Frustrações maternas: alguns “perrengues” que as mães passam (Encontro de Mentes Maternas)

Ser mãe é maravilhoso, sim! Mas nem sempre é o paraíso. Como tudo na vida, a maternidade tem os seus dois lados, e aquele que a gente não gosta muito de ver é o lado das broncas, das birras e das frustrações. Sim, a maternidade tem as suas frustrações.

Fomos convidadas pelas meninas blogueiras do “Encontro de Mentes Maternas” para fazermos parte dessa interessante blogagem coletiva. Funciona assim: definimos um tema e publicamos todas as blogueiras, no mesmo dia, um texto com a nossa visão sobre o assunto. Justamente quando estávamos escolhendo o assunto dessa semana, eu vivia a frustração de poder perder aquela que seria a primeira apresentação de Dia das Mães da Manuela na escolinha. E aí sugeri esse tema (frustrações maternas).

Bom, como elas toparam, mãos à obra! Fiquei pensando vários dias sobre esse assunto e achei interessante eu e a Fabi dividirmos com vocês algumas situações que vivemos recentemente e/ou que muitas mães passam, mas que nem por isso nos deixam menos felizes em relação à maternidade. Veja a nossa relação:

Frustrações maternas: alguns “perrengues” que as mães passam 

1. Meu bebê cuspiu tudo!
Sabe aquele dia que você fica um tempão na cozinha e prepara com todo amor aquela papinha super caprichada? Às vezes acontece do bebê estranhar muito e cuspir tudo. A Manu e o Serginho logo se adaptaram às papinhas, mas é comum muitas mães terem que ser bem mais insistentes (dizem que é preciso a criança provar em torno de oito vezes para realmente perceber se gosta ou não de determinado alimento).

2. A minha amamentação não foi fácil
Tanto eu quanto a Fabi tivemos problemas logo no início da amamentação (a Manu não conseguia fazer a pega correta e o Serginho regurgitava muito). Meus primeiros dias como mãe, infelizmente, foram bem tensos. A Manu não conseguia mamar e foi uma grande frustração. Mas com a ajuda certa, consegui reverter a situação e a pequena mamou até 1 anos e meio! Uhuuuu!

3. Meu filho ainda não anda (ou não fala ou não deixa as fraldas)
Também é comum a gente (e os outros …) ficarem comparando nossos filhos. Gente, calma! Cada criança é única e pode ser que seu filho demore mais tempo pra andar, falar ou abandonar as fraldas, e pode ser que isso seja, simplesmente, o tempo dele. Se necessário, faça uma consulta com o pediatra e procure não projetar seus medos e ansiedades nele.

No meu caso, por exemplo, a Manu levou seis longos meses para deixar definitivamente as fraldas durante o dia (pensa numa mãe estressada de tanta roupa pra lavar kkk). Hoje eu percebo que ela precisava desse tempo ou que, afinal, talvez ela não estivesse mesmo preparada quando começamos o desfralde. Hoje, mais do que nunca, percebo a importância de respeitar o tempo da criança.

4. Socorro! Meu filho fica muito doente
Quando coloquei a Manu pela primeira vez na escolinha imaginava que seria muito diferente. Mas foi terrível: ela não aproveitou nem curtiu nada e precisou faltar muito na escolinha, pois sempre estava doente. Em outra situação, planejamos uma viagem super bacana de férias, fomos para um resort e adivinhe? Ela ficou doente! Aprendi que ser mãe é, sobretudo, esperar de tudo (e se preparar pra tudo, né? Nunca mais viajo sem inalador). E como contei no início quase perdi aquele que seria o primeiro Dia das Mães na escolinha porque a pequena estava gripadinha e com febre, mas aí eu percebi que eu não seria a única, afinal, outras crianças não foram justamente porque estavam doentes.

5. Nossa primeira “separação” foi estressante
Isso vale tanto para a Manu (quando entrou na escolinha) quanto para o Serginho (na sua primeira aula de natação), já que ambos choraram muito quando sem viram “sozinhos”, diante dos professores. Nesses dois casos, o jeito foi fazermos a adaptação com calma e muita paciência, para que os pequenos pudessem enfim se acostumar com os professores e os amiguinhos, além de se acostumar ao novo ambiente.

6. Meu filho comia de tudo e agora não quer comer mais
É comum muitas mães me contarem que o filho, quando bebê, comia de tudo, mas agora não quer isso ou aquilo. Descobri que faz parte do ser humano imitar os outros. Por isso, se a Manu vê uma criança dizendo que não gosta de algo não me surpreende que ela também diga que não gosta. Mas a minha estratégia é simples: não dou bola e continuo oferecendo (coloco no prato e não pergunto se quer), ou seja, não desisto ao sinal da primeira negativa. Geralmente dá certo e ela volta a comer o que não queria antes (e ainda diz que está uma delícia kkk).

