Dicas para fazer o enxoval do bebê em Miami

Hoje em dia, é cada vez mais comum os brasileiros fazerem o enxoval do bebê em Miami, nos Estados Unidos. Mas, como fazer para comprar tudo o que precisa (que é muita coisa!) e voltar para o Brasil sem transtornos ou problemas com a alfândega?

Segundo a estilista e personal shopper Paula Laffront, que mora em Miami, raramente um casal que faz essas compras tem que pagar qualquer excesso de bagagem na hora de voltar para casa. “Isso se eles seguirem algumas regrinhas de ouro que passo para todos os meus clientes”, diz Paula, que realiza consultoria para a compra de enxoval de bebês em Miami.

Então, qual a forma ideal para arrumar as malas e fazer o transporte de todos os itens que os pais irão procurar com tanto cuidado e carinho para seu bebê? Paula explica que, normalmente, um enxoval desse tipo é composto de quatro volumes, que incluem duas malas grandes normais, a mala do carrinho e a caixa do bebê conforto. Quanto ao momento de organizar tudo para trazer para o Brasil, ela afirma: “É um pouco trabalhoso fazer as malas, mas se bem feito, você não terá surpresas de ter suas coisas quebradas, na hora do check in, nem na alfândega.”

Pedimos para a consultora preparar uma lista com dicas sobre o assunto. Nosso enfoque aqui é o enxoval em Miami, mas suas orientações são muito interessantes e valem para todos os pais que adoram viajar e, claro, também fazer muitas compras.

10 cuidados na hora de organizar as malas de volta para o Brasil

1. Disponha toda a sua bagagem sobre a cama para não esquecer nada ou não achar alguma coisa depois das malas fechadas. Nesta hora separe tudo o que vai para o saco a vácuo e o que é rígido.

2. Para diminuir o peso e maximizar o espaço, tire absolutamente tudo das embalagens! Tudo mesmo. Não leve lixo na mala. Nesta hora, fotografe as caixas que considerar importantes e que contenham instruções e guarde todos os manuais. Tire também todas as etiquetas e tags de preços das roupas. (Não sei exatamente se isso ajuda muito, mas é bom garantir)

3.Tenha em mãos tesouras, balança, sacos zip e fita adesiva.

4. Coloque os cremes, pomadas e tudo o que puder vazar em sacos zip. Afinal, você não quer abrir a mala e ter pomada de assadura espalhada no seu carrinho lindo e novo, né?

5. Faça uso dos lindos sacos a vácuo. Coloque nele tudo o que é de tecido – das roupinhas aos bichinhos de pelúcia, roupas de cama e mantinhas. Quando eu ou minha equipe organizamos as malas, levamos nosso aspirador de pó e com ele retiramos todo o ar, deixando tudo bem compacto e mais fácil na hora de organizar.

6. Em hipótese alguma use aquelas malas grandonas tipo saco, as famosas malas de “sacoleiras“. Elas são um trambolho, difíceis de carregar, chamam atenção na alfândega e não oferecem proteção alguma às suas compras.

7. Na hora de transportar o carrinho só existem duas formas seguras: na embalagem original da fábrica (caixa), com todas as proteções que já vêm neles (isopores e tal), ou na mala apropriada para transporte da mesma marca do carrinho. Todos os carrinhos bons têm malas de transporte específicas. Estas malas são feitas sob medida para o carrinho e têm proteção suficiente para despachá-lo. Usando a mala, você também não paga os excessos de tamanhos das caixas. Aproveite para colocar alguns cremes, pomadas e coisas pesadas na mala do carrinho. Normalmente não sobra muito espaço nestas malas, mas sobra peso. Então, pegue tudo o que é pequeno e pesado e coloque junto com o carrinho. O mesmo vale para o bebê conforto. Mantenha-o na caixa, pois assim ele viaja protegido. Na caixa do bebê conforto sobra bastante espaço. E dá para colocar muita coisa lá dentro. Aproveite cada espaço.

