Segura coração: as primeiras palavras de nossos filhos

Pai e mãe são bobos mesmo. Até os filhos começarem a falar, a gente fica repetindo o tempo todo: “Maaaaaaamãe, paaaaapai …”, na esperança de que logo eles soltem a tão sonhada primeira palavra. Mas não fiquem surpresos ou decepcionados se a primeira coisa que seu pimpolho falar for o nome do cachorro da família ou, simplesmente, “bola”.

A vida já irá pressioná-los naturalmente, seja na hora de tirarem as melhores notas na escola, seja quando se tornem adultos e tiverem que conquistar seu espaço no mercado de trabalho. Então, que tal baixar a ansiedade e não colocar muita pressão agora?

0010175566C-849x565_corte

Debora Befi Lopes, coordenadora do Departamento de Linguagem da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, explica que as palavras propriamente ditas, com significado, surgem geralmente quando a criança completa 1 ano de idade. “As primeiras palavras surgem ao redor de 12 meses, mas esperar até 18 meses é possível. Depois desse período já se deve ter atenção”, orienta Debora que é mãe da Luiza e da Marina, hoje já adultas.

Vale prestar atenção aos esclarecimentos da doutora. Uma dica importante é que a oralidade é definida em períodos e não em datas fixas: as primeiras palavras ocorrem por volta de 12 meses, como já citamos, a junção de duas palavras ao redor de 24 meses e o surgimento efetivo da gramática da língua à qual a criança é exposta lá pelos 36 meses. É aí que nossos “bebês” começam a falar coisas engraçadas e que nos tocam profundamente.

Quer ler mais sobre o assunto? Clique aqui e veja a entrevista completa com a doutora Debora Befi Lopes.

Beijos da Mamãe Prática Mari.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.