Buffet infantil

Diversão segura: 7 cuidados na contratação de recreação e buffet infantil

Olá amiga leitora. Minha filha adora brincar nas festas de buffet infantil, já que geralmente estes locais são cheios de brinquedos, como piscinas de bolinhas, camas elásticas e mais um monte de outros brinquedos que fazem toda criança não querer nem comer na festa (pra não parar de brincar). Por isso, gostei muito das dicas da nossa colunista, a Flávia Sphair, da Inventos em Eventos, sobre os cuidados na hora de escolher um buffet infantil, o serviço de recreadores ou apenas se você irá apenas alugar alguns desses brinquedos, como a cama elástica. Com a palavra, a Flávia:

Meu filho vai fazer 3 anos no próximo mês e vamos comemorar! Claro que estamos muito animados com os preparativos, mas além de comidinhas, decoração e toda parte divertida, como mãe, também há algo essencial que entra dentro dos preparativos da festa: a segurança com profissionais e brinquedos em buffet infantil.

Vocês devem desejar tanto quanto eu que seus filhos brinquem em ambientes seguros e adequados, certo? Tanto para meu menino (e para o próximo que está pra chegar na barriga desta mamãe) como para seus primos e amigos, é importante incluir na organização uma análise criteriosa no quesito diversão segura – seja em um buffet infantil que tenha seus próprios brinquedos, seja para brinquedos locados para a sua festa (em casa, no clube, etc.), ou, ainda, empresas e profissionais contratados e que realizem brincadeiras com os pequenos: tudo é importante.

Muitas vezes passamos batido nisso na hora de planejar uma festa, e como gostamos demais de brincadeiras, mas sabemos que isso é coisa séria, daremos algumas dicas e ideias sobre isso hoje.

Infelizmente, não existem diretrizes oficiais ou normas oficiais sobre isso. Ainda assim, algumas observações simples e análises visuais podem já ajudar muito. Algumas sugestões:

7 cuidados na contratação de recreação e buffet infantil

1. Reúna-se previamente com quem você quiser contratar
Como com um animador, mágico ou quem mais desejar. Você saberá o quão educado, paciente e cuidadoso ele é, se os materiais que ele possui estão em bom estado, e tudo mais o que desejar saber. Claro que você pode pedir indicações de amigos, mas não confie 100% na opinião dos outros. Faça uma listinha de dúvidas para não esquecer de nada na hora de conversar para não deixar escapar nada.

2. Observe quem você irá contratar
Um profissional responsável e sério não peca em coisas pequenas. Se ele se atrasar para se reunir com você, não der retorno de ligações ou “te enrolar” de alguma forma, antes da festa, a probabilidade de problemas acontecerem no dia é real: ele pode atrasar para chegar e não dar satisfação (enquanto você estará nervosa e ansiosa para vê-lo), ou não realizar as atividades que vocês desejavam, enfim, aí a animação vira dor de cabeça.

3. Peça comprovantes e contratos
Não precisa ser nada elaborado, mas a contratação de um serviço envolve, é claro, a documentação necessária. Um contrato simples com a duração e atividades propostas com assinatura das duas partes é uma maneira muito mais segura de contratar. E não hesite de pedir ao menos algum comprovante da prestação de serviço e de seu pagamento.

4. Visite o espaço antes de fechar o contrato
Mesmo que já tenha ido alguma vez ao buffet infantil, é interessante ir ao local e conversar sem ter uma festa acontecendo. No buffet, você pode verificar com calma o estado dos brinquedos: se há rasgos, quebras ou qualquer coisas danificadas e que possam oferecer algum tipo de risco. Itens como a própria manutenção do barracão, se tem algo quebrado no teto, buracos, piso ruim, questões da edificação em um todo. Não precisa ser algo tão minucioso, mas que em uma visita simples você não encontre estes problemas aparentes.

5. Verifique se haverá funcionários e monitores treinados
Pessoal capacitado para operar e orientar as crianças é fundamental em um espaço em que muitas delas estarão a todo o vapor brincando. Monitores treinados vão zelar pela segurança dos pequenos: permitir somente a faixa etária correta de entrar nos brinquedos; não permitir que um número excessivo de crianças brinque em algo que possui capacidade máxima e até mesmo serem chatos, se necessário, quando crianças (ou mesmo adultos) insistirem em brincar de maneira errada.

6. Observe se há recomendações de idade para uso nos próprios brinquedos
Nem todo brinquedo é adequado para toda criança. Veja se há informação da faixa etária que o brinquedo pode ser utilizado ou alguma recomendação especial (por exemplo, se for algo em espaço fechado, é bom ter alguma indicação para pessoas que não se sentem confortáveis em locais assim).

7. Faça você também a sua parte
Não adianta o buffet infantil ter as melhores recomendações e cuidados quando você e/ou seus convidados pedirem pra “dar um jeitinho” e utilizarem a estrutura de maneira inadequada. Fiquei muito satisfeita quando fui em um parque infantil e uma monitora comentou que ela não permite crianças de uma faixa etária menor utilizarem brinquedos apenas permitidos aos maiores, mesmo quando algum pai ou mãe insiste em colocar seu filho nele sem seguir a recomendação correta. Sabemos que algumas crianças (e pais) são bem insistentes, mas não podemos deixar que seu desejo interfira em sua segurança. A consciência dos responsáveis é fundamental!

4 dicas práticas na hora de locar os brinquedos

1. Procure empresas confiáveis e conheça as marcas
Converse bastante com a empresa ou a pessoa que irá contratar os brinquedos. Práticas simples de mercado, como oferecer um contrato de locação, nota fiscal, etc. já mostram a seriedade da empresa. Você também pode perguntar sobre a manutenção dos brinquedos e experiência dos responsáveis em relação a isso. Mesmo nos parquinhos já instalados, você pode ver a marca e o estado deles para uso.

