Choro do bebê: aprenda a identificar

Seu recém-nascido começou a chorar? Respire fundo e pense naquelas “palavrinhas mágicas”, as principais causas do choro: fralda suja, fome, frio, calor, cólicas … Eu sempre fazia isso com a Manuela e geralmente dava certo.

Como toda criança, a Manu ainda chora muito, afinal, hoje com cerca de 1 ano e quatro meses, ela só sabe falar algumas palavras e o choro continua sendo a maneira como ela mais procura se expressar.

Aqui em casa, sempre foi tranquilo identificar os diversos tipos de choro, principalmente porque a Manu não “pegou” chupeta, o que às vezes acaba calando muito os bebês. Na minha opinião, identificar o choro ficou mais fácil sem a chupeta, pois quanto mais ouvimos o choro mais rapidamente identificamos as suas variações.

Mas de acordo com o médico Jorge Huberman, pediatra e neonatologista do Hospital Albert Einstein e do Instituto Saúde Plena, identificar o motivo do choro do bebê nem sempre é uma tarefa fácil. “Pode ser sinal de dor, fome ou desconforto. É através do choro que ele [o bebê] expõe suas necessidades. Cabe aos pais procurar, com muito amor, compreender o que cada chorinho quer dizer”, afirma.

O choro, portanto, tem diferentes ritmos e intensidades. O choro de fome é caracterizado por explosões pequenas e contínuas, já o choro de cansaço começa suave para chegar a um pico de ruído angustiante.

Para o médico, o mais importante quando o bebê chora é atendê-lo sem ansiedade, prevendo possíveis motivos para o choro. “A tranquilidade dos pais facilita compreender o motivo pelo qual o bebê está chorando e a observar os sinais que ele dá”, explica o pediatra, que reforça quais são as principais causas do choro, ou seja, o que pode estar incomodando o bebê. Veja abaixo:

Causas comuns do choro
– Fome ou sede: é importante que o bebê esvazie o seio a cada mamada para que ele realmente se satisfaça.
– Cólicas: os primeiros 3 meses de vida do bebê geralmente são cheios de cólicas que podem aparecer no final da tarde, mas crianças mais sensíveis também têm cólicas ao longo do dia.
– Calor ou frio: caso esteja frio, agasalhe, mas sem sufocar o bebê.
– Barulho: TV, rádio, aparelho de som, telefone e pessoas falando alto podem deixar o bebê nervoso.
– Fralda suja: fraldas molhadas ou sujas geram angústia no bebê.

Entretanto, se o bebê não está com fome e nem com cólica é preciso atenção, pois algo pode estar errado. “Ele pode estar sentindo alguma dor como inflamação no ouvido ou garganta, por exemplo. Nesse caso, é bom ligar para o médico e confirmar a necessidade de visitar o pediatra”, alerta o especialista.

Mamães, a minha dica final é pra vocês tentarem ficar calmas. Aqui em casa, o pior choro sempre era aquele causado pelas cólicas – um choro mais agudo, de dor mesmo, e que demorava a passar. Respire fundo e pense: vai passar depois de alguns meses. Mais dicas sobre cólicas aqui neste outro post: “Hora de enfrentar o período de cólicas”.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: Fernando Braga Fotografia

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

 

3 comentários em “Choro do bebê: aprenda a identificar”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.