Câimbra na gravidez

É comum sentir essas dores durante a gravidez, elas acontecem pelo peso extra e ausência de sais minerais

Ter câimbra na gravidez é muito comum e quase toda grávida passa, pelo menos, por um episódio desse durante a gestação. Eu mesma sofri essas dores algumas vezes quando estava esperando a Manu. A Gabriela Varella, da Pais & Filhos, preparou um texto só sobre esse assunto com dicas sobre alimentação e exercícios que podem ajudar nessa hora. Vale ler e ficar bem informada. Com a palavra, a Gabriela:

A câimbra é um problema na contração da fibra muscular e dói. Dói mesmo! Geralmente, ocorre pela prática de exercícios físicos excessivos ou devido à ausência de sais minerais no organismo. Na gravidez, é normal que isso ocorra: o seu corpo está mudando e se adaptando e, além disso, a alimentação passa a ser dividida entre a mãe e o bebê. “Quando você toma uma vitamina, ela vai para o seu organismo, e o bebê retira essa substância de lá. Por isso é tão importante que a refeição seja saudável”, ensina o ginecologista Augusto Bussab.

Quando a dieta é rica em alimentos com cálcio, como leite e ovos, em potássio, como banana e suco de laranja, além de frutas em geral e verduras escuras – espinafre, couve, rúcula –, só é necessária a complementação com suplementos vitamínicos, próprios para gestantes, pois ajudam a aumentar o nível de magnésio no organismo. A castanha-do-pará também é rica em nutrientes: apenas duas por dia já fazem o trabalho necessário. Evite também o excesso de refrigerantes – prefira a água, que ajuda a hidratar – e alimentos industrializados, pois eles produzem ácido fosfórico e diminuem a concentração do cálcio, magnésio e potássio.

O ginecologista e obstetra da Unifesp Paulo Nowak explica que o aumento de peso é um dos motivos de a câimbra ocorrer durante a gravidez. É que, principalmente a partir do segundo trimestre de gestação, os músculos ficam sobrecarregados. “Gestantes que realizam atividade física com frequência costumam sofrer menos com câimbras. Outra dica boa é não permanecer muito tempo de pé ou com as pernas cruzadas, e quando estiver sentada realizar movimentos com o tornozelo e os dedos do pé”, explica.

Essa manobra também pode ser usada para prevenir câimbras noturnas. Basta fazê-las várias vezes antes de ir dormir. É comum que as câimbras aconteçam com maior frequência nas pernas, como nas coxas e na panturrilha, já que é o lugar com maior sobrecarga do corpo. Também pode ocorrer na região da barriga e das costas. Já no final da gravidez, os ombros e braços também são atingidos. Portanto, é importante prestar atenção na postura e tentar corrigi-la.

Mesmo que você costume ter uma vida sedentária, existe remédio para as câimbras. Comece com caminhadas de 30 minutos, sem muito esforço físico. Cássio Trevizani, que é ortopedista especialista em atividades físicas, diz que o principal método para aliviar as dores são os alongamentos. Além disso, natação e hidroginástica também contribuem para que os músculos tenham maior capacidade de suportar o peso do corpo. Ele ainda conta que as câimbras podem acontecer principalmente no período noturno, já que o corpo é submetido à fadiga devido aos exercícios ao longo do dia.

E na hora H?

Para aliviar a dor no momento da câimbra, você precisa contrair a musculatura no sentido contrário da dor. Compressas com bolsas de água morna ou um banho quente também são eficientes e ajudam a relaxar a musculatura devido ao calor. Massagens também são bem-vindas.

Mesmo depois de ter tomado as medidas necessárias para relaxar, a dor pode permanecer por algumas horas. A câimbra é normal em gestantes e não oferece riscos ao bebê, mas é importante ter atenção: se a dor for constante e ficar muito intensa, se surgirem sinais de inchaço e sensibilidade local, é importante procurar a ajuda do seu médico. “Pode se tratar de trombose venosa, que é algo mais sério e que precisa de tratamento rápido”, explica o ginecologista e obstetra Paulo Nowak. Mas calma! A ocorrência de trombose é pouco comum. As mulheres que exibem maior risco possuem histórico familiar, já tiveram o problema ou passaram por mais de dois partos e têm mais de 30 anos. Ter ficado por muito tempo acamada, ser obesa, anêmica e possuir varizes também são fatores que podem contribuir.

Clube Mamãe PráticaCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.