licença maternidade

Fim da licença maternidade: voltar ou não ao mercado de trabalho?

Olá meninas, para você que está em licença maternidade ou planeja ter um segundo, terceiro filho e, por isso, não sabe o que vale mais a pena: ficar em casa e se dedicar exclusivamente aos filhos ou voltar para o mercado de trabalho, recomendamos a leitura deste artigo.

Ele foi escrito especialmente às leitoras do blog Mamãe Prática pela Vanessa Ribeiro, que é mãe de três, administradora, especializada em gestão de projetos e master coach cognitivo comportamental.

De uma forma muito objetiva, clara e sensível, Vanessa nos ajuda a refletir sobre esse momento tão delicado do fim da licença maternidade. Vanessa também é idealizadora do Programa Mamãe de Sucesso e ajuda mães a criarem a vida e o trabalho que sempre sonharam. Com a palavra, a Vanessa:

Há negros e brancos, pobres e ricos, corintianos e palmeirenses, espíritas e evangélicos. Uma série de classificações que separam as pessoas em “panelas”, mas para a maternidade não há separação.

Toda mãe sorrirá ao primeiro toque e sofrerá com o bico rachado. Toda mãe sofrerá com o fim da licença maternidade por mais que, de certa forma, o retorno ao trabalho seja um alívio para a sobrecarga da maternidade exclusiva.

Depois da maternidade, toda mulher se depara com três cenários que marcam a sua vida e, por consequência, a de seus filhos: volta ao mercado de trabalho, cuidar exclusivamente da família e da casa ou empreender.

  1. Voltar ao mercado de trabalho após a licença maternidade

A maioria das mães fica aflita em deixar seu bebê aos cuidados de terceiros, mas para quem sempre trabalhou fora abandonar a carreira é uma decisão muito difícil e só é tomada quando o salário não vale o custo com os cuidados do bebê ou quando a mãe já estava insatisfeita e não suporta a ideia de voltar para o trabalho.

A mãe que volta para o trabalho vive tendo que equilibrar todos os pratos na tensão de que uma hora um dele cairá. Como é difícil sair do trabalho para levar o filho ao médico ou ir para uma reunião da escola. Emendas de feriado são um pesadelo na vida desta mãe que não tem com quem deixar o filho para ir trabalhar. Trânsito, reuniões inacabáveis, criança doente e os dias em que a babá resolve faltar parecem um terror noturno!

Eu sei bem tudo o que esta mãe passa, pois eu vivi mais de 8 anos neste cenário.

2. Cuidar exclusivamente da família e da casa

Apesar da oportunidade de acompanhar de perto cada etapa do desenvolvimento dos filhos, esta mãe sofre com a dependência financeira do marido. Além disso, a vida exclusiva de dona de casa gera um sentimento de exaustão e alienação do mundo.

O pior é que depois que os filhos crescem muitas se sentem deprimidas e perdem o sentido da vida. Muitas vezes, este cenário não é opção, mas sim falta de opção. Como revela uma pesquisa recente da Revista Catraquinha, 50% das mães são demitidas em até 2 anos após a licença maternidade.

3. Empreender

No Brasil ainda é muito raro empresas que oferecem oportunidade de trabalho em home office. Por este motivo, muitas mães decidem empreender para conciliar carreira e maternidade.

Enquanto eu sofria tentando conciliar o que é inconciliável, empreender parecia algo muito distante para mim. Eu sentia que não seria capaz: poderia dar tudo errado e aonde é que eu encontraria dinheiro e tempo para isso?!

Até que eu me deparei com a seguinte frase: “Empreender é identificar oportunidades, agarrá-las e buscar recursos para transformá-las em um negócio lucrativo”.

Se você se atentar a esta descrição sobre empreendedorismo e olhar ao seu redor, perceberá que é possível transformar as suas paixões e habilidades em um negócio lucrativo.

O que levar em consideração para fazer a escolha mais assertiva?

1. Seu Sonho

Para qualquer decisão na sua vida, pensar sobre os seus sonhos deve ser sempre levado em consideração. Então, se você precisa decidir entre retornar ou não da licença maternidade, ou se você já tomou uma decisão, mas ainda está insatisfeita, eu te convido a refletir nas questões abaixo:

Qual é a sua missão no mundo?
O que você quer para a sua vida?
Quais histórias você quer contar para os seus netos?
Como será a sua velhice?
Se você continuar seguindo a rota em que está, aonde você estará daqui a 10 anos? E daqui a 20 anos?

Ah, esta última questão foi a que me fez cancelar o percurso antigo e construir uma nova jornada.

2. Sua situação atual

É impossível traçar uma rota para qualquer lugar se você não tiver o endereço de partida.

Sim, você deve sempre seguir o seu sonho, mas para construir a rota que o levará até ele você precisa avaliar como está a sua vida hoje.

Então eu te convido a pensar:
O que está acontecendo na sua vida hoje?
O que mais te incomoda?
O que você faria se você não precisasse trabalhar?

3. Seus valores

Os nossos principais valores guiam a nossa vida. Quando estamos bem é porque estamos vivendo em comunhão com os nossos valores. Quando entramos em conflito com alguém ou com alguma situação é porque os nossos valores estão sendo colocados em risco.

Quando eu optei por voltar ao mercado de trabalho é porque eu precisava de liberdade. Depender do marido para mim seria o fim da picada.

Mas o meu valor família está acima do valor liberdade e foi ameaçado quando fui chamada para uma conversa com a professora da minha filha e recebi a notícia de que ela estava muito triste, chorava do nada e ficava nervosa com os colegas por qualquer coisa. O que ela estava levando para a escola era sintomas da minha ausência por conta da árdua demanda do trabalho e da insatisfação que eu vivia naquele momento.

Naquele momento, eu decidi que precisava arriscar uma nova vida. Tinha de buscar a felicidade, porque a única maneira de ensinar nossos filhos a serem felizes é sendo feliz.

Para descobrir seus valores eu te convido a refletir nestas questões:

O que é mais importante para você?
Para quê você realmente precisa de dinheiro?
Qual é o seu maior objetivo hoje? Por quê? Para quê?

Vanessa RibeiroVanessa Ribeiro é Administradora, especializada em gestão de projetos e Master Coach Cognitivo Comportamental, mas acima de tudo é mãe da Gabi, do Dan e do Re. Vanessa é idealizadora do Programa Mamãe de Sucesso e ajuda mães a criarem a vida e o trabalho que sempre sonharam.

O que achou deste artigo sobre o retorno ao trabalho (ou não) após a licença maternidade? Deixe seu comentário e compartilhe o texto com as suas amigas.

Se você se identificou com este artigo e sente que a vida não está no rumo que você realmente sonhou. Se você deseja construir uma vida e um trabalho alinhados com os seus valores e estilo de vida, a Vanessa te convida a conhecer o Programa Mamãe de Sucesso.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Fotos: Divulgação/Vanessa Ribeiro

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta