Foto de grávida: o que não pode na gravidez

O que pode (ou não) na gravidez: unhas, cabelos e pele

Olá meninas, afinal, o que pode e o que não pode na gravidez? Será que a gente já conhece todas essas informações? Neste post, a médica dermatologista Tatiana Aline Steiner, colunista do blog Mamãe Prática, explica pra gente todos os detalhes sobre esse assunto! Com a palavra, a Dra. Tatiana, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD):


A gravidez é um momento único e especial para as mulheres. Ao mesmo tempo, é uma fase de muitas dúvidas e questionamentos quanto aos cuidados com a pele, unhas e cabelos (leia aqui o que a gravidez faz na sua pele). É comum a mulher ficar insegura sobre a continuidade de algum tratamento, quais cremes ela pode usar ou não pode na gravidez e que tipo de produto deve ser evitado neste período.

É importante seguir cuidadosamente as orientações dos seus médicos ginecologista e dermatologista para se sentir segura e proteger seu bebê. Para ajudar nesse período, listei algumas recomendações relacionadas ao uso de produtos tópicos durante a gravidez. É importante, assim que souber que está grávida, conversar com seu dermatologista e obstetra para saber o que ainda é permitido neste período, pois alguns produtos podem causar danos ao feto.

A avaliação do risco de substâncias e cremes cosméticos em gestantes envolve inúmeros fatores, como período do ciclo gravídico, dose do produto, veículo, tempo de uso etc.
Há uma orientação, definida pelo FDA (Food and Drug Administration), que classifica o risco potencial para o embrião ou feto em categorias de risco, o que possibilita melhor esclarecimento quanto ao uso das substâncias:

Categorias de risco
A – Medicamentos ou substâncias com estudos controlados – não apresentam riscos.
B – Sem evidência de riscos em humanos.
C – O risco não pode ser afastado – faltam estudos adequados.
D – Evidência de risco.
E – Contra indicado na gravidez.

Assim, com base nas categorias de risco, seguem algumas recomendações relacionadas ao uso de produtos tópicos na gravidez:

Produto tópico Recomendação
(o que pode ou não pode na gravidez)
Antioxidantes A maioria dos cremes antioxidantes nutritivos são recomendados e estimulados. Substâncias como: vitamina C, vitamina E, Niacinamida, Coenzima Q10, Ácido alfa-lipoico e Polifenois de chá verde estão entre as substâncias permitidas.
Cremes com Vitamina C, além do efeito antioxidante, também têm ação clareadora e previnem as possíveis manchas gravídicas.
Clareadores São substâncias que devem ser evitadas. A maioria, como Hidroquinona, Ácido Kógico, Mequinol e Arbutin é Categoria C (o risco não pode ser afastado – faltam estudos adequados). (não pode na gravidez)
O Ácido Azelaico É categoria B (sem evidência de riscos) e pode ser usado nas concentrações de 15% a 20%, mas sempre com orientação médica. Ele tem ação clareadora e também antimicrobiana. Acaba sendo opção anti-inflamatória para acne e o tão temível escurecimento da pele, comum para muitas mulheres neste período.
Tensores São cremes que previnem a contração muscular excessiva e formação de rugas de expressão, como por exemplo Argireline, Deepaline, Myoxinol. Não há estudos até o momento que comprovem o seu uso seguro na gestação. (não pode na gravidez).
Secativos Um dos produtos indicados em caso de acne. Não é recomendado uso de ácido salicílico neste período. (não pode na gravidez)
Retinoides Retinoides e seus derivados (retinol e retinaldeído) são Categoria C e proibidos durante a gravidez. (não pode na gravidez)
Filtro solar Filtros são permitidos e devem ser usados diariamente.
Hidratantes corporais: São recomendados e devem ser utilizados para evitar estrias. A indicação é feita pelo dermatologista ou obstetra, pois são especiais para gestantes.

Dica: a drenagem linfática pode trazer muitos benefícios, mas só deve ser feita com permissão do obstetra. >> Leia aqui 6 dicas para evitar estrias durante a gestação.

Se a grávida tiver espinhas
Para as gestantes que sofrem com as espinhas logo no primeiro trimestre de gestação, é importante consultar o dermatologista antes de sair comprando cremes por conta própria. Cremes à base de ácido salicílico, normalmente recomendados para tratar a acne, não são indicados, pois estudos indicam que podem levar a anomalias no feto e diversas complicações na gravidez. A única substância enquadrada na categoria B, permitida, é o Ácido Azelaico, que possui apresentações comerciais em gel.

Cuidando dos cabelos
Os cabelos são também fonte de preocupação e geram muitas dúvidas neste período, principalmente em relação à segurança do feto. A orientação é clara:
– Nos três primeiros meses, qualquer tipo de tintura, clareamento ou reflexo está proibido. Além da amônia e do iodo, estes produtos costumam conter metais pesados como chumbo. (não pode na gravidez)
– Alisamentos, relaxamentos, escovas progressivas (inteligentes, chocolate e outros nomes) e qualquer hidratação que contenha formol, mesmo que na quantidade permitida pela Vigilância Sanitária, também estão proibidos. Há estudos que defendem que o uso de substâncias químicas como o glutaraldeído e até a carbocisteína (usados em produtos com a finalidade de alisamento) podem alterar o DNA das células, aumentando o risco do desenvolvimento de câncer. (não pode na gravidez)
– Nem mesmo a henna é permitida, pois muitos produtos são de qualidade discutível, podendo oferecer riscos à saúde. (não pode na gravidez)
– A liberação para realização de reflexo e alisamento deve ser realizada pelo ginecologista.

Dica: leia aqui sobre queda de cabelo no pós-parto.

Cuidando das unhas
Geralmente, fazer as unhas não traz riscos durante a gravidez, desde que a frequência não seja exagerada e que elas fiquem sem esmalte por alguns dias antes de esmaltá-las novamente. Algumas dicas:
– Existem poucos indícios de que as substâncias químicas usadas em esmaltes e removedores (como a acetona e o tolueno) possam trazer algum mal ao feto. Prefira os removedores com óleo que ajudam a manter a água na parte interna das unhas.
– É recomendável manter as unhas sempre hidratadas, pois dessa forma elas ficam mais bonitas, cuidadas e com aparência saudável. A hidratação pode ser feita com cremes específicos para as mãos ou com os próprios cremes corporais.
– Em toda gravidez, cautela nunca é demais; então tente fazer as unhas em um intervalo maior (a cada 15 dias, por exemplo).
– Escolha um salão que seja bem ventilado para evitar respirar vapores fortes dos esmaltes, acetonas e de outros produtos químicos usados no local.

Dermatologista Tatiana Steiner
Com seu olhar de mãe e médica, a dermatologista Tatiana Aline Steiner participa do blog com conteúdos para ajudar nós, mamães, diante dos desafios da maternidade, como quando nossos pequenos ficam doentes. Tatiana é mãe da Lorena e do Bruno, além de diretora técnica da Clínica DSkin – Unidade de Tratamentos.  Site: www.denisesteiner.com.br

 

Meninas, esperamos que este artigo seja útil para vocês. Compartilhem com as suas amigas gestantes! E se você é gestante, vale dar uma olhada nos posts desta Série Especial que tem até um alongamento especial para grávidas.

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Foto (maravilhosa): Lidilopez Fotografia

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.