Escova elétrica. Será que é boa?

Este novo post da nossa colunista Milena Louzas traz um tema muito interessante: o uso da escova elétrica para fazer a escovação dos dentes das crianças! Será que é mais eficiente do que usar a escova tradicional? Com a palavra, a odontopediatra:

Escova elétrica. Será que é boa?

Seu filho vive pedindo uma escova elétrica? E aí? Será que ela é boa mesmo?

As escovas elétricas removem muito bem a placa bacteriana e têm sido comprovadamente mais eficientes quando comparadas às escovas comuns nas pesquisas in vitro (em laboratório) e nas pesquisas em que o cuidador realiza a escovação. Já nas pesquisas em que a escovação é realizada pelo próprio paciente a melhora é clinicamente insignificante.

Traduzindo: é você, mamãe ou papai, que irá escovar a criança? Se sim, vale a compra. Caso contrário, vale somente pelo incentivo psicológico porque a escova comum cumpre o seu dever.

Agora que já sabemos que a escova elétrica é boa, qual modelo escolher? É aí que está o problema, já que a indústria de produtos de higiene infantil anda se esquecendo dos seus pequenos grandes consumidores: as crianças. Você já reparou como as escovas elétricas infantis têm uma cabeça grande? A maioria delas é do modelo que não se troca ou recarrega a bateria, por isso são modelos grandes que dificultam o acesso da escova até o último dentinho da criança.

A saída é comprar uma escova elétrica de adulto e personalizar com adesivos. As escovas devem ser rotatórias (as que giram removem mais sujeira do que as que vibram) e ter a cabeça bem pequena e circular.

Para que ela seja realmente eficiente, ela tem que ser utilizada da maneira correta. Imagine que o dente da criança tem frente e costas. Inicie pela frente dos dentes e conte pelo menos dois segundos em cada dente. Inverta a posição da escova e repita o processo nas “costas” do dente. Reparou que a escovação ficou um pouco mais demorada? Pois é… nem tudo são flores! Utilize a escova elétrica ao menos uma vez ao dia, de preferência à noite.

“Inicie pela frente dos dentes e conte pelo menos dois segundos em cada dente. Inverta a posição da escova e repita o processo nas ‘costas’ do dente”

Teste em casa e volte aqui pra me contar como foi a sua experiência. As crianças colaboraram mais com a escovação? Você reparou se os dentes do seu pequeno ficaram realmente mais limpinhos?

Beijos,

Milena Louzas

Milena LousasEspecialista em Odontopediatria e com especialização em Ortopedia Funcional dos Maxilares, a Dr. Milena é de São Paulo e costuma dizer que a Odontopediatria a escolheu, pois suas primeiras oportunidades de trabalho foram com crianças. Ela se apaixonou pela área e seus desafios, como atender crianças consideradas de comportamento difícil. “Mas, juntas, conseguimos resignificar a relação delas com o dentista”, conta.

Mamães, espero que vocês tenham gostado do post! Aproveitem para ler mais, aqui no blog, sobre os cuidados com os dentes das crianças. Sugerimos também a leitura destes outros posts:
Cuidados com os dentes do bebê
Seis erros na hora de escovar os dentes
– 7 dicas de como convencer seu filho a escovar os dentes

Beijos, da Mamãe Prática Mari.

Foto: John Hartley/freeimages

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.