Como melhorar o refluxo do bebê

Há poucos dias escrevi um post sobre porque os bebês regurgitam e os diferentes tipos de refluxo. Essa é uma situação bem comum e que a gente vive aqui em casa com o Serginho. Felizmente, ele já está com quase sete meses e parece que, finalmente, o refluxo está melhorando.

Para ajudar as mamães e os papais com bebês que regurgitam muito, selecionei algumas dicas que venho seguindo e que ajudam a diminuir a intensidade e a minimizar os episódios de refluxos e golfadas do bebê. Espero que te ajude!

  • Na hora de mamar, deixe a cabecinha do bebê mais alta que o resto do corpo, mantendo-o numa posição mais vertical. Se o bebê estiver deitado, a chance de o leite voltar é maior.
  • Após a mamada, espere pelo menos 10 a 15 minutos para o bebê arrotar.
  • Troque a fralda antes da mamada (e não o contrário), assim diminui o risco de o leite voltar do estômago para o esôfago porque para trocar a fralda você precisa deitar o bebê.
  • Evite movimentar muito o bebê logo após as mamadas com brincadeiras e passeios agitados, assim como a troca de fraldas.
  • Mantenha um lado do berço mais elevado (pelo menos 30 graus), ou seja, o lado em que a cabeça do bebê ficará na hora de dormir. Isso você pode fazer escolhendo um colchão que já tenha um lado elevado ou um travesseiro antirrefluxo.
  • Coloque o bebê para dormir de lado, o que diminui o risco da criança se engasgar. Vale dizer que a recomendação da Organização Mundial da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria é que os bebês durmam de barriga para cima, por isso, é importante conversar com o pediatra para avaliar como é melhor para o seu bebê dormir.
  • Se o bebê tiver mais de seis meses e estiver recebendo papinha, frutas e sucos ofereça a alimentação mais vezes ao dia, em volumes menores.
  • Em alguns casos específicos e se o bebê não estiver recebendo leite materno, com a orientação do pediatra, podem ser indicadas fórmulas infantis AR (antirregurgitação) que contêm amido e são mais espessas. O pediatra também pode indicar o uso de medicamentos para amenizar o problema.



É sempre bom lembrar que o Ministério da Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e como complemento até dois anos ou mais.

Mamães e papais, espero que essas dicas sejam úteis para vocês e fiquem tranquilos porque geralmente os episódios de refluxo passam com o tempo.

Beijos da Mamãe Prática Fabi

Fontes:
www.pediatraonline.com.br/padilhaconsultorios
www.pediatriaemfoco.com.br
www.conversandocomopediatra.com.br

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.