Bebê de 2 anos: crise dos 2 anos

Crise dos 2 anos: como lidar com a adolescência do bebê

Olá meninas, já contamos sobre “a terrível (e incrível) fase dos 2 anos de idade”, período também conhecido como a crise dos 2 anos ou adolescência do bebê. Eu me lembro bem que com 2 anos a minha filha não queria de jeito nenhum dar a mão pra gente quando andávamos com ela na rua ou caminhávamos no shopping. Nós, mamães, ficamos bravas quando nossos bebês são tão teimosos, não é mesmo?

Mas esse comportamento da crise dos 2 anos é normal e simplesmente faz parte do desenvolvimento dos bebês. Segundo a diretora, psicóloga e psicanalista do berçário bilíngue Primetime Child Development, Christine Bruder, por volta dos 2 anos de idade a criança geralmente apresenta maior independência motora, comunica-se melhor e possui vocabulário mais amplo, e então ela passa a querer fazer tudo sozinha, tomar decisões e afirmar sua individualidade. E aí começam os conflitos …

Para ajudar as nossas leitoras que vão entrar na crise dos 2 anos ou já estão nessa fase, separei algumas dicas da psicóloga Christine:

1. Identifique a adolescência do bebê
Geralmente a criança de 2 anos diz muito “eu faço” e “não”. Ela quer, por exemplo, colocar os sapatos sozinha e atravessar a rua sem segurar na mão do adulto. Para se afirmar, a criança se opõe passando a dizer não à maioria das coisas que antes eram aceitas com tranquilidade, fazendo com que as coisas simples do dia a dia se tornem momentos desafiadores para os pais e filhos dessa idade. Este comportamento dura aproximadamente até os 3 anos.

2. Prepare-se para os “nãos”
Diante da negação a tudo dos filhos, os pais devem se manter firmes quanto aos limites das crianças, principalmente sobre o que envolve segurança e saúde, dando escolha à criança nas demais circunstâncias. Portanto, procure ser consistente na manutenção dos limites.


3. Aprenda a lidar com as birras
Quanto ao comportamento de birra em locais públicos, a dica é tentar prevenir, ou seja, combinar com a criança antes o que será feito durante o passeio. Caso não seja efetivo, retire-se do ambiente público, espere a criança ficar calma e dê nome aos sentimentos dela checando os motivos que a levaram a se sentir assim. A conversa deve ser curta e objetiva seguida de um “plano” para a próxima vez que saírem juntos.

Outros textos sobre birras: “4 passos para seu filho ser mais colaborativo (e diminuir as birras)” e “Birras e conflitos: como lidar com nossos filhos sem enlouquecer”

4. Ajude seu filho a passar pela crise dos 2 anos 
Procure dar opção de escolha ao seu bebê: dentre duas ou três escolhas pré-aprovadas, sempre que possível. Além disso, valorize com palavras as pequenas conquistas da criança, assim como as vezes em que ela cumpre o que foi combinado. E não se esqueça: procure manter a calma, pois assim você também estará ajudando o seu filho.

Meninas, espero que estas dicas da psicóloga Christine Bruder também ajudem vocês. Na minha opinião, quando entendemos melhor essa fase, as expectativas que temos em relação ao comportamento de nossos filhos também mudam e assim tudo fica mais fácil. Informação é tudo!

Nosso vídeo!
Ainda em relação às birras, fica a dica para vocês assistirem à entrevista que fizemos com a nossa colunista, a psicóloga infantil Ana Flávia Fernandes, sobre o birras e conflitos.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: Luciana Morassi

10799609_753530831384867_836884265_nCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

 

2 comentários em “Crise dos 2 anos: como lidar com a adolescência do bebê”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.