O que você precisa saber para seu filho ter uma boa noite de sono

O sono dos bebês e das crianças pequenas muitas vezes é motivo de preocupação dos pais. No início, sempre bate aquela dúvida: “posso deixar o bebê no berço para dormir sozinho? Será que ele vai parar de chorar?”. O fato é que não existe uma receitinha pronta para a questão do sono dos bebês, embora existam algumas teorias …

Eu e a Fabi já contamos várias vezes, aqui no blog, sobre as nossas noites de sono durante o primeiro ano da Manuela e do Serginho. Sabe aquela mãe cheia de olheiras e com ar de cansaço? Essa era eu! Mas a Fabi teve mais sorte, já que o Serginho sempre dormiu bem durante a noite, desde os quatro meses de idade (que inveja, gente!).

Nesse post decidi relembrar pra vocês alguns pontos mais relevantes de tudo o que já divulgamos até agora sobre esse assunto. E se você quiser aprofundar mais os temas, é só clicar nos links que irão te levar para os posts completos.

Respeite o ciclo de sono
É comum recebermos comentários de mães de bebês com 1 ou 2 meses, por exemplo, desesperadas porque seus filhos acordam muitas vezes para mamar durante a noite. Mas, gente, o bebê ainda é novinho e precisa mamar durante a noite. Além disso, o ciclo de sono do bebê é bem diferente dos adultos. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, entre o 1º e o 4º mês, o bebê adapta-se progressivamente à luz, passando a ter um sono mais longo à noite. Então, cada criança é única e algumas podem levar mais tempo do que outras para dormir mais horas seguidas durante a noite. Além disso, principalmente até os seis meses, os bebês precisam dormir muito durante o dia e restringir esse sono pode prejudicar o sono noturno.
Fontes: “A evolução do sono das crianças” e “Por uma rotina de sono mais tranquila”

Fique atenta à rotina
A rotina é muito importante, pois ela representa segurança para os pequenos. Então, manter uma rotina para a hora do sono é fundamental. A Fabi percebeu isso “na pele”. Sem querer, ela mudou a rotina da noite e o Serginho começou a não querer mais dormir no quarto dele, acordava várias vezes na madrugada, chorando e até berrando, o que nunca tinha feito antes. Bastou retomar a rotina de sono, que teve algumas poucas adaptações, para o bebê voltar a dormir tranquilo.
Fonte: “Rotina de sono: corrigindo problemas”

Ensine o bebê a adormecer sozinho
Quando temos um bebê, queremos embalá-lo sempre. Mas a nossa experiência mostrou que quanto mais cedo ensinarmos o bebê a adormecer sozinho, melhor para ele e para a gente também. E somos da opinião de que você não precisa ser radical e deixá-lo chorando por horas no berço. Se for o caso, pegue-o, acalme-o e ande com ele pelo quarto. A Fabi fazia isso e dava certo.

Além disso, nem sempre deixar “pegar no sono” no berço é a melhor solução. No meu caso, isso gerou um grande sofrimento e a Manu só passou a relaxar e adormecer tranquila quando passamos a deitar do lado dela em um colchão, no chão do quarto, e depois na nossa cama (depois que ela dorme, a levamos para o seu berço). Sim, ela aprendeu a adormecer “sozinha”, mas não foi no berço. Como antes ela só sabia dormir no meu peito, pois ela me fazia de chupeta, pra mim esse processo dela dormir sozinha foi bem mais complicado do que pra Fabi.
Fontes: “Como fazer o bebê dormir a noite toda” e “Como minha filha parou de fazer meu peito de chupeta”

Não acorde o bebê pra mamar
Este ponto aqui é polêmico e pode até ser que seu pediatra não concorde, mas pela nossa experiência se você criar o hábito de acordar o bebê para mamar durante a noite, ele vai querer continuar mamando de madrugada. A Fabi, por exemplo, nunca acordou o Serginho para mamar durante a noite, mesmo nos primeiros meses (somente durante o dia se passava de três horas que ele estava dormindo). Ela sempre o deixou acordar naturalmente para mamar e, com o tempo, os horários dele mamar na madrugada foram espaçando. Sugestão: converse com seu pediatra sobre isso e veja o que é melhor pra você e seu bebê.
Fonte: “Como ensinar o bebê a dormir sozinho”

