a madrugada pra mamar (mas verifique se não se trata mesmo de fome ou sede). Se não forem estes casos, é preciso ter muita paciência, mas é possível ensiná-lo a adormecer de outra forma, que não seja mamando. Cada criança e filho são únicos, por isso é preciso analisar toda a situação com calma e, se preciso, buscar ajuda de um pediatra e/ou especialista no sono dos bebês.

      Além disso, aqui nesse post, a Mamãe Prática Fabi contou como uma mudança de rotina atrapalhou as noites de sono do meu sobrinho, que até então dormia super bem. Ela corrigiu a rotina e tudo voltou ao normal.

      Boa sorte por aí. Depois nos conte como foi.

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

  6. Olá mamães. A minha filha está com 1 ano e 4 meses e ainda mama no peito. Como trabalho fora a amamentacao é complentada com fórmula, que ela toma no máximo 120 ml 3 x ao dia. O pediatra diz que essa quantidade é muito pequena frente ao que ela precisa, e que sendo assim eu tenho que amamenta-la até os dois anos. Mas eu nao queria esperar mais, pois ela come super bem, adora frutas e legumee e eu acho que o meu leite nao fará falta pra ela, além do mais, acho que quanto maior ela ficar, mais dificil será para nós duas. O meu maior medo qto ao desmame é pra faze-la dormir a noite, pois acostemei a faze-la dormir no peito. Gostaria de ajuda para que o processo fosse natural e que ela nao sofresse.

    1. Olá Franciele!

      Nossa, super me identifiquei com você. Eu tenho uma história parecida, como contei aqui. Nesse post eu também conto como fiz o desmame, porque, no meu caso, eu realmente estava esgotada, já que minha filha continuava acordando durante toda a noite para ficar no meu peito.

      Vale notar que a recomendação do Ministério da Saúde é a amamentação complementar até os 2 anos de idade, daí a orientação do seu pediatra. Concordo com você, sua pequena precisa sim comer bem, comer comida! Ao mesmo tempo, o aleitamento materno é muito importante, como já contamos aqui.

      Sugiro você avaliar se vale continuar a amamentação apenas durante a noite, antes de dormir (se ela não te “fizer de chupeta” durante toda a noite) ou realmente fazer o desmame. Fique tranquila, você já está no caminho certo.

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *