Como estimular hábitos saudáveis nas crianças

Levar uma vida saudável, fazer exercícios e se alimentar corretamente. Esses são, sem dúvida, os desejos de muita gente, mas, na prática, não é tão fácil, principalmente se trabalhamos e estudamos muito, se vivemos em uma cidade grande (com trânsito e agitada) e se somos mães, afinal, cadê tempo pra gente?

Mas, independente das dificuldades que temos, o fato é que só depende de nós corrermos atrás (literalmente!) para termos uma vida melhor, o que é importante não só para nós como para toda a nossa família.

Eu, por exemplo, há três anos consegui incorporar na minha rotina atividades físicas (caminhada, corrida, natação). No final da gravidez e com o nascimento do Serginho tive que parar, mas com a ajuda do maridão (que fica com o bebê nessas horas) retomei as aulas de natação (amo muito) há duas semanas. Como é bom!! Como ajuda na disposição!

Por outro lado, vivo lutando contra a balança e, apesar de sempre ter tido o hábito de comer frutas, verduras e legumes, sofro para conseguir manter uma dieta equilibrada, longe das guloseimas cada vez mais tentadoras (risos).

Pensando nisso tudo, achei bem interessante as dicas do pediatra Moises Chencinski sobre como melhorar os hábitos alimentares e incentivar a prática de atividades físicas das nossas crianças! Ele lembra que não importa a idade do nosso filho, nunca é cedo ou tarde para termos uma rotina de hábitos saudáveis. Aí vão as dicas do especialista:

Melhore os hábitos alimentares:

  • Você pode ter más recordações da sua infância por ter sido forçado a sentar-se à mesa até limpar seu prato. Não perpetue este método de gestão das refeições! Ele envia a mensagem errada à criança ao enfatizar a quantidade em detrimento da qualidade e pode conduzir a excessos significativos. Passe uma atitude saudável em relação à comida, concentrando-se, em primeiro lugar, na qualidade do alimento que você serve à criança e aceitando um “não quero mais” como um limite de oferta;
  • Estabeleça uma rotina com refeições e lanches regulares. Insista que refeições devam ser feitas à mesa. Crianças que fazem suas refeições com a família consomem mais frutas, legumes, fibras, alimentos ricos em cálcio e vitaminas, especialmente se esse for o hábito da família;
  • Quando as crianças tiverem idade suficiente, incentive-as a comerem sozinhas, tanto quanto possível;
  • Evite refrigerante, uma bebida cheia de calorias vazias e edulcorantes artificiais. Na verdade, uma refeição não precisa ser acompanhada por refrigerantes ou sucos, ensine isso às crianças desde cedo. No máximo ofereça água como acompanhamento. Reserve o suco natural para a hora do lanche, quando a quantidade de calorias ingeridas pela criança é menor;
  • As crianças podem ser exigentes no início do seu período alimentar, mas não deixe que a recusa de um novo alimento impeça que você o reintroduza novamente, em outra ocasião. Ofereça novos alimentos, várias vezes, de várias maneiras. Para as crianças, pode ser necessário tentar até 10-15 vezes, ao longo de vários meses, para que um alimento seja aceito;
  • Os pais são extremamente influentes no momento da alimentação e podem servir como melhor exemplo (ou pior) para uma criança. Portanto, devem comer uma variedade de alimentos com diferentes sabores, cores e texturas também. Devem fazer exatamente o que pretendem exigir.

Incentive as atividades físicas

  • Não deixe que um dia se passe sem que a criança tenha feito uma atividade física. Ir ao parque, brincar no quintal e caminhar são atividades físicas que podem integrar a rotina diária da família;
  • Limite o tempo de tela, incluindo celulares, televisão, videogame, computadores a menos de duas horas por dia. Evite colocar computadores ou aparelhos de televisão nos quartos das crianças, facilitando assim que eles tenham uma noite de sono com mais qualidade;
  • Incentive seus filhos a participarem de equipes esportivas, aulas de ginástica, de dança e de outras atividades que irão mantê-lo em movimento.

Fonte: Dr. Moises Chencinski

Queridos leitores, gostaram das sugestões? Eu adorei e espero conseguir colocar muita coisa em prática!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Você também pode gostar de ler:
O intestino das crianças
Meu filho não quer comer o que é saudável
Crianças com colesterol alto: alimentos que podem ou não comer

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.