Esteja segura nas suas decisões
Ainda bebês, as crianças percebem (do jeito delas) o nosso nervosismo e insegurança diante de alguma mudança. E isso pode acontecer quando deixamos o bebê dormir pela primeira vez no berço. Acredite que a mudança é para o bem dele e esteja segura, passando confiança para seu filho.

Também recebemos aqui no blog mensagens de mães cujos filhos não querem dormir no quarto deles. O motivo pode estar, justamente, no fato de que, quando essa criança ainda era bebê, os pais não passaram a segurança necessária na hora da transição do quarto dos pais para o berço.

Mas nem tudo está perdido! Por isso, fizemos alguns posts para ajudar quem está com essa dificuldade de fazer a criança dormir no seu próprio quarto. Veja algumas dicas da nossa colunista, a psicóloga infantil Ana Flávia Fernandes, e da consultora familiar Renata Bermudez:

6 Atitudes para ajudar seu filho a dormir no próprio quarto

  1. Trate a mudança como algo bom para a criança. Durante o dia, peça para ela ajudar a arrumar o “novo quarto”, escolher o lençol e o cobertor que gosta mais e os bichinhos que quer na cama. Faça isso sempre com muita brincadeira e falando que ela já pode dormir sozinha. A mudança não deve ser encarada como uma obrigação, mas uma conquista.
  2. Quando a noite chega, às vezes a criança se sente insegura e quer desistir. O papel dos pais nesse momento é ficar ao seu lado até que durma, pelo menos nos primeiros dias, e estimular sua autoconfiança.
  3. Além da sua presença física, conecte a criança com objetos concretos. Se for um brinquedo perigoso, evite-o, mas se remeter à afetividade, então o coloque próximo da criança sempre que ela for dormir. Isso ajuda a transferir a sensação emocional ruim do medo para o objeto.
  4. Algumas crianças adormecem facilmente após a leitura de um livro. Outras preferem que os pais estejam sentados ao lado delas, sobre a cama. Siga o melhor caminho para que seu filho sinta que não está sozinho, que vocês vão enfrentar isso juntos e que você estará por perto se ele precisar.
  5. Explique que cada um tem a sua cama, seu lugar de descansar e que seu filho não está sozinho, ou seja, que você sempre estará por perto quando ele precisar.
  6. Se a criança for até o seu quarto durante a noite, pergunte por que ela não quer dormir e a leve para seu quarto, mostrando segurança e que não há o que temer (se ela falar de monstros, por exemplo).

Fontes: “Meu filho não quer dormir na sua cama”, “Quando a criança só quer dormir com os pais” e “Por uma rotina de sono mais tranquila”

E se seu filho só dorme com o dedo na boca (eu também passei por isso durante um tempo), aqui tem mais dois textos que podem te ajudar: “Nada é por acaso: como a Manu deixou de dormir com o dedo na boca” e “Meu filho só dorme com o dedo na boca”

Mamães, espero que essas dicas e posts possam te ajudar. Como é a rotina do sono na sua casa?

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Foto: Sueli Zischler Photography

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para acompanhar nossos posts e novidades!

4 ideias sobre “O que você precisa saber para seu filho ter uma boa noite de sono”

    1. Olá Paula,

      Conforme o tópico “Ensine o bebê a adormecer sozinho”, aqui mesmo nesse post que você leu, a Fabi obteve mais sucesso nessa questão quando meu sobrinho tinha 1 ano e, no meu caso, a Manuela tinha 1 ano e 5 meses quando realmente passou a adormecer sozinha.

      Espero ter ajudado!

      Beijos, da Mamãe Prática Mari

Deixe uma resposta