7. Eles não estão se dando bem
Você viaja toda feliz pra ver a irmã e o sobrinho e aí os dois (Manu e Serginho) mais brigam do que brincam juntos. Pois é, tivemos essa fase e não foi fácil contornar. Algo parecido pode acontecer quando a mãe decide ter o segundo filho e o primeiro não aceita muito bem, tendo crises de ciúmes. A maternidade tem dessas coisas, quem disse que seria fácil? Kkk (a gente já falou sobre isso, AQUI e AQUI).

Meninas, contem pra mim. Qual foi até agora a sua maior frustração na maternidade? Conseguiu mudar a situação e dar a volta por cima? Deixe seu recadinho aqui nos comentários.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

*Foto: Freeimages.com

Este texto faz parte de uma blogagem coletiva do grupo Encontro de Mentes Maternas. Não deixe de ler os artigos dos blogs participantes e boa leitura:

Leticia Tomsik – Psicologa Infantil
Por Leticia Tomsik
Psicóloga infantil, analista do comportamento e proprietária do BEM VIVER. Consultório de Psicologia, em Valparaíso de Goiás. Casada com um tcheco e(ainda) sem filhos. Apaixonada pela família e pela sobrinha mais que especial Beatriz.

Mamy Antenada
Por Priscilla Aitelli
Gestante do coração há quase 3 anos, tentante há mais de 6. Bióloga de profissão. Carioca, criada em Joinville- SC. Atualmente mora em Florianópolis- SC com o maridão Silvio e com os filhos de 4 patas Dora e Minduim. Experiências pessoais e muita informações são compartilhadas de um jeito simples e divertido.

Mamãe Coach
Por Vanessa Braga
Mamãe do Raphael e também é uma profissional que deseja usar sua maternidade e profissão para trocar experiências e dicas, trazendo ferramentas para outras mamães, que assim como ela, sonham em ser uma mãe melhor a cada dia!

Mãe de 02
Por Laura Carvalho
Mãe do Jean Jr e João Felipe, tem muitas paixões e as maiores são escrever, ler, ouvir músicas, assistir filmes românticos, jogos, viajar, conversar, fazer novas amizades, comer massas, comida japonesa e chinesa e doces, principalmente muito chocolate. Juntado seus amores e o Amor pelos filhos surgiu o Mãe de 2, que fala de mãe para mãe, conta experiências, rotinas, vida de mãe, gestação e filhos.

logo_ClubeMamaePraticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

 

11 comentários em “Frustrações maternas: alguns “perrengues” que as mães passam (Encontro de Mentes Maternas)”

  1. Eu percebi que minhas frustrações foram baseadas em muita expectativa. ..
    Alice só tem 4 meses e eu já me frustrei tanto..
    a começar pela amamentação que sinceramente merece mais cuidado nas orientações dos profissionais. . Vamos muito afim de dar certo e não estamos preparadas pra dar errado e se der errado.. Como consertar!
    Meu mamilo rachou no primeiro dia… eu sai do hospital gemendo de dor… tudo por uma pega incorreta do bebê. . Passei quase trinta dias entre conchas e pomadas.. até que um belo dia uma mãe de uma aluna ensinou a pega e pronto.. em dois dias passei a amamentar tranquilamente .. e aí veio a hiperlactose. . Alice com gases e engasgando e vomitando a cada mamada…
    Ufa. .. vencemos…. mas ai teve a chupetas que tentei dar depois de ter feito pacto de que ” minha filha JÁ MAIS vai chupa bico “… a sorte que ela não pegou o bico..
    mas ser mãe e isso … frustrar-se..
    a última agora foi a gripe mega da Alice sendo que tomamos todos os cuidados que não vejo nenhuma mãe tomar.. soro no nariz 6 vezes ao dia… Não toma vento.. Não sai no frio.. e não adiantou nada… todos os bebes que conhecemos e vivem na friagem estão super saudáveis. . E Alice se recuperando da mega gripe…
    viva a MATERNIDADE ……
    CORAGEM MAMÃES! !!!

    1. Oi querida Heloá, adorei seu comentário!

      Tudo o que você falou eu vivi também, principalmente as dificuldades na amamentação no início. E quanto aos nossos filhos ficarem doentes, realmente às vezes fazemos de tudo e mesmo assim eles ficam. Espero que nossos posts te ajudem com isso também, pois temos divulgado muitas coisas sobre esse tema.