8. Antes de comprar a passagem confira a política de malas e o quanto cobram por cada excesso. Normalmente, por regulamentação da Infraero, os vôos de classe econômica permitem dois volumes de até 32 quilos por pessoa. Porém, vira e mexe acontece alguma exceção e você pode estar voando num avião menor onde não permitem excessos ou coisas do tipo. É raro, mas estas exceções existem. O melhor é se informar. Para as caixas também vale o limite de 32 quilos, porém o tamanho das caixas não pode ultrapassar 157 centímetros (somando todos os lados).

9. Distribua bem o peso entre os seus volumes, mas mesmo assim pese cada uma de suas malas enquanto estiver organizando, pois abrir a mala na hora do check in é um pesadelo!

10. E por último, mas não menos importante, a única forma de não ter problemas na alfândega e pagar aquelas multas absurdas, é declarar os itens mais caros e volumosos. Sugiro declarar o carrinho, o bebê conforto, a babá eletrônica e qualquer outra coisa mais cara e grande que você tenha comprado, principalmente alguns eletrônicos. Dessa forma você vai passar tranquilo pela alfândega, não pagará muito imposto, não pagará nenhuma multa e ainda assim cumprirá seu papel de cidadão.

Gostaram das sugestões?

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: Studio CL Art

logo_clube

Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

6 comentários em “Dicas para fazer o enxoval do bebê em Miami”

  1. Mari, tudo bem?
    Minha esposa e eu fizemos as compras em Miami. Na verdade, ela com 5 meses, viajou aos EUA e fez as compras. Com passagem de ida e volta e comprando em dobro (teremos gêmeos como vc viu em meu blog rs), saiu com mais barato e com uma qualidade superior se houvéssemos comprado aqui em Lima onde vivemos. Nem quero imaginar se fosse em São Paulo. Se tiver algum amigo ou parente lá, melhor ainda. Minha esposa teve a ajuda dela por lá para ir às lojas e aproveitar melhor os descontos. Houve uma, creio que Carters, que deu até um vale compra de US$ 200 devido ao volume de compras dela. Se calcularmos um bebê. ainda assim, sairia melhor comprar em Miami. Agora, o aeroporto, foi um golpe de sorte do destino. Agora, a logistica foi com 3 volumes grandes que foram divididos em 3 viagens: 1a) Minha esposa com o carrinho doble, cheio de coisas dentro, mais suas malas já estavam extrapolando em tamanho e em peso. A atendente de Lan (que em geral são uns robozinhos) foi um amor com ela e passou tudo sem pagar os excessos. Chegando em Lima, passou numa boa. 1 round ok. Os outros 2 volumes que continham os car-seats, vieram com esses amigos que viviam nos EUA, um veio depois de 15 dias e o outro em 30 dias. Passaram por um milagre de Deus e São Jorge carregando, pois estavam com sobrepeso. Mas isso é um caso meu, de gêmeos e onde somente minha esposa viajou, pois por trabalho, não pude ir. Mas se forem juntos, e somente um bebê, fica muito mais fácil.

    PD: Obrigado pela visita 🙂 saudações a vcs, meninas.

  2. Muito bom o post, principalmente no que diz respeito ao carrinho de bebê. Comprei um Quinny Buzz em New Jersey e despachei ele na caixa original, a caixa chegou toda ferrada, mas o carrinho estava perfeito. Adorei seu blog, parabéns e muito sucesso.

  3. Olá Mari, tudo bem?
    Eu sinceramente adorei o post e já imprimi para levar à minha viagem rs.
    Como você mesma falou, é muito comum encontrar textos do que comprar e onde ir, mas o problema é na hora de voltar para o Brasil.
    Eu sou super atrapalhada e por isso tenho certeza que acabaria esquecendo alguma coisa por lá ou me complicando no aeroporto durante o retorno.
    Por isso, meus muito obrigada por todas as dicas! Saiba que você me ajudou mais do que pode imaginar. rs
    Beijinhos, Clarice.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.