Asma: como tratar e evitar

Você sabia que existe mais de um tipo de asma? E que ela pode ou não estar relacionada às alergias? Ver um filho com os sintomas da doença – como tosse, cansaço, falta de ar e chiado no peito – é terrível e muito desgastante. Por isso, decidimos postar pra vocês esta entrevista com o médico Fabio Castro, alergista e imunologista do Instituto de Medicina Avançada de São Paulo.

Infelizmente, a asma não tem cura, mas é possível controlá-la. Eu mesma tenho asma e hoje convivo bem com a doença, mesmo morando em uma fria capital, aqui no Sul do Brasil (sobre as doenças de inverno, a Fabi esteve recentemente em um encontro com a médica Ana Paula Moschione Castro, veja aqui).

Segundo o médico Fabio Castro, desde que a doença esteja controlada, o asmático pode ter uma vida normal. Graças a Deus, não é mesmo mamães? Mas, pra isso, precisamos tomar alguns cuidados ambientais:

Atenção pais!
Para manter a asma controlada e evitar as crises, além de manter o tratamento medicamentoso, é preciso:
– Manter o ambiente limpo e arejado;
– Evitar carpetes, tapetes, cortinas e bichos de pelúcia;
– Colocar capas antiácaros nos colchões e travesseiros;
– Evitar produtos de limpeza de cheiro forte;
– Proibir o fumo dentro de casa;
– Limpar filtros de ar condicionado semanalmente.

Veja a seguir mais detalhes sobre a doença nesta entrevista bastante esclarecedora sobre o assunto.

O que é asma?
A asma é uma doença inflamatória que dificulta a passagem do ar pelas vias respiratórias até os pulmões. Essa condição compromete a respiração e pode gerar uma série de complicações para o paciente, caso não esteja controlada.

Quais são os principais sintomas?
Falta de ar, tosse e chiado no peito são os principais sintomas. Eles podem ocorrer isolados ou ao mesmo tempo.

A asma é uma só?
Não, existem diversos tipos de asma e cada uma requer um tratamento específico. Podemos classificá-la pela gravidade e controle, variando entre crises leves e esporádicas até sintomas mais intensos e muito frequentes. Há também uma diferenciação com relação ao seu aparecimento e foco alérgico. A asma pode surgir na infância ou na fase adulta, com componente alérgico e não alérgico, podendo evoluir de forma mais grave se não tratada adequadamente.

O que causa a doença?
A principal causa é a exposição a substâncias e agentes alérgenos como ácaros, fungos, poluentes e infecções virais. Mas cada pessoa apresenta fatores desencadeantes e irritantes diferentes. Por isso, é muito importante entender o que causa seus ataques e, assim, reduzir o contato com esses agentes, além de buscar o tratamento mais adequado para cada caso.

“É muito importante entender o que causa seus ataques e, assim, reduzir o contato com esses agentes, além de buscar o tratamento mais adequado para cada caso”

A asma tem cura?
Não. A asma é uma doença crônica que não tem cura, mas pode ser controlada. Um paciente asmático será sempre asmático. Mas é possível ficar longe das crises desde que a doença esteja controlada. Evitar o contato com os agentes desencadeadores da asma, conhecer a doença, fazer a técnica inalatória correta, acompanhamento periódico de um especialista e o tratamento adequado com boa adesão são fundamentais para controlar a doença e proporcionar uma vida próxima da normal.

O médico Fabio Castro explica que existem dificuldades para o diagnóstico de asma nos primeiros anos de vida
O médico Fabio Castro explica que existem dificuldades para o diagnóstico de asma nos primeiros anos de vida

Qual é a prevalência da doença? Há uma idade em que ela é mais comum?
Temos poucos estudos sobre prevalência da asma no Brasil. Estima-se que cerca de 10% para os adultos e 20% para as crianças e adolescentes sofram com a doença. Existem dificuldades para o diagnóstico de asma nos primeiros anos de vida. Desta forma, só após os 3 anos idade conseguimos nos aproximar mais do diagnóstico de asma.

Como é o tratamento? A pessoa que se trata vive normalmente ou tem algumas limitações?
Apesar de não ter cura, ter a asma sob controle é imprescindível para que a pessoa tenha qualidade de vida e fique longe das crises. Para isso, fazemos um tratamento focando diversos aspectos:

Ambiental: adotar medidas que diminuam o contato com os fatores desencadeantes da inflamação, como alérgenos inaláveis;

Tratamento: uso de medicamentos de manutenção para tratar a inflamação como os corticoides inalados, associado ou não a broncodilatadores de longa ação nos casos de asma moderada e graves. Além disso, para os casos mais graves e com presença de componentes alérgicos, em que não se atinge o controle da doença com o tratamento otimizado, existe a indicação de uma terapia anti IgE, anticorpo responsável por iniciar as reações alérgicas;

Resgate: uso pontual de medicamentos para as crises com broncodilatadores de curta ação. Todos os medicamentos são usados preferencialmente pela via inalatória.

Também é importante tratar as condições que podem levar ao não controle da asma como outras doenças associadas, como a rinite alérgica e o refluxo gástrico.

Mamães e papais, seus filhos têm asma? O que acharam da entrevista? Contem pra gente!

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Foto Abertura: Angel Norris/FreeImages

logo_ClubeMamaePraticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

5 comentários em “Asma: como tratar e evitar”

  1. Oi Mari! Td bom?
    Por um acaso, vc mora em Curitiba?
    Eu estou precisando de uma indicação de pneumogista em Curitiba.
    Muito obrigada!!!

  2. Boa tarde,minha filha tem dois meses e vive tossindo e quando vai chegando a noite fica com dificuldade de respirar, isso pode ser asma?

    1. oi Sueli. Tosse constante, chiado no peito e dificuldade para respirar são os principais sintomas de asma. Mas como a sua filha ainda é muiiito novinha, o ideal é que a avaliação seja feita por um médico especializado, pois ele precisa avaliar todo o contexto. Sugiro conversar com o pediatra. Beijos, Fabi

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.