Família na praia

A importância do lazer em família

Há algum tempo acompanhei o lançamento da campanha Família mais Ativa durante um evento em São Paulo e achei bem bacana a abordagem do tema pelo educador físico Marcos Garcia Neira, que é professor da Faculdade de Educação da USP (Universidade de São Paulo) e tem como principal foco o ensino das práticas corporais na escola. A importância do lazer em família vai muito além do estímulo à atividades físicas!

Segundo ele, todas as experiências, brincadeiras, práticas corporais e esportivas proporcionadas pela família são muito importantes para que as crianças tenham uma visão mais ampla da sociedade (e isso tem tudo a ver com a formação cultural dos pequenos). Veja que bacana o que ele diz nesse vídeo:

Aproveitei para fazer uma entrevista com ele sobre como podemos estimular que a nossa família seja mais ativa e quais atividades são bacanas para fazermos juntos com nossos filhos. Marcos lembra que as atividades de lazer envolvem mais do que as práticas corporais (brincadeiras, danças, lutas, esportes e ginásticas) e que as respostas foram dadas de acordo com a área de atuação dele.

1) De que forma as famílias podem, realmente, valorizar as experiências de lazer e esportes dos seus filhos?
Marcos Neira: As famílias devem evitar transferir para os filhos altas expectativas de desempenho materializadas em forma de sucesso ou benefícios para além do que essas práticas realmente significam: a oportunidade de viver bons momentos, interagir com outras pessoas e aprender sobre si e sobre as coisas do mundo. Infelizmente, é mais comum do que se imagina a deposição dos sonhos dos adultos sobre as experiências esportivas das crianças: fama, vitórias, reconhecimento etc.

2) Qual a importância da realização de atividades de lazer em família? Como isso vai contribuir para o desenvolvimento das crianças?
Neira:
As práticas corporais, quando experimentadas como forma de lazer, oferecem a oportunidade de um convívio prazeroso e benéfico em múltiplos sentidos. A depender do caso (dança, esporte, brincadeira etc.), a família poderá desfrutar da natureza (caminhadas, escaladas, rafting), conhecer lugares diferentes (salões de baile, praias, pistas de boliche, ringues de patinação etc.) e interagir com pessoas de vários grupos culturais (capoeiristas, skatistas, dançarinos etc.).

3) Que tipo de atividades/ esportes as famílias podem fazer juntas?
Neira
: São infinitas as possibilidades, a depender sobretudo do repertório cultural familiar. Há famílias que cultivam práticas lúdicas como jogos de tabuleiro, brincadeiras de mímica, danças tradicionais etc. Há aquelas que preferem frequentar arenas esportivas como estádios ou ginásios e há aquelas que residem em localidades cujo entorno permite um sem número de práticas (condomínios, residenciais, praças etc.). A experiência será melhor quanto mais próxima ao patrimônio cultural. É por isso que os pais não podem terceirizar a responsabilidade de transmitir seus repertórios aos filhos. Quais eram/são as atividades que eles realizavam/realizam? Todos os pais conhecem atividades interessantes que devem ser ensinadas aos filhos. Essa transmissão, independentemente de garantir aos filhos a posse definitiva desses conhecimentos, fortalece os laços e a identidade cultural do grupo.

4) Pensando na sociedade urbana, que tipo de brincadeiras os pais podem estimular seus filhos a gostarem?
Neira:
É importante conversar com os filhos sobre o que eles gostam, estimular essas práticas e aos poucos ampliá-las. Não há uma brincadeira que seja mais adequada ou melhor que outra. Todas podem ser realizadas, desde que isso seja bem aceito no grupo.

5) Como essas experiência contribuem para que as crianças tenham uma visão mais ampla da sociedade?
Neira: Com a ampliação do repertório lúdico das crianças, os pais podem estimular a curiosidade dos pequenos para querer saber onde surgiu uma determinada brincadeira, o que ela significa ou significou em outro lugar ou momento histórico. As respostas a essas provocações levarão as crianças a reconhecer diferenças entre seus pontos de vista e aqueles de outros grupos.

Meninas, adorei a abordagem do Marcos Neira para esse tema. Espero que essas informações e dicas também inspirem vocês!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto: Mimo Fotos

clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *