Como evitar que seu filho tenha piolhos

Parece inevitável ficar longe desse parasita, afinal, quase todo mundo teve piolho ao menos uma vez na vida, principalmente na infância. Por isso, não é à toa que piolhos sejam motivo de preocupação para muitos pais com filhos em idade escolar.

Além do incômodo de coçar a cabeça, estar com piolhos pode prejudicar o sono das crianças e diminuir a concentração nas aulas, leitura e estudos. Para te ajudar a entender e evitar o problema, o blog Mamãe Prática traz dicas e informações sobre o tema.

Que bicho é esse?

O piolho é um inseto pequenininho, um tipo de parasita que mede cerca de 2,5 a 3,0 mm de comprimento. Não tem asas e possui três pares de pernas, quase do mesmo tamanho, com garras nas pontas para “grudar” nos fios dos cabelos. Ele se alimenta do sangue que suga da pele do couro cabeludo.

Como as crianças “pegam” piolho

Piolhos não voam nem sabem pular. A principal forma de transmissão ocorre pelo contato direto de uma cabeça com piolhos para outra ainda não infectada, principalmente em ambientes fechados como salas de aula e transportes coletivos. O compartilhamento de objetos pessoais, como escovas, pentes, bonés, gorros e outros também pode transmitir o inseto.

Ai, que coceira!

O principal sinal de que a cabecinha da criança foi infectada são as coceiras intensas, principalmente na região da nuca e atrás da orelha, além da irritação do couro cabeludo. Mas em algumas pessoas essa coceira é muito discreta e quando se percebe o incômodo a infestação já é grande, por isso, é importante sempre “inspecionar” a cabeleira do seu filho. Em casos mais graves, a infestação por piolhos pode levar a erupções na pele, inflamação das glândulas do pescoço, anemias e infecções.

Como prevenir e tratar

Não existe medicamento preventivo contra piolhos. A melhor maneira de prevenir que seu filho tenha piolhos é evitar o contato com outras crianças infectadas. Por isso, a escola deve sempre ser informada quando uma criança está com piolhos para evitar que o problema se torne coletivo!

Medidas ajudam a diminuir o risco da infestação e eliminar o problema:

  • Não compartilhe objetos pessoais do seu filho com outras crianças, principalmente escovas, pentes, enfeites de cabelo, bonés e fronhas.
  • Evite lugares fechados com aglomerações de pessoas.
  • Penteie regularmente a cabecinha da criança usando um pente fino para observar se há a presença de piolhos.
  • Geralmente piolho não é um problema pessoal, mas coletivo. Isso quer dizer que crianças que tiveram contato com outra infectada precisam ser tratadas e supervisionadas.
  • Manter os cabelos mais curtos e limpos pode ajudar. No entanto, é importante saber que os piolhos se instalam tanto em cabecinhas limpas quanto sujas. Assim, manter as madeixas do seu filho sempre limpas e cheirosas não é garantia de que ele não será infectado.
  • A melhor forma para a eliminação dos piolhos e lêndeas (ovos dos piolhos) ainda é a “catação” manual com os cabelos úmidos, usando condicionador e pente fino (uma lupa pode ajudar).
  • Para facilitar a “catação” dos piolhos, é possível passar azeite nos cabelos antes de dormir e fazer uma touca. Pela manhã, deve-se lavá-los com bastante xampu, usar condicionador e pente fino.
  • Existem no mercado loções e xampus para tratar o problema que devem ser usados com orientação médica.
  • Não deixe seu filho coçar a cabeça, pois isso pode causar feridas na cabeça e entrada de fungos e bactérias. Se for preciso, coloque luvas de proteção na criança.
  • Lave as escovas e pentes em água quente e sabão por 5 a 10 minutos e não as use em outras pessoas. Também lave tiaras e enfeites de cabelo.
  • No caso de artigos pessoais como toucas, gorros, bonés e fronhas, lave-os com água quente e se lembre de secá-los e passá-los.

 Mito

Não existe comprovação científica sobre o uso de “fórmulas caseiras” para eliminar piolhos, como sal ou vinagre diluídos em água, chá de ervas medicinais e até refrigerantes. Cuidado: esses produtos podem danificar o cabelo e irritar o couro cabeludo.

Você sabia?

  • Pediculus capitis é o nome científico do piolho que acomete a cabeça das pessoas.
  • Pediculose é o nome dado à infestação de piolhos.
  • Piolhos são encontrados em todos os países, pobres ou ricos, em climas tropicais ou até muito frios como o do Canadá.
  • O problema é tão antigo que ovos de piolhos foram encontrados em múmias egípcias de 5 mil anos atrás!

Nota da editora: As informações pesquisadas para este post foram baseadas, principalmente, no site Portal do Piolho, coordenado pelo professor-doutor Carlos Fernando S. Andrade, do departamento de Zoologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto: Foto: Studio Cl Art

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

2 comentários em “Como evitar que seu filho tenha piolhos”

    1. Olá Desirée! Ficamos felizes que você gostou do post! Essa situação é muita chata e espero que você não precise passar por ela. Vida de mãe é assim mesmo, né? De vez em quando, temos que lidar com problemas desse tipo. Beijos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.