Como cuidar do coto umbilical (+ 8 dicas para dar banho no recém-nascido)

Olá amiga leitora, um dos primeiros desafios de quando nos tornamos mães é como cuidar do coto do cordão umbilical e da pele do bebê. Quando minha filha era recém-nascida, eu me lembro que tinha algumas dúvidas (e aflição, confesso!), mas fazendo a higiene corretamente logo ele caiu. Pra sabermos tudo sobre a pele do bebê, nossa colunista, a dermatologista Tatiana Aline Steiner, preparou um texto super especial e completo.

Além de falar em detalhes sobre as características da pele do bebê e sobre como cuidar do coto umbilical, a médica ainda traz 8 dicas super importantes para um dos momentos mais gostosos na vida de uma nova mamãe: o banho do bebê. Com a palavra, a Dra. Tatiana, que é especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e também mamãe de duas crianças:

A pele do bebê é diferente da pele do adulto e por isso é importante saber como cuidar dela. Ela é cerca de 50% mais fina, com menos pelos e com menor quantidade de fibras colágenas. Todas estas características fazem com que o recém-nascido tenha um risco maior de sofrer lesões cutâneas, absorver substâncias tópicas facilmente e adquirir infecções (como fungos e bactérias).

O risco de toxicidade com o uso de substâncias aplicadas na pele é maior nos neonatos (bebês com menos de 4 semanas de idade), especialmente nos prematuros (bebês com menos de 37 semanas de idade gestacional). Assim, todo o cuidado deve ser tomado ao aplicar cremes e produtos na pele do recém-nascido, devido ao risco de toxicidade sistêmica (pode atingir a corrente sanguínea).

Os prematuros têm a pele fina e transparente enquanto que a pele de um recém-nascido de termo (bebês que nascem com 37 a 40 semanas) é mais espessa. Ela fica vermelha quando a criança chora, e os lábios, mãos e pés podem ficar arroxeados e azulados quando está com frio.

A pele do recém-nascido é protegida por um material gorduroso branco-acinzentado, denominado verniz caseoso. Essa camada é uma cobertura protetora derivada, em parte, pela secreção das glândulas sebáceas e, em parte, do produto da decomposição da pele do neonato. Sua função ainda não é totalmente esclarecida, mas pode agir como um “creme protetor natural” que mantém o feto “à prova d´água”, enquanto submerso no líquido amniótico dentro do útero.

É normal haver uma leve descamação em toda a pele dos neonatos, que tende a se resolver em 24 a 36 horas e pode não estar completa até a terceira semana de vida.

Também pode estar presente uma penugem fina e macia chamada de lanugo, que pode cobrir o couro cabeludo, testa, bochechas, ombros e costas. Mais comum nos prematuros, o lanugo deve desaparecer dentro das primeiras semanas de vida.

Cuidados

A pele, entre muitas características, tem a função de proteção e a quebra na sua integridade pode favorecer a ocorrência de irritações e até mesmo alguma infecção.

O bebê não possui flora cutânea protetora ao nascer e sua imunidade ainda não é totalmente desenvolvida. Além disso, ele está exposto a vários agentes infecciosos, tanto pelas pessoas que entram em contato, como também por materiais usados em sua rotina de higiene (como tesourinhas, por exemplo). Assim, os cuidados com a pele do recém-nascido devem envolver limpeza suave com produtos específicos, neutros, sem cheiro, não tóxicos e não abrasivos. Outros cuidados importantes:

Atenção, mamães!

  1. Não use produtos perfumados nos primeiros meses, pois isto pode irritar a pele delicada do bebê.
  2. Lave as roupas antes de serem usadas e utilize apenas sabão de coco ou aqueles específicos para bebês (sem conservantes e sem perfume). (Leia mais aqui como lavar as roupas do bebê)
  3. Lave a roupa, toalhas, lençóis e cobertores separadamente das roupas da família.
  4. Ao primeiro sinal de ressecamento, fissuras ou descamação da pele do bebê, aplique um hidratante duas vezes por dia. Os hidratantes devem ser aplicados como uma terapia preventiva, pelo menos diariamente para recém-nascidos e lactentes (leia aqui sobre amamentação) que tem história familiar de atopia (tendência hereditária a desenvolver manifestações alérgicas). Com a orientação do pediatra, escolha hidratantes sem perfume e sem conservantes.

>> Leia aqui o artigo da Dra. Tatiana sobre dermatite atópica em bebês e crianças

8 dicas para dar banho no recém-nascido

Os recém-nascidos podem tomar banho após a primeira hora de vida. Algumas dicas importantes:
1. Para minimizar a perda de calor após o primeiro banho, coloque imediatamente uma toalha-fralda no corpo do bebê e alguma proteção na cabeça (muitas vezes já associada à toalha de banho).
2. Utilize água morna (nunca muito quente).
3. Deixe água suficiente para cobrir o ombro do recém-nascido.
4. Mantenha o ambiente do banho aquecido.
5. Use sabonetes específicos para bebês, com pH neutro e de preferência sem cheiro.
6. Procure secar cuidadosamente as dobras da pele do bebê incluindo axilas, virilha, pescoço e atrás das orelhas.
7. Limpe a banheira do bebê antes e depois do uso para remover os restos celulares que foram removidos no banho.
8. Resista ao impulso de dar banho em seu bebê com muita frequência. O ideal é um banho por dia para evitar a remoção da oleosidade natural da pele do bebê que é uma forma de hidratação. Banhos em excesso podem deixar a pele ressecada e agravar qualquer tipo de dermatite. >> Leia mais aqui sobre a hora do banho do bebê

Como cuidar do coto umbilical

O recém-nascido tem, pelo menos, um ferimento cirúrgico logo que nasce: o coto umbilical, que tende a cair com 7 a 10 dias após o nascimento. Durante a rotina de higiene, os pais devem dar atenção especial ao coto umbilical:

• Lave as mãos antes de manuseá-lo;
• Mantenha a área do coto umbilical sempre limpa;
• No banho, lave o coto umbilical com sabonete neutro;
• Ao sair do banho, aplique álcool a 70% ou loção de clorexidine;
• Após o banho, secar bem e de forma delicada o coto umbilical. É importante não deixar o local úmido para evitar calor local, maceração e colonização de fungos e bactérias.
• Mantenha a fralda dobrada, se ela ficar acima do coto, para facilitar a secagem. Isso porque, se ele não ficou bem seco, com fralda descartável em cima, pode dificultar ainda mais a secagem, aumentando a umidade no local, o favorece a contaminação.
• Fique atento aos sinais de infecção (inflamação e mau cheiro).
Outra dica final para as mamães é a seguinte: faça massagem no recém-nascido sempre que puder. Este hábito traz benefícios e pode ser uma maneira de transmitir amor e carinho para seu bebê. Além disso, os bebês massageados ficam mais calmos, dormem melhor e choram menos.

Dermatologista Tatiana Steiner
Com seu olhar de mãe e médica, a dermatologista Tatiana Aline Steiner participa do blog com conteúdos para ajudar nós, mamães, diante dos desafios da maternidade, como quando nossos pequenos ficam doentes. Tatiana é mãe da Lorena e do Bruno, além de diretora técnica da Clínica DSkin – Unidade de Tratamentos.  Site: www.denisesteiner.com.br

 

Então, o que você achou destas dicas? Você é mamãe de primeira viagem? Você gostaria de fazer alguma pergunta para a Dra. Tatiana sobre a pele do bebê? Deixe sua mensagem aqui nos comentários.

Foto: Sueli Zischler Photography

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.