      Alguns posts que podem te interessar:
      https://mamaepratica.com.br/2014/10/13/10-dicas-para-prevenir-que-a-crianca-fique-doente/
      https://mamaepratica.com.br/2015/05/11/5-coisas-que-toda-mae-deveria-saber-sobre-alimentacao/
      https://mamaepratica.com.br/2015/03/06/crianca-com-febre-o-que-fazer/

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

  2. Meus perrengues estão começando agora, graças a Deus o Breno come bem e não fica to doente, não amamentei meu leite secou.
    O meu desafio agora e aprender a lhe dá com as birras e manhas, ele tem 1 ano e 8 meses, mas age de de forma que parece ser mais velho, eu trabalho o dia todo e ele fica com minha sogra, fico com ele de seg a sex a noite só, e aos finais de semana, gostaria de poder ficar o tempo todo para ele entrar no meu ritmo, mas ta difícil. Ele aprendeu a biliscar, chora por tudo, se eu não der o que ele quer ele fica nervoso e derruba o que ve na frente, mania de bater, outro dia mesmo ele bateu no meu rosto, então imediatamente repreendi ele, mas em poucos minutos ele para de chorar e começa a traquinar novamente, só sossega quando sou bastante severa com ele no tom da voz. Tem dias que acho que vou enlouquecer, não sei onde estou errando, até porque eu não gosto de mimar acho feio criança mimada, eu não mimo ele. Então eu penso, será que é fase? Será que isso é dele mesmo, e tende a piorar? Ou será que estou errando em alguma coisa? Ele tem 1 ano e 8 meses e já esta assim, meu Deus como é dificil educar um ser humano.

    1. Olá Erica!

      Calma, respira fundo (risos). Olha, quase todas as mães passam por isso, é normal! Eu e a Fabi temos vivido isso também ultimamente (dizem que é a tal “terrível fase dos dois anos”) e a Fabi até escreveu sobre isso.

      Hoje mesmo quase fui embora de um restaurante porque a Manu não parava de chorar e fazer birra porque não queria ir antes de comer no banheiro (e eu sabia que ela precisa ir). Então, vi que quanto mais eu brigava com ela era pior. Eu me abaixei (fiquei na altura dela) e expliquei mais uma vez, mas sem gritar. Finalmente ela entendeu e obedeceu. Mas não é fácil não.

      Temos vários posts que talvez possam te ajudar:
      A terrível fase dos dois anos: https://mamaepratica.com.br/2015/04/24/a-terrivel-e-incrivel-fase-dos-2-anos/
      Birras: https://mamaepratica.com.br/?s=birras
      Sobre educar: https://mamaepratica.com.br/2015/03/13/como-educar-nossos-filhos-entre-erros-e-acertos/
      Sobre educar: https://mamaepratica.com.br/2014/11/25/como-educar-sem-precisar-bater-ou-colocar-de-castigo/

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

  3. Nossa as vezes penso que só eu passo por isso, que só o Breno faz isso bate um drama sabe (rssss), ontem a minha mãe me acalmou um pouco, porque eu tinha feito um refogado de legumes que ele adora com todo meu amor ficou delicioso, e ele cuspiu tudo no chão, virou o prato de birra e eu enlouqueci. Bom vou ler os demais posts, e obrigada pela atenção vocês são demais, Bjão Mari

    1. Olá Erica. Às vezes a gente fica desanimada mesmo, mas tudo passa. O importante é tentar não entrar nessa “briga” com eles. É difícil, mas vamos tentando, né? Ah, sobre bater, às vezes a Manu tem essa mania, não chega a bater, mas quase. Aí eu falo firme com ela que não pode e faço ela pedir desculpas na hora. Sempre pedindo desculpas ela percebe que é muito sério isso. Pelo menos aqui tem dado certo … Força!

      Beijos, Mari

    2. Calma mamãe. . Da uma olhada no clip dos “1000 dias” .. tem uma mãe que fala: da impressão que se reunirmos todas as mães numa roda e uma falar: tá difícil pra mim.. TODAS VÃO DIZER: PRA MIM TAMBEM! !!!
      E o barato e que tudo vai passar.. e vamos sentir saudades!!!

  4. Bom.. minha primeira frustração foi ainda na gestação, que ia de vento em polpa e eu me orgulhava muuuuito de ser uma gestante tranquila, sem neuras, sem enjoos, enfim. Mas de repente ela foi interrompida no início do 7º mês pela bendita “pré-eclâmpsia”. Poxa vida, pq cargas d’água eu não poderia fazer meu book gestante, meu chá de bebê.. Mas, frustração à parte, minha bb nasceu somente com baixo peso e sem nenhum problema de saúde. A frustração maior passei durante os 45 dias em que ela ficou no hospital e nosso contato era limitado.. parecia que eu não tinha filha. Mas graças a Deus, quando ela foi pra casa, tudo mudou. Toda frustração passou e só havia vontade de ficar juntinha dela… não me lembro de ter passado por mais nenhuma…

    1. Ola Adriana,

      Imagino como foi frustrante pra você no início, mas que bom que tudo passou e agora você pode curtir bastante sua filha. Vida de mãe não é fácil mesmo! Obrigada por compartilhar sua experiência com a gente!

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.