Arquivo da tag: blog de mãe

Como manter nossos filhos longe de gripes e resfriados

Quem tem bebê ou criança pequena sabe como a chegada do do clima mais frio e seco costuma afetar a saúde dos pequenos. Isso porque é nessa época que eles ficam mais suscetíveis à gripes, resfriados e alergias respiratórias. No inverno passado, quando o Serginho tinha acabado de completar um ano, ele pegou uma baita gripe e foram algumas semanas de muita inalação, remédios e higienização nasal.

Pensando nas nossas leitoras mamães de bebês e crianças pequenas, achei legal dividir com vocês as informações e dicas enviadas pra gente pela médica Maura Catafesta das Neves, otorrinolaringologista do Hospital Universitário da USP (Universidade de São Paulo).

Segundo ela, crianças com menos de dois anos têm, em médica, seis infecções respiratórias virais por ano (é muito coisa né gente!), enquanto nós, adultos, temos uma média de duas a três infecções respiratórias ao ano.

Continue lendo Como manter nossos filhos longe de gripes e resfriados

Como escolher o melhor leite para nossos filhos

No mês passado participei de um encontro com o pediatra Jairo Len sobre as principais dúvidas que envolvem a alimentação infantil. Foi um bate-papo tão bacana que me inspirou a escrever esse post para esclarecer um tema que eu sempre tive dúvidas: a escolha do melhor leite para os nossos filhos. São tantas as opções de leite em pó e fórmulas infantis que depois que o Serginho desmamou fiquei muito confusa sobre qual leite dar pra ele, mesmo com as orientações da pediatra.

Antes de tudo, vale lembrar aqui que o leite materno é sempre o melhor alimento para os bebês. A amamentação é recomendada de forma exclusiva até os seis meses e, preferencialmente, até dois anos ou mais, segundo as sociedades médicas e a Organização Mundial de Saúde (OMS). Eu sempre defendo e estimulo o aleitamento materno porque são inúmeros os benefícios para a saúde e o desenvolvimento do bebê, além do vínculo com a mãe etc.

Bom, se você, assim como eu, quer entender melhor quais são os tipos de leite para os bebês e as crianças (até por volta de 5 anos) vai gostar de ler essa entrevista que fiz com o pediatra Jairo Len (obrigada querido Jairo por esclarecer essas questões!). Veja só:

Continue lendo Como escolher o melhor leite para nossos filhos

Resoluções de uma mãe para o Ano Novo: o que saiu do papel

No início deste ano, escrevemos para o site da Pais &  Filhos e divulgamos aqui no blog também as “Resoluções de uma mãe para 2014” que descreviam, de forma bem humorada, nossas metas, aspirações e desejos de mudança desde que nos tornamos mães.

Passado quase um ano, a pedido da revista, fizemos um balanço do que conseguimos (ou não) realizar a partir dessa lista de resoluções que, apesar de não ser muito longa, não era tão simples de ser cumprida, já que temos filhos pequenos para cuidar. Analise com a gente o resultado:

