Bebê comendo papinhas

Papinhas: como oferecer ao bebê passo a passo

Olá meninas, começar a fase das papinhas é um tema de muito interesse entre as nossas seguidoras, mas também de muitas dúvidas. Eu já contei aqui como fiz a introdução alimentar da minha filha Manuela, minha fofura que mesmo agora maiorzinha continua comendo de tudo, de tudo mesmo!

Na minha opinião, o sucesso das papinhas se deve a dois fatores: muita insistência da mãe e uma correta orientação profissional, neste caso da pediatra da minha filha, a querida Claudete Teixeira Krause Closs, que também é coordenadora do Proama – Programa de Aleitamento Materno, de Curitiba (PR). Veja que quando digo “insistência” não significa enfiar pela goela abaixo a papinha, mas sim não desistir, continuar a oferecer sempre, mesmo que em alguns dias seu bebê não queria comer nada.

Outros pontos para o sucesso da introdução das papinhas são seguir sempre uma mesma rotina alimentar, não usar o liquidificador, ou seja, amassar tudo com o garfo e não passar na peneira e, ainda, fazer a introdução de formal gradual para que o bebê possa ir acostumando aos poucos com as diversas texturas e sabores dos alimentos. É o que eu mostro a seguir, conforme a sugestão/orientação da Dra. Claudete:

Rotina para a introdução das papinhas (para os bebês que mamam no peito):

6º mês
Chegou o momento tão esperado: seu bebê vai conhecer as papinhas! Veja a rotina para o 6º mês:

Manhã Mamada ao acordar

Fruta da manhã: mamão papaia, maçã ou banana* (cerca de 2 horas e meia depois da mamada)
*Não há restrição ao tipo de banana, mas os bebês tendem a aceitar melhor a banana nanica, por ter um sabor mais adocicado. O mamão papaia também é prático no dia a dia: a mamãe come uma metade e o bebê a outra.

Tarde Almoço: papinha salgada (com arroz ou batata, cenoura*, carne moída e temperos como salsinha e cebolinha)
*Depois de 15 dias, você também pode começar a oferecer chuchu, abobrinha e abóbora.Mamada da tarde (pelo menos 1 hora depois da papinha salgada)Fruta da tarde (mamão papaia, maçã ou banana) ou suco de laranja lima
Noite Mamadas da noite

Importante: recomenda-se um intervalo de, pelo menos, 1 hora para dar a mamada após as refeições, pois tanto o cálcio quanto o ferro são absorvidos pelo organismo por meio do intestino. Então, o cálcio do leite materno “compete” com o ferro, não deixando este último ser absorvido e podendo assim gerar anemia no bebê.

7º mês
No 7º mês, deve-se seguir a mesma rotina do 6º mês, mas com os seguintes acréscimos: incluir papinha salgada no jantar e começar a oferecer feijão*.

Em relação às papinhas de frutas, você também pode começar a incluir outras frutas além do mamão, da maçã e da banana, pois apenas o morango (pelo agrotóxico) e o abacaxi (pela grande acidez) possuem restrição no primeiro ano.

*Como oferecer e preparar o feijão
1. Ofereça não apenas o caldo, mas o grão cozido e passado na peneira (para tirar “a casquinha”). E depois de algum tempo, quando o bebê já tiver dentinhos, pode-se apenas esmagar o feijão cozido com o garfo, sem passar na peneira.
2. Para oferecer o feijão e evitar dores na barriguinha do bebê, antes de cozinhá-lo, deixe-o de molho na água de um dia para o outro. Quando for cozinhá-lo na panela de pressão, despreze a água e cozinhe com uma nova água. Depois de pronto, abra a tampa da panela de pressão e deixe ferver por 5 minutos.

8º mês
No 8º mês, deve-se seguir a mesma rotina do 7º mês, mas com as seguintes novidades: você pode começar a variar as papinhas salgadas com lentilha e grão de bico (repetindo o mesmo processo de preparo do feijão), com outros legumes (como brócolis, couve-flor, couve manteiga e espinafre) e também com frango desfiado, miúdos de frango e fígado bovino.

Também é por volta do 8º mês que começa a se acrescentar a gema do ovo. Faça isso de forma gradual, ou seja, não coloque a gema inteira de uma vez, vá aumentando a quantidade aos poucos, mês a mês.

9º mês
No 9º mês, deve-se seguir a mesma rotina do 8º mês. Além disso, se não houver histórico familiar de alergia ao peixe, você também pode começar a incluir peixe na papinha salgada.

10º mês até 1 ano
A partir do 10º mês o bebê pode começar a comer o cardápio da família, com exceção dos alimentos com glúten (recomendados a partir de 1 ano). Mas a comida não deve conter sal e os alimentos ainda precisam ser amassados com o garfo.

Assim, recomenda-se incluir o macarrão (de preferência o macarrão de letrinhas, por ser bem pequeno) e o sal, de forma moderada, somente a partir de 1 ano de idade.


Meninas, espero que vocês também gostem desta rotina para a introdução gradual das papinhas. Aqui em casa foi excelente, por isso divido esta experiência também com vocês. As orientações da pediatra têm como referência o documento Dez passos para uma Alimentação Saudável – Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, do Ministério da Saúde.

Aproveito para deixar também a dica do e-book “O Manual das Papinhas”, da especialista em Nutrição Materno-Infantil Andréa Alves. Esse é outro material super completo que aborda tudo sobre a alimentação do bebê, além de dicas e receitas para facilitar o nosso dia a dia.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: freeimages.com/kimi bono

logo_ClubeMamaePraticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

5 comentários em “Papinhas: como oferecer ao bebê passo a passo”

  1. Calcio só compete com ferro quando se trata de leite de vaca ! Leite materno isso não acontece , o próprio Ministério da Saúde informa isso!

    1. Olá Juliana,

      Verificamos com a nossa entrevistada (pediatra) e ela nos confirmou que o cálcio do leite materno também compete com o ferro da alimentação complementar (a papinha de legumes), pois isto é comprovado cientificamente.

      Beijos, da Mamãe Prática Maria

  2. Olá, Mari!
    Vc conhece sobre introdução alimentar blw?

    Olha aqui um link legal:

    http://pediatriadescomplicada.com/2015/02/06/introducao-alimentar-entenda-o-metodo-baby-led-weaning-blw/

    😉

    É um método moderno de introdução alimentar. Que respeita a curiosidade do bebê em pegar nos alimentos e permite que ele experimente as texturas dos alimentos.
    O ganho disso tudo?
    Crianças melhor acostumadas com vários tipos de alimentos e comendo melhor.

    Vale a pena conhecer.
    😉

    Abraços fraternais,
    Aline

    1. oi Roberta. As quantidades podem variar dependendo da fase e apetite do bebê. Encontrei essa dica no site da revista Crescer que talvez possa te dar uma referência:
      – dos 7 aos 9 meses: de quatro colheres (das de sopa) a uma xícara
      – dos 10 aos 12 meses: uma xícara cheia
      – de 1 a 3 anos: um prato infantil cheio

      Espero que ajude! Beijos, Fabi

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.