2. Acompanhe o recebimento e a montagem
Logo que a empresa chegar, confira as condições mínimas de uso e que qualquer leigo pode perceber: se não há rasgos ou furos, se os brinquedos não parecem velhos ou desgastados, se estão limpos e bem apresentáveis, e, no caso de identificar algum problema, ainda há tempo de pedir para trocar algum equipamento. Também acompanhe o local onde o brinquedo é montado, preferencialmente plano e sem riscos de acidentes pelo local selecionado não ser adequado.

3. Conheça e siga as instruções dos equipamentos
Se na instrução da cama elástica diz para uma pessoa de cada vez brincar, é um de cada vez e pronto. Se já vi isso acontecer em uma festa com muitas crianças? “Não, imagina”, rsrrsrs… e já vi muita criança chorando depois que “o amigo caiu em cima dela”. Tem gente que diz que é bobagem, mas, às vezes pode acabar em algo mais sério.

4. Se possível, contrate monitores também
Por mais que os pais acompanhem e estejam próximos de seus filhos na festa, eles também estão entre amigos e desejam confraternizar, e a distração acontece. Por isso, contratar monitores para auxiliar as crianças e evitar perigos (aquelas coisas simples do tipo, “não é para escorregar de costas”) é uma boa, pois a pessoa estará trabalhando para isso. Ela poderá ajudar e orientar as crianças, auxiliando na prevenção de acidentes.

Para finalizar, encontrei algumas dicas específicas e muito úteis de uma reportagem realizada pelo jornal Gazeta do Povo com alguns profissionais (link no fim deste post) sobre as camas elásticas e infláveis:

Camas elásticas
– Crianças com menos de 1 ano não devem utilizar o brinquedo. Acima dessa idade, as crianças devem brincar sozinhas, para evitar traumas decorrentes de choques entre duas pessoas.
– Observe se as estruturas do brinquedo estão em boas condições, como as molas, a lona (tecido) e as redes de proteção. As molas e estruturas devem estar protegidas por panos, e deve haver espuma entre o material e o tecido para amortizar o contato.
– A superfície onde o brinquedo será instalado deve ser plana, para evitar que, com os choques provocados pelos pulos, a cama não se desequilibre e caia.
– Não permita brincadeiras em locais molhados, que potencializam escorregões e facilitam as torções.
– Não permita que a criança entre no brinquedo com calçados, nem com objetos pontiagudos que podem machucá-las e ainda rasgar o material.
– Deve haver sempre um adulto supervisionando a brincadeira, de preferência, um monitor fornecido pela empresa locadora.
Fontes: médicos Jamil Faisal Soni, Rodrigo Kruchelski Machado e ONG Criança Segura

Brinquedos infláveis
– Os brinquedos devem ter pontos de ancoragem que os impeçam de sair voando ou caírem em cima de uma criança. O recomendado é que cada um tenha, em média, quatro pontos de fixação.
– Não permita o uso se o vento estiver acima de 35 km/h, pois acima dessa velocidade o brinquedo pode se deslocar a causar acidentes.
– Todo brinquedo deve possuir uma válvula no orifício de ar para impedir que o esvaziamento seja rápido demais, permitindo uma evacuação segura.
– Os fios do motor que enchem os brinquedos não podem estar em contato com o público.
– A presença de um monitor é obrigatória.
– As normas devem estar fixadas no próprio brinquedo, em lugar visível.
Fonte: ABNT/ José Carlos Lauter

Aprendi muito sobre o tema e por via das dúvidas: se o tempo virou, se o brinquedo rasgou ou alguma coisa aconteceu, não use. Mesmo que as crianças não fiquem tão felizes, é melhor do que elas acabarem machucadas.

Recomendo a leitura de outras fontes (aqui, aqui e aqui) para mais detalhes de segurança de brinquedos.

Flávia SphairFlávia Sphair é turismóloga com ênfase em Eventos e amante de festas. A organização do Chá de Bebê de uma amiga e o nascimento do seu filho Mateus a inspiraram a se tornar mamãe empreendedora (da Inventos em Eventos) e hoje Flávia cria brincadeiras originais e divertidas para eventos especiais.

Dica: as nossas leitoras ganham 10% de desconto nas opções de brincadeiras e produtos da loja virtual da Flávia! Basta escrever no pedido (no campo de mensagem ao vendedor): “sou leitora do blog Mamãe Prática”. Vale aproveitar!

Foto: Arquivo pessoal/Inventos em Eventos

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

13 comentários em “Diversão segura: 7 cuidados na contratação de recreação e buffet infantil”

  1. Achei seu post super pertinente. Um ótimo alerta para nós que queremos sempre um ambiente de diversão e segurança para os pequenos.
    Realmente é preciso escolher bem os locais para não termos surpresas desagradáveis.
    ótimo post.

  2. Eu já fiz festa em buffet e já fiz em casa com monitores. O segredo é mesmo buscar as referências e os validadores das atividades/brinquedos.
    adorei o post
    bjs
    Lele

  3. Gentem… adorei as dicas de vocês! Estou procurando buffets para fazer a festa da minha filha e tenho muito medo de contratar gato por lebre! Conheçam também o site Buffets Infantis, vale muito a pena. Encontrei diversos buffets infantis e casas de festas que eu nem imaginava que existiam para a festa da minha filhinha. Buffets lúdicos, alternativos e diferenciados… tem tudo lá! Vale a pena dar uma conferida. O site é http://www.buffetsinfantis.com.br…bjos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.