Menina no parque

Alergia a picadas de insetos: o que fazer

Com a proximidade dos meses mais quentes do ano, as crianças ficam mais expostas aos insetos e mosquitos, mesmo com as nossas tentativas de protegê-las de várias formas com chapéus, roupas e repelentes.

Acontece que nas épocas de calor mais intenso os pequenos usam menos roupa, passeiam e brincam mais ao ar livre (o que é ótimo!). Mas o calor também contribui para o aumento de insetos e algumas crianças podem ter reação alérgica às picadas, por isso, a gente precisa ficar atenta!

Após a picada, se a criança for alérgica, o local pode ficar avermelhado, inchado, arder e coçar bastante (sintomas que somem em poucos dias). Esse incômodo pode deixar o bebê e a criança mais irritados e até prejudicar a hora do sono

Como suspeitar de alergia à picada de inseto

  • Observe se as lesões na pele aparecem mais nos períodos quentes, quando aumentam os insetos.
  • Observe a presença de bolinhas avermelhadas nos braços e nas pernas, geralmente, estas são provocadas por pernilongos.
  • Bolinhas alinhadas podem ser reações a ácaros, percevejos de colchões, ou piolhos de aves.
  • Bolinhas alinhadas próximas ao elástico da calcinha ou cueca, provavelmente foram provocadas por pulgas.

O que fazer 

  • Lave a área da picada com água e sabão.
  • Faça compressa com água fria para reduzir a dor e o inchaço.
  • Não use substâncias caseiras, pois estas podem agravar a lesão e as coceiras.
  • Não deixe a criança coçar a região da picada, pois isso pode fazer o veneno se espalhar e aumentar ainda mais a coceira.
  • Entre em contato com o pediatra do seu filho para explicar o ocorrido e, se necessário, leve-o para consulta.
  • Se necessário, o pediatra poderá receitar medicamentos que melhoram a coceira e a dor (dependendo da idade da criança)

Felizmente, poucas pessoas têm reação alérgica grave à picada de insetos. A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda acionar um serviço de emergência ou procurar o pronto socorro quando houver:

  • Dificuldade em respirar
  • Inchaço dos lábios ou garganta
  • Desmaio
  • Tontura
  • Confusão
  • Batimento cardíaco acelerado
  • Urticária
  • Náuseas, cólicas e vômitos

Como prevenir picadas de insetos

  • Coloque telas nas janelas ou feche-as antes das cinco da tarde, para que os insetos não entrem.
  • Use mosquiteiro sobre o berço ou a cama do seu filho.
  • Se possível, quando a criança for brincar ao ar livre, vista-a com roupas finas, mas de mangas compridas e com punhos fechados para cobrir braços e pernas.
  • Elimine os formigueiros do quintal ou, se isso não for possível, vista a criança com calçados fechados.
  • Cuidado ao escolher os repelentes, pois eles podem ser tóxicos para as crianças. Consulte o pediatra sobre qual o mais indicado para o seu filho e fique atenta às indicações do rótulo.
  • Os repelentes também NÃO são indicados para bebês menores de 6 meses!
  • Cuide dos seus animais de estimação. Elimine as pulgas dos cães e gatos, pois elas também podem picar os seres humanos.

Se você quiser ler mais sobre o assunto, fica a dica para dar uma espiada nesse post: Como proteger nossos filhos da dengue?

Espero que essas dicas sejam úteis para vocês e que nossos filhos possam sempre brincar felizes e protegidos dos mosquitos!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Fontes: Conversando com o Pediatra e Sociedade Brasileira de Dermatologia

Foto: Mimo Fotos

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.