Como estimular seu filho a falar

Um dos momentos mais felizes para os pais é quando seus bebês começam a falar ou, pelo menos, balbuciar alguns sons e palavras. Mas para que isso ocorra a interação da criança com seus pais é fundamental.

Com a Manuela não foi diferente. Desde seu nascimento, sempre procurei falar muito com ela. Bem pequenininha, ela já me ouvia tagarelar, como nos momentos de trocar a fralda, tomar banho e mamar. Eu cantava durante a amamentação: “meu leitinho, meu leitinho, vou tomar, vou tomar, pra ficar fortinha, pra ficar fortinha e crescer, e crescer”. É … mãe tem dessas coisas, inventamos e adaptamos as musiquinhas.

Outra maneira de incentivar o desenvolvimento da linguagem oral é na hora de brincar com as crianças. Antigamente eu apontava para os objetos e simplesmente falava os seus nomes, mas aprendi que o ideal é contextualizá-los. Por exemplo: “Olha, o cachorro está latindo!” ou “Olha, o cachorro pegou o osso!”. A dica é da fonoaudióloga Maria Carolina Furlan, especialista em Linguagem, que já ajudou muitas crianças com problemas de fala.

Veja mais dicas da fonoaudióloga aos leitores do blog Mamãe Prática:

1. Converse MUITO com o bebê, desde os primeiros dias. Além de se sentir querido e mais próximo dos pais, é uma forma de expor a ele a linguagem adotada pela família.

2. Sempre diga o nome das pessoas e quem são elas. Ele começará a reconhecer os membros da família e os amigos mais próximos. Ele vai entender, por exemplo, que “vovó” é aquela senhora muito simpática que sempre vai vê-lo.

3. Brinque e converse com a criança ao mesmo tempo. A interação entre a sua fala e a dele (ou seus balbucios) dará aos objetos, animais e tudo que o cerca significado. Exemplos: “Cadê a bola?”, “Ih, a bola saiu rolando …”, “Olha, a bola pula!” e “Peguei a bola!”.

4. Não se antecipe ao que ele quer pedir e não dê algo diante de um simples apontar. Espere! Dê espaço para seu filho falar.

5. Repetir “dada” ou “gugu”, sem colocar isso em uma frase com significado, não acrescenta em nada à criança. É muito mais interessante você perguntar: “Dada o quê? O que você vai me dar?”. Assim você começa a atribuir um significado para aquele balbucio que, em poucos meses, começará a significar “dar”.

Gostou das dicas? Então nos ajude a levar essas informações super bacanas a mais famílias e compartilhe o post com suas amigas.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Em tempo:
Assista ao bate-papo que fizemos com a fonoaudióloga Maria Carolina Furlan no dia 26/07/2017, no Facebook, com o tema “Será que meu filho está demorando para falar?”

Foto: Mimo Fotos

logo_clube (1)Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.