meninas pulando

A importância do brincar em cada fase da infância

Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre a importância do brincar, mas sei que nem sempre a gente consegue se dedicar, realmente, às brincadeiras com nossos filhos (falo por experiência própria!). Nossa vida é tão corrida, são tantos afazeres que, às vezes, não damos a atenção merecida para os pequenos nesse aspecto.

Por isso, achei muito bacana as informações que recebemos da pedagoga e antropóloga Adriana Friedman sobre desenvolvimento infantil e o brincar. Segundo ela, o desenvolvimento das crianças é marcado por quatro fatores: a herança genética, a educação, o meio ambiente e a qualidade das relações humanas – os vínculos – as quais elas estão expostas. Por isso, um dos fatores mais importantes para o desenvolvimento é o ato de brincar.

Ilustra interna da cartilha 3

Isso significa que, por meio do brincar, nossos filhos descobrem e aprendem o mundo à sua volta. Com a ajuda das brincadeiras, começam a expressar seus sentimentos, agindo e reagindo, experimentando o que descobrem, o que compreendem e o que sentem.

Para Adriana, as brincadeiras que exigem cooperação entre as crianças ajudam a evitar situações de exclusão, diminuindo as chances de experiências negativas. “O brincar proporciona as crianças o desenvolvimento das habilidades motoras e capacidades físicas de maneira prazerosa. É fundamental que os pais, cuidadores e demais familiares estimulem este clima de descontração e promovam a alegria, a criatividade, a solidariedade e a confiança e motivação entre os participantes”, diz.

Olha que interessante, em cada fase da vida a brincadeira desempenha um papel diferente:

  • Até os 2 anos de idade, o corpo é o primeiro brinquedo das crianças. É com ele que começam a descobrir o mundo, experimentando limites.
  • Dos 2 aos 7 anos, é o momento essencial para a brincadeira. Nesta fase as crianças trabalham a imaginação, a autonomia e a fantasia. Até os 6 anos elas estão em um período mais egocêntrico e gostam de brincar sozinhas. Após essa fase elas começam a entender as regras sociais.
  • Dos 7 aos 12 anos as crianças ficam mais sociais e começam a trabalhar mais a cooperação. É quando tomam consciência das regras sociais que precisam ser adotadas. Brincadeiras e jogo nessa fase são essenciais para o desenvolvimento social e essas interações entre amigos são fundamentais para o desenvolvimento moral e cognitivo.

Ela lembra que brincadeiras espontâneas no quintal, na hora das refeições, nas viagens de carro, na rua ou ao ar livre, criam um clima e uma sintonia única que dá identidade particular a cada família. “É importante também que as crianças brinquem na casa de outros amigos, que os convidem para frequentar suas casas, para promover a socialização, a convivência e a vivência de semelhanças e diferenças de modos de ser, de pensar, de sentir, de fazer”, aponta Adriana.

Essa análise sobre o desenvolvimento integral das crianças em diferentes fases da vida foi realizada pela Adriana Friedman para a Bauducco. O estudo serviu de base para a criação do movimento “Amigo KID V!D”, criado pela empresa para o lançamento do biscoito recheado KID V!D. O movimento destaca a importância de construir amizades e estimular a cooperação entre as crianças, principalmente as que se encontra na fase de desenvolvimento de 7 a 12 anos.

Queridas, espero que tenham gostado do tema e que essas informações sirvam de inspiração para vocês brincaram bastante com seus filhos! Bora lá?

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Ilustrações: João Montanaro/ Cartilha Movimento KID V!D
Foto abertura: Luciana Morassi

clube
Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.