Arquivo da categoria: Saúde

Desfralde

5 dicas valiosas para fazer o desfralde com sucesso (+ 5 dicas de livros)

Calma. Sim, pra mim, essa é a “palavra-chave” no processo de desfralde de uma criança. Confesso que estou bem ansiosa pra minha Manuela, de 2 anos, sair logo da fralda (o bolso do papai agradece, né gente? kkk), mas percebi que de nada adianta ficarmos assim, até porque podemos passar essa ansiedade para os nossos filhos.

O fato é que há cerca de 5 meses comprei 2 penicos e, ingênua, achei que minha pequena fosse se interessar em usá-lo. Fomos juntas escolhê-los no mercado e decidi adotar a “tática” do adesivo (cada vez que a criança faz xixi no penico ganha um adesivo). Mas logo percebi que não estava dando certo: ela não queria ficar sentada no penico de jeito nenhum, reclamava muito, e já nem ligava mais em ganhar os adesivos – a mamãe aqui “caiu do cavalo” kkk. O fato é que ela ainda não estava preparada para sair das fraldas e, por isso, decidi esperar.

Continue lendo

Meu filho não come

“Meu filho não come”: conheça 3 estratégias para agir mais e falar menos

Por que algumas crianças não querem comer? Para a escritora, pedagoga e psicóloga Elizabeth Monteiro, passando a fase de adaptação, é natural que o bebê se alimente bem, comendo papinhas e sopinhas. “Em geral, até 1 ano e pouco, os bebês não costumam dar tanto trabalho para comer”, comenta.

Mas depois dessa fase, muitos bebês podem rejeitar certos alimentos, principalmente quando se inicia a introdução de novos sabores. De acordo com a psicóloga, é aí que, dependendo da atitude da mãe ou de outra pessoa que alimenta essa criança, os filhos podem fazer chantagem ou então pode se estabelecer um vício relacional. “A criança aprende que, na hora da comida, a mãe dá brinquedo, ‘se vira nos 30’ para que ela coma, e então começa a manipular a mãe. Ela passa a comer só de baixo de briga ou de choro, e todo dia o vício se repete. As mães ficam aflitas e insistem demais para a criança comer”, explica.

Continue lendo

Comida Criativa

Comida criativa: como fazer seu filho comer frutas

Como é aí na sua casa? Seu filho faz cara feia para as frutas? Aqui em casa, graças a nossa perseverança, minha pequena adorar comer uma grande variedade de frutas! E  já virou rotina: o primeiro alimento do dia sempre é uma fruta, só depois vem o pão, o queijo ou a tapioca, que ela também adora.

Mas sei que grande parte dos pais sofre muito com as crianças que não aceitam comer, de jeito nenhum, um pedacinho sequer de fruta. Como disse outro dia uma entrevistada (psicóloga) querida, que em breve estará aqui no blog, “mãe se vira nos 30″. Então, pensando em vocês, queridas, fiz uma seleção muito fofa, criativa e nutritiva de desenhos e bichinhos que podemos tentar fazer para os nossos pequenos. Aí vai:

Continue lendo

Foto: Cécile Graat

10 dicas para prevenir que a criança fique doente

Desde que me tornei mãe, há pouco mais de um ano, estou aprendendo a conviver com uma das situações mais angustiantes que todo pai e toda mãe tem que lidar que é ver seu filho doentinho.

Serginho ainda é tão pequeno (está com 1 ano e 2 meses) e, mesmo sem ir à escola, já ficou doente várias vezes. Febre, nariz escorrendo, tosse e diarreia são alguns dos probleminhas que ele já teve por causa das gripes e viroses que já pegou, além de uma conjuntivite quando estava com apenas quatro meses (afeeee).
Continue lendo

Cristiano Borges Fotografia

Meu filho não quer dormir na sua cama


Um dos assuntos que mais se fala hoje em dia é o da cama compartilhada (ou coosleeping), quando os pais optam pelo bebê dormir com eles em sua cama, principalmente nos primeiros meses, pois o bebê ainda mama muito durante a noite e, dessa forma, a mãe não precisa ficar levantando para dar de mamar.

A minha opinião sobre isso? No meu caso, eu preferia não dormir com minha bebê na minha cama, pois eu ficava com medo de machucá-la dormindo, já que me viro muito à noite. Além disso, eu sempre achei que seria melhor minha pequena dormir em seu próprio quarto, o que fizemos desde o seu primeiro mês de vida. Então, eu fui aquela mãe descabelada e cheia de olheiras que se levantava 2, 3 vezes durante a madrugada para dar de mamar (e olha que isso foi quase até 1 ano e meio, como já contei aqui).

Continue lendo