Publicado em Deixe um comentário

Hora de enfrentar o período de cólicas

Você sai da maternidade e seu bebê parece um anjinho. Ele dorme bastante e chora apenas quando está com fome ou se alguma necessidade precisa ser atendida, como a troca de fraldas. Por volta da segunda semana, seu neném começa a chorar de forma mais intensa, fica agitado, irritado, contrai os braços e as pernas. Se mesmo após mamar ele não se acalmar, não se desespere: chegou a hora de enfrentar as famosas cólicas do primeiro trimestre.

Em geral, elas podem ocorrer tanto em bebês que mamam no seio quanto naqueles que tomam fórmulas e duram cerca de três horas ou mais, principalmente no final da tarde ou à noite.

Continuar lendo Hora de enfrentar o período de cólicas

Publicado em 10 comentários

Pediatras querem abolir os andadores

Pais de bebês se derretem com os pequenos, com suas descobertas e peripécias. Quando eles começam a engatinhar e demonstram interesse em aprender a andar é uma grande alegria, mas é aí que também surgem as preocupações, e uma delas está relacionada à polêmica do andador.

Há alguns meses, fiquei impressionada com a forma como o programa Bem Estar, da Rede Globo, abordou o uso do equipamento: deram marteladas no produto e disseram que era para destruí-lo. Imaginei vários fabricantes assistindo aquilo e ficando de cabelo em pé!

Mas a atitude do programa vai de encontro com o pensamento da comunidade médica. Este ano, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) convocou os pediatras a se engajarem em uma campanha para banir completamente o uso do equipamento. O objetivo é proibir a venda do andador no Brasil, assim como já ocorre no Canadá. Por lá, é proibido vender, importar e fazer propaganda de andador para bebês. “Se você tem um andador, destrua-o ou jogue fora, assim ele não será usado novamente”, orienta o site Health Canada.

Continuar lendo Pediatras querem abolir os andadores

Publicado em Deixe um comentário

10 passos para a alimentação saudável do bebê

Quando o assunto é a alimentação de bebês, muitos pediatras são unanimes: a recomendação é o leite materno de forma exclusiva até os seis meses. Em seguida, começa a etapa das papinhas de frutas, legumes, cereais e tubérculos. É a chamada introdução de alimentos complementares ao leite materno.

De acordo com a pediatra Claudete Teixeira Krause Closs, coordenadora do Programa de Aleitamento Materno (Proama), da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba (PR), a orientação médica nessa fase também está relacionada ao documento Dez passos para uma Alimentação Saudável – Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, do Ministério da Saúde. Embora tenha sido criado para auxiliar profissionais e agentes comunitários de saúde nas orientações a mães de crianças na fase de transição entre o aleitamento materno e a alimentação da família, o manual também traz dicas interessantes aos pais.

Continuar lendo 10 passos para a alimentação saudável do bebê

Publicado em Deixe um comentário

Chegou a hora de comer papinha, e agora?

A preocupação com a alimentação saudável nunca foi uma novidade na minha vida, talvez em parte porque desde a adolescência sempre precisei ficar de olho na balança, e olha que, mesmo assim, foram muitas as fases de engorda-emagrece. Mas a alimentação saudável vai muito além da estética; em primeiro lugar, ela significa saúde! Agora que sou mãe, isso ficou mais claro, pois é aí que você percebe o quanto a nutrição é fundamental para a sobrevivência do ser humano, principalmente de um bebê que ainda vai aprender a distinguir consistência, sabores e cores dos alimentos.

Eu não tinha a mínima ideia de como era ensinar um bebê a comer e percebi que a orientação de um médico é muito importante nessa fase. Com a supervisão da pediatra, a Manuela começou a comer papinhas com seis meses, já que mamou exclusivamente até essa idade. No momento estou tendo sucesso: a menina é boa de garfo e come de tudo – de batata, arroz e macarrão a legumes, frango e carne.
Continuar lendo Chegou a hora de comer papinha, e agora?

Publicado em 4 comentários

Dicas para fazer seu filho largar a chupeta

Dar ou não a chupeta é um assunto que aflige muitos pais. Enquanto aqueles que não deram podem um dia rever seus conceitos sobre ela, milhares de outros pais tentam, em vão, fazer seus filhos largarem essa danadinha. Para aqueles que estão enfrentando essa difícil tarefa, a fonoaudióloga Maria Carolina Furlan, especialista em Linguagem, dá algumas dicas. “Quanto mais tarde a tentativa de retirada, mais difícil se torna, uma vez que o vínculo chupeta/criança será maior”, alerta.

De acordo com a fonoaudióloga, a chupeta é um recurso que a criança usa para satisfazer suas necessidades orais, porém, em longo prazo este hábito pode trazer consequências ruins para a saúde geral da criança (como alterações ortodônticas, de respiração e de fala). “Este mau-hábito muitas vezes acaba sendo reforçado pelos pais inconscientemente, pois de certa forma ele acalma a criança. Então, às vezes, vemos crianças de até 4 ou 5 anos com chupetas na boca”, explica.

Continuar lendo Dicas para fazer seu filho largar a chupeta