pele do bebê

Pele do bebê: as 3 lesões comuns nos primeiros meses

Olá amiga leitora! Já falamos aqui sobre temas relacionados à pele do bebê, como os cuidados com o coto umbilical e a dermatite atópica, assuntos esclarecidos pela nossa colunista, a dermatologista Tatiana Aline Steiner. Desta vez, a médica fala sobre três alterações (lesões) comuns na pele do bebê que podem acontecer nos primeiros meses de vida: a acne neonatal, as brotoejas e outra lesão de nome menos conhecido das mamães, a milia. Com a palavra, a Dra. Tatiana, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD):

Alterações na pele do bebê

Alguns problemas cutâneos podem surgir durante as primeiras quatro semanas de vida do bebê. Muitos deles são normais e transitórios, ou seja, surgem e desaparecem em alguns dias ou poucas semanas, sem necessidade de qualquer intervenção. Hoje vou abordar três lesões comuns de pele, mas que preocupam as mães e podem incomodar os bebês.

Acne neonatal

Isso mesmo: o recém-nascido pode ter um tipo de erupção facial que lembra o quadro clássico de espinhas em adolescentes! Embora a causa não seja completamente esclarecida, parece ser resultado de estímulo das glândulas sebáceas, que ainda não evoluíram para o seu estado infantil de imaturidade, e o gatilho geralmente é pelo excesso de hormônio da mãe. Elas aparecem por volta da terceira e quarta semana de vida e podem persistir por até 6 meses.

Sintomas:
As lesões se apresentam como pequenas lesões arredondadas, avermelhadas e com muita inflamação nas bochechas, no queixo, no nariz e na região frontal.

Tratamento:
• Em casos leves, não é necessário tratamento, somente uma limpeza diária com água e sabonete infantil. Lembre-se de secar delicadamente para não machucar a pele do bebê.
• Alguns produtos específicos podem ser recomendados por especialistas, como sabonetes antissépticos, agentes ceratolíticos, antibióticos e anti-inflamatórios tópicos.
• Se a acne neonatal for muito intensa e persistente, é preciso investigar quanto ao excesso de hormônios andrógenos.

Orientações às mamães:
• A transferência de hormônios da mãe para o bebê é natural!
• Tenha paciência, esta lesão não dói.
• É importante estar atenta e buscar orientação sempre que necessário.
• Não use medicamentos de farmácia sem indicação do pediatra ou do dermatologista.
• Não esfregue o local (acne neonatal não é causada por sujeira). Lavagem excessiva e atrito podem irritar mais ainda.
• Não aplique creme oleoso ou hidratante nas áreas de lesão.

Miliária (conhecida popularmente como “brotoeja”)

A miliária é uma erupção cutânea causada pela obstrução dos dutos por onde sai o suor (glândulas sudoríparas), devido à imaturidade destes canais. Sua incidência é maior nas primeiras semanas de vida por causa da relativa imaturidade dos dutos, o que favorece o fechamento dos poros e retenção do suor.

Sintomas:
O aumento do calor e da produção de suor obstrui o canal excretor da glândula provocando um processo inflamatório na pele. Caracteriza-se por “bolinhas avermelhadas” ou vesículas (bolhas pequenas) sobre a pele avermelhada. Ela tende a provocar coceira, que leva à escoriação e pequeninas crostas sobre as lesões, devido à ruptura das bolhas com o ato de coçar. É mais comum no tronco e na região do pescoço.

Tratamento:
• Refrescar a pele para aliviar o desconforto – através de ambiente fresco, ventilado, roupas leves e banhos frios.
• Pomadas calmantes.
• Casos graves, em que há infecção secundária e aparecimento de pus, exigem acompanhamento médico e uso de medicamentos como corticóides ou antibióticos.

Prevenção:
• Evitar o calor e a umidade em excesso;
• Usar roupas frescas de algodão;
• Dar banhos mornos no bebê;
• Proteger do calor e do sol, evitando o excesso de suor. Em dias muito quentes, o ar condicionado é um grande aliado (veja, neste outro post, sobre os cuidados na hora de usar o ar condicionado).

MILIA (milio)

Estas pequenas lesões são cistos de retenção que resultam de restos celulares e aparecem como minúsculas lesões arredondadas, de 1 a 2 mm, brancas ou amarelas. Local: face, principalmente nas bochechas, no nariz, no queixo e na testa. As lesões podem ser isoladas ou numerosas (agrupadas).

Tratamento:
Embora no recém-nascido possam ocorrer até o segundo ou terceiro mês de vida, seu desaparecimento é espontâneo durante as três a quatro primeiras semanas após o parto, e por isso não há necessidade de tratamento específico.

Quando de forma disseminada e em distribuição incomum, pode ser manifestação de síndrome atípica e é importante avaliação médica.

Dermatologista Tatiana Steiner
Com seu olhar de mãe e médica, a dermatologista Tatiana Aline Steiner participa do blog com conteúdos para ajudar nós, mamães, diante dos desafios da maternidade, como quando nossos pequenos ficam doentes. Tatiana é mãe da Lorena e do Bruno, além de diretora técnica da Clínica DSkin – Unidade de Tratamentos.  Site: www.denisesteiner.com.br

 

Meninas, espero que este novo post sobre a pele do bebê seja útil para vocês. Alguém passando por algum desses problemas com seu baby?

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: freeimaes.com/Vanessa Gallagher

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

11 comentários em “Pele do bebê: as 3 lesões comuns nos primeiros meses”

  1. Que post maravilhoso a minha teve acne,
    no inicio não sabia o que fazer
    e fui orientada pelo pediatra que iria sumir
    realmente não precisa de tratamento
    bjs

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.