  1. Brincar mais com as crianças, principalmente ao ar livre
    Sim! Os passeios não foram tão diversificados, mas levar as crianças no parque ou na pracinha perto de casa se tornou algo frequente na nossa rotina, mesmo que tivéssemos que deixar a montanha de louça suja na pia ou a roupa pra passar. Ponto para nós 😉
  2. Contar mais histórias aos filhos (pode ser com a ajuda de livros, tablets, computador ou só usando a imaginação mesmo)
    Sim! Como a Manu já está maior, com mais de dois anos, a Mari conseguiu envolvê-la mais nas histórias infantis por meio de livrinhos e computador de mão (e na hora de dormir a história da Branca de Neve é a preferida!). Já o Serginho, que completou um ano em julho, ainda não presta muito atenção, mas curte folhear livrinhos com a ajuda da mamãe Fabi.
  3. Convencer os filhos a comerem frutas, legumes e verduras (aqui dar o bom exemplo faz toda a diferença!)
    Sim! Nessa área tivemos a sorte das duas crianças gostarem de frutas e legumes. Suco variado, cenoura, batata e tomatinho cereja, por exemplo, não podem faltar por aqui! A Mari até arriscou fazer receitas diferentes e criativas com legumes para a Manu (como omelete com legumes) e pasmem: a beterraba é devorada pela pequena como se fosse um doce.
  4. Não ficar estressada com a bagunça das crianças
    Entre sim e não, a resposta é mais ou menos! Não tem como negar, casa bagunçada com brinquedos e roupas espalhadas tira a gente do sério. Mas, pelo menos, não surtamos com isso, deu para levar a situação numa boa.  (Veja também: “Dicas simples para organizar os brinquedos”)
  5. E não ficar estressada com a bagunça do marido…
    SIM! Aqui a gente tem que dar o crédito para os nossos maridex que têm ajudado bastante em casa e também têm evitado muita bagunça, para o nosso alívio (risos).
  6. Deixar a preguiça de lado e fazer exercício físico três vezes por semana!
    SIM! Ao longo de todo o ano conseguimos manter uma rotina de exercícios. A Mari faz caminhadas e exercícios na esteira, mesmo que pra isso tenha que acordar às 6h40 da manhã, e a Fabi vai nadar pelo menos duas vezes por semana.
  7. Arranjar tempo para se dedicar a finalmente emagrecer (o que inclui dieta, reeducação alimentar, mais exercícios…)
    SIM! Uhuuuu! Confessamos que esse era um dos itens mais difíceis da nossa lista porque sobrepeso é um problema antigo por aqui e as mudanças exigem bastante força de vontade e dedicação, mas conseguimos! A Mari então está de parabéns: emagreceu 10 kg e já está na fase da manutenção. A Fabi eliminou sete e continua na luta contra a balança, mas como dizemos “somos brasileiras e não desistimos nunca” (risos).
  8. Cuidar mais de si mesma (do cabelo, da pele, das unhas, da mente…)
    Não… Apesar de termos cuidado melhor da alimentação e praticarmos regularmente exercícios físicos, não dá para negar que faltou arranjar mais tempo para outros cuidados que toda mulher merece como arrumar mais o cabelo, fazer uma limpeza de pele, um curso diferente… e que saudade de fazer as unhas toda semana!
  9. Dedicar-se à carreira com menos culpa por ficar longe dos filhos.
    SIM! Aqui a gente tem a vantagem de poder trabalhar em casa e sermos blogueiras, o que facilitou bastante a nossa vida para estarmos perto dos nossos filhos. Mas sabemos que muitas mães não têm essa opção e o fator culpa pesa bastante nessa hora.
  10. Ler um livro que realmente te envolva (principalmente aqueles romances bobinhos kkk)
    Não… Puxa vida, essa é uma meta que fez muita falta e ficou difícil de conseguir tempo para realizá-la, mas vai entrar nas prioridades do próximo ano, com certeza.
  11. Passear e namorar mais com o maridão (afinal, ele também precisa de atenção, né?)
    Não… caramba a sensação é que o tempo passou muiiito rápido e programas a dois praticamente não rolaram. Faltou priorizar, com certeza, e pedir ajuda para alguém ficar com os pequenos!
  12. Praticar o desapego e doar tudo o que a família não usa há, pelo menos, um ano.
    SIM! E foi muito bom para ter mais espaço no guarda-roupa e nos armários. Parece que doar o que já não se usa faz bem para a casa e nossa própria mente.
  13. Ter mais paciência com as crianças e com o marido (nem que a gente conte várias vezes até 10!)
    SIM! Claro que paciência tem limite e alguns surtos aconteceram no meio do caminho, mas no geral, a calma prevaleceu sobre a vontade de esganar todo mundo kkk
  14. Aprender a cozinhar melhor para fazer comidinhas gostosas.
    SIM! e Não… aqui a Mari também está de parabéns porque tem feito comidas bem gostosas e diferentes, mas a Fabi com o Serginho de 1 ano ainda não consegue fazer muitas coisas na cozinha fora do tradicional, apesar da alimentação estar mais saudável.
  15. Ligar mais para as amigas (e conversar sobre outras coisas que não sejam apenas os filhos!).
    SIM! E isso é muiiiito bom, faz muito bem pra gente conversar e estar mais com as amigas. Aqui temos que confessar que os aplicativos no celular ajudam bastante, santa tecnologia kkk
  16. Ficar menos tempo no Facebook, no computador e curtir mais a vida offline com a família.
    Humm … difícil responder esse item porque apesar de curtirmos bastante a família, as redes sociais e o blog já fazem parte da gente (risos). Então, a resposta é Não…
  17. Comprar uma lingerie bem bonita e, por que não?, sexy para se sentir bem (importante para dar uma ajudinha no item 11 desta lista rs rs rs)
    Não… ai ai ai esta parece ser uma tarefa tão fácil né?, mas ficou para trás. Vai já para as prioridades de 2015!
  18. Tirar pelo menos um dia do mês para, simplesmente, não fazer nada, apenas descansar, ver um filme, ler um livro, dormir…
    Não… será que alguma mãe nessa face da Terra consegue fazer isso? Se sim, precisamos descobrir o segredo de quem consegue (risos).
  19. Ser mais organizada, principalmente com a casa, o guarda-roupa e as coisas dos filhos (mas sem neura!)
    SIM! Claro que a organização não é 100%, mas é até melhor que seja assim, mas tranquila e sem estresse.
  20. Tentar cumprir pelo menos 50% dessa lista, mas não ficar estressada se não conseguir, afinal, mãe parece a Mulher Maravilha, mas, na verdade, é feita de carne e osso como todo mundo!
    Cerca de 60% dos desafios cumpridos. Será que a gente merece uma estrelinha? (risos)

Mamães, o que acharam da nossa listinha e resultados? Vocês também conseguiram realizar suas resoluções de Ano Novo? E o que desejam para 2015?

Beijos, das Mamães Práticas Fabi e Mari

Foto: Daniela Sanchez/freeimages

*Texto produzido originalmente para o site da Pais & Filhos

logo_ClubeMamaePraticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

Anemia na gravidez: conheça os sintomas

A anemia de ferro pode ser uma doença silenciosa e é preciso ficar atenta aos sintomas, principalmente quando estamos grávidas. Eu mesma, quando era adolescente, só descobri que estava com uma anemia profunda após um episódio de desmaio. Por isso, durante a gravidez, segui com cuidado todas as orientações da minha médica, fazendo os exames de sangue que ela pedia e, claro, sempre de olho pra saber se havia alguma deficiência de ferro.

No caso das gestantes, os indícios dessa deficiência podem ser cansaço, tonturas, queda de cabelo, dores de cabeça e nas pernas, além de falta de apetite e de concentração. Portanto, esses sintomas não são normais durante a gestação, mas sim indícios de anemia.

Continue lendo Anemia na gravidez: conheça os sintomas