Novembro é o mês de alerta ao zumbido

A Associação de Pesquisa Interdisciplinar e Divulgação do Zumbido (APIDIZ), com o apoio do Instituto Ganz Sanchez, promove anualmente o “Novembro Laranja”, uma “Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido”. Segundo estas entidades, crianças e jovens também podem ter zumbido no ouvido, devido à exposição a sons muito altos, como o uso constante de fones de ouvidos com volume elevado. Por isso, nós, pais, também precisamos ficar atentos a esse sintoma.

O zumbido indica que há algo de errado dentro ou fora do ouvido, podendo ser atribuído a vários fatores: metabólicos (como excesso de cafeína e doces), doenças sistêmicas (como diabetes e hipertensão) e fatores psicológicos como a depressão, dentre outros. “Cerca de 28 milhões de brasileiros têm zumbido, inclusive crianças e adolescentes, e ele pode ser comparado aos sons de apito, chiado, cigarra, grilo, abelha, cachoeira, reator de luz e panela de pressão.”, informa a Dra. Tanit Ganz Sanchez, presidente da APIDIZ e diretora-presidente do Instituto Ganz Sanchez.

Além de causar problemas de sono e concentração, o zumbido ainda pode estar envolvido com a perda de memória. “Estudos recentes estão demonstrando que pessoas com problemas de audição e zumbido têm memória pior do que pessoas da mesma idade, mas com ouvido bom. Isso dá uma nova importância aos sintomas que eram menosprezados pela população e até por profissionais”, complementa Tanit.

Mais sobre o zumbido no ouvido:
– A sensação de zumbido geralmente ocorre por uma lesão nas partes: externa, média ou interna.
– Embora possa ser percebido o dia todo, o zumbido é mais notado em momentos de silêncio.
– Ele pode ser causado por má alimentação relacionada ao consumo de excesso de gorduras e doces.
– Certos medicamentos favorecem o surgimento do zumbido no ouvido, como os antibióticos, anti-inflamatórios e os utilizados para combater a depressão.
– Pressão alta, colesterol alto, diabetes ou pré-diabetes, depressão e bruxismo, entre outros, também podem causar o zumbido no ouvido.

No site do Instituto Ganz Sanchez é possível ouvir alguns sons do zumbido, entre aqueles considerados comuns (como o som de abelha, de apito e de cachoeira) e raros (como som de pulsações). Clique aqui para ouvir.

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Você também pode gostar de ler:
Pediatras querem abolir os andadores
Hora de enfrentar o período de cólicas
Inimigo em casa: dicas para evitar o mofo

6 comentários em “Novembro é o mês de alerta ao zumbido”

  1. Parabéns pela reportagem!!!sofro de zumbido já algum tempo, é muito desagradável!!! imaginem uma criança com zumbido!!!Difícil é diagnosticar as causas mesmo procurando um bom médico!!!

  2. Sei que é uma postagem antiga e tal, mas só descobri seu site agora, então peço que me desculpe por comentar tanto tempo depois.

    Só queria pedir e alertar (vai que alguém lê meu comentário) que por favor não subestimem tal sintoma. Comecei a ter zumbido aos 13 anos e mesmo tanto depois, minha vida nunca mais foi a mesma. Não tenho mais sossego, não consigo mais estudar, relaxar, não tenho mais paciência, não durmo direito, etc… Me incomoda demais!

    Na época, apesar de comentar com meus pais, eles não acharam algo significativo , então nada foi feito. Talvez se a investigação e os tratamentos tivessem sido feitos precocemente (só agora adulta comecei a ir atrás de médicos) eu estivesse livre do problema, mas depois de tanto tempo é quase impossível, pois há um processo no nosso cérebro chamado “reorganização neuronal”. Então depois de tanto tempo, mesmo que a causa fosse encontrada e resolvida, eu provavelmente não deixarei de ouvir os sons.

    Então por favor, se o filho de vocês se queixar de um zumbido persistente, não menospreze, leve-o no médico (mesmo que ele não queira). E insista para o médico verificar, pois tem médico que também menospreza isso (é decepcionante o pouco caso de alguns).

    E também nunca menospreze o sofrimento deuma pessoa que tem Tinnitus… É fácil falar “não é nada” ou “não se preocupe, tem gente com coisa pior”… Mas só quem tem sabe o terror que é.
    Sem falar que cada um é cada um, não é porque você não liga (mesmo que você também tenha zumbido) que o outro não pode ligar, para de menosprezar os outros de acordo com a sua hierarquização de problemas.

    1. oi Estella, obrigada pelo seu depoimento! Só quem tem um problema como esse sabe como é e imagino tudo o que você passou, a angústia e sofrimento… Fica aqui o alerta para mães e pais darem atenção quando o filho se queixar de zumbido ou algo parecido. Obrigada mais uma vez por deixar essa mensagem. Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.