Chegou a hora de comer papinha, e agora?

A preocupação com a alimentação saudável nunca foi uma novidade na minha vida, talvez em parte porque desde a adolescência sempre precisei ficar de olho na balança, e olha que, mesmo assim, foram muitas as fases de engorda-emagrece. Mas a alimentação saudável vai muito além da estética; em primeiro lugar, ela significa saúde! Agora que sou mãe, isso ficou mais claro, pois é aí que você percebe o quanto a nutrição é fundamental para a sobrevivência do ser humano, principalmente de um bebê que ainda vai aprender a distinguir consistência, sabores e cores dos alimentos.

Eu não tinha a mínima ideia de como era ensinar um bebê a comer e percebi que a orientação de um médico é muito importante nessa fase. Com a supervisão da pediatra, a Manuela começou a comer papinhas com seis meses, já que mamou exclusivamente até essa idade. No momento estou tendo sucesso: a menina é boa de garfo e come de tudo – de batata, arroz e macarrão a legumes, frango e carne.

As orientações da pediatra têm como referência o documento Dez passos para uma Alimentação Saudável – Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, do Ministério da Saúde. Aqui vão algumas dicas baseadas na minha experiência e que podem ajudar as mamães nesse processo inicial da introdução dos alimentos complementares ao leite materno:

Papinha nutritiva
Para o bebê de seis meses, faça a primeira papinha com batata (ou arroz) e legumes (como cenoura, abobrinha, chuchu e abóbora). Para deixá-la mais nutritiva e saborosa, coloque pedaços grandes de cebola, alho, temperos verdes (como salsinha e cebolinha) e uma carne magra. Depois de cozinhar tudo, retire os pedaços de cebola, o alho, os temperos verdes e a carne, que não serão consumidos.

Não use o liquidificador
Não bata os alimentos no liquidificador, pois os alimentos liquidificados não vão estimular o ato da mastigação. Apenas amasse tudo com o garfo e não passe na peneira. Dessa forma o bebê vai se acostumar com as diferentes texturas e sabores dos alimentos.

Cardápio variado
Após alguns meses, acrescente aos poucos frango, peixe, a carne para ser consumida (ideal que possa ser desfiada) e outros legumes à papinha. Procure variá-la durante a semana. Por exemplo: dois dias com frango, dois dias com peixe e depois dois dias com carne, alternando também os dias em que optar pelo arroz, pela batata e pelo macarrão. No começo prefira o macarrão de letrinhas, que é bem pequeno. Conforme seu bebê vai chegando mais perto de 1 ano de idade, comece a incrementar, como ao colocar temperos verdes picadinhos que agora serão consumidos pela criança.

Mais proteína
Por volta dos oito meses de idade, acrescente a gema do ovo. Faça isso de forma gradual, ou seja, não coloque a gema inteira de uma vez, vá aumentando a quantidade aos poucos.

Longe do sal
O sal é proibido no primeiro ano de vida. Só depois de a criança atingir essa idade é que se começa a introduzir o sal de forma bastante moderada.

Frutinhas gostosas
Procure oferecer frutas pela manhã e no período da tarde, sempre amassadas com o garfo e sem açúcar. Se seu filho costuma às vezes ter dificuldade para evacuar, sempre ofereça mamão-papaia como uma das duas opções de frutas do dia. Ofereça suco de laranja lima logo após as refeições (almoço e/ou jantar), pois é uma boa fonte de vitamina C e ajuda na absorção do ferro.

Intestino preso
Se seu bebê apresentar mais frequentemente dificuldade para evacuar ou ficar alguns dias sem evacuar, uma dica é fazer suco de ameixa preta. Mas você também pode deixá-lo mais gostoso: misture mamão, laranja lima e um pouco do suco da ameixa (e se quiser, bata no liquidificar com pedaços da ameixa). Os bebês costumam gostar!

E como está sendo este desafio para vocês mamães? Como vocês introduziram as papinhas na alimentação de seus filhos?

Beijos da Mamãe Prática Mari

Foto: freeimages

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.