papinhas

Papinhas: 10 dicas para ter sucesso na introdução alimentar

Passados os seis primeiros meses de vida dos bebês, chega a hora de preparar as papinhas e apresentar os alimentos aos nossos filhos. Geralmente, esse é um momento de grande expectativa (e dúvidas) dos pais, pois nem sempre os bebês aceitam facilmente as papinhas caseiras. No primeiro momento, eles podem estranhar e recusá-las, mas aos poucos irão gostar das novas comidinhas.

A primeira coisa que temos que pensar é que a fase da introdução alimentar (geralmente dos seis aos 12 meses de idade) é um momento único de grandes descobertas para o bebê.

Lembre-se: é na família que as crianças aprendem a amar os alimentos e isso começa desde pequenininhos, ainda bebês.
A introdução alimentar é uma etapa importante para que o bebê possa conhecer diferentes sabores, cheiros e texturas dos alimentos. E cabe a nós – pais, avós e cuidadores – apresentar esse mundo aos pequenos.

Para te ajudar nesse processo, elaborei 10 dicas simples e práticas.

As informações são baseadas na nossa experiência, na pesquisa do tema e nas entrevistas que já fizemos com especialistas da área.

Vale lembrar que essas dicas não substituem a orientação do pediatra do seu filho(a), pois cada criança é única. A ideia é trazer inspirações e dicas para você adaptá-las na sua casa de acordo com o que funcionar melhor para a sua família.

Este post faz parte da Série Especial “Primeiro ano do bebê”, que tem o patrocínio da Burigotto e da Peg-Pérego. Veja AQUI os outros temas desta série!
papinhas
10 dicas para ter sucesso na introdução alimentar do seu bebê

1. Prepare o ambiente
Na hora comer, utilize uma cadeira de alimentação adequada para bebês. Isso deixará a criança mais confortável e segura (evitando quedas, por exemplo). Você também pode usar utensílios coloridos e divertidos, como pratinhos e colheres, com temas infantis que irão chamar a atenção do bebê para a hora da papinha. Para tornar esse momento mais agradável, desligue a TV e outros eletrônicos.

2. Faça a introdução gradual
Não tenha pressa. Faça a introdução alimentar do seu bebê de forma gradual. Dessa forma, ele terá tempo para conhecer e se acostumar, aos poucos, com diferentes sabores e texturas. Veja a tabela abaixo extraída do Guia “Dez passos para uma alimentação saudável”, do Ministério da Saúde:

Esquema para introdução dos alimentos complementares

Idade Tipo de alimento a ser introduzido
Até completar 6 meses Aleitamento materno exclusivo
Ao completar 6 meses Leite Materno, papa de fruta, papa salgada no almoço
Ao completar 7 meses Incluir também a segunda papa salgada no jantar
Ao completar 8 meses Gradativamente passar para a alimentação da família
Ao completar 12 meses Comida da família

Vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e as sociedade médicas recomendam o aleitamento materno até dois anos ou mais.

3. Fique atenta à textura

Pediatras e nutricionistas são unânimes em dizer que NÃO se deve bater no liquidificador a sopinha de legumes e vegetais. Isso porque a papinha líquida prejudica o desenvolvimento do paladar e da mastigação dos bebês. O ideal é amassar tudo com o garfo e, inclusive, não passar na peneira.

Dessa forma, o alimento deve ter consistência pastosa, ou seja, como uma papa ou purê. No caso das frutas, elas podem ser dadas à criança amassadas ou raspadas. Essa textura vai ficando menos pastosa gradativamente e, ao final do 1º ano de vida, o bebê passará a aceitar a comida da família, inclusive os alimentos mais sólidos.

4. Procure variar o cardápio

Para deixar as papinhas mais saborosas, nutritivas e variadas, você pode prepará-las incluindo diferentes grupos de alimentos, como cereais e tubérculos, leguminosas e verduras, além das frutas.
Essas são algumas sugestões do Guia “Dez passos para uma alimentação saudável”:

Grupo de alimentos Exemplos
Cereais e tubérculos Arroz, aipim/mandioca/macaxeira, batata-doce, macarrão, batata, cará, farinhas, batata-baroa (mandioquinha/batata salsa) e inhame
Leguminosas Feijões, lentilha, ervilha seca, soja e grão-de-bico
Legumes e verduras Folhas verdes, abóbora/ jerimum, beterraba, quiabo e cenoura
Carnes ou ovo Frango, peixe, pato, boi, ovo, miúdos e vísceras.
Frutas Laranja, banana, abacate, melancia, pera, melão, caqui, tomate, mamão e manga e outras

Ideias de combinações para te inspirar:

Papinhas salgadas

  • Feijão, mandioquinha, macarrão, espinafre
  • Carne, batata, arroz, abobrinha, abóbora
  • Frango, cenoura, inhame, espinafre

Papinhas de frutas

Além de oferecer a fruta sozinha, você pode variar com combinações. Exemplos:

  • Banana com ameixa
  • Banana, maçã e cenoura
  • Mamão e banana

5. Não utilize sal

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e as sociedades médicas de pediatra, o sal NÃO deve ser colocado na papinha do bebê, pois a criança precisa conhecer o sabor dos alimentos. O sal pode ser introduzido na alimentação da criança (em pequena quantidade) somente a partir dos 12 meses. Além de interferir no paladar do bebê, o sal pode prejudicar os rins.

6. Prepare uma comida saborosa

Para tornar a sua papinha mais saborosa, você pode utilizar um pouquinho de azeite e temperos variados, como cebola, salsinha, manjericão, alho poró e cebolinha, entre outros.

7. Tenha paciência (ela é sua amiga)

Alguns bebês irão passar mais tranquilamente pela fase das papinhas, já outros poderão recusar os alimentos com mais frequência. A dica é ter paciência e continuar oferecendo as papinhas.

O alimento é algo novo para o bebê (sabor, textura, temperatura) e talvez ele precise experimentar várias vezes para se acostumar com a comida. Brigar não ajudará nesse processo e o clima de estresse pode prejudicar a introdução alimentar. Respire fundo e tente novamente depois!

8. Aposte na rotina alimentar

Seguir uma rotina alimentar com intervalos regulares e cardápio variado ajuda o bebê a aprender a comer diferentes alimentos, principalmente frutas e legumes. O ideal é incluir a alimentação do bebê nos horários de refeição da família e respeitar o apetite da criança.

Esses hábitos são essenciais para o desenvolvimento da criança. Desfrute junto com seu bebê o comer em família!

9. Deixe seu bebê explorar os alimentos

Quando o bebê sentir vontade de tocar e mexer nos alimentos (e às vezes fazer a maior bagunça), deixe! Pelos menos aqui em casa deu certo essa estratégia.

Assim as crianças conhecem as texturas dos alimentos e se tornando mais curiosas em relação a eles. Ou seja, explorar o sentido do tato também faz parte da introdução alimentar.

10. Mostre o quanto é gostoso comer alimentos do bem

Conforme seu bebê vai crescendo e passando a comer a comida da família, acostume seu filho a se alimentar com os mesmos alimentos que os adultos. Assim ele verá que não há distinção, na hora da refeição, entre os alimentos das crianças e dos pais/avós/cuidadores. Além disso, passe a comer você também aquilo que você deseja que seu filho coma e goste. Demonstre prazer e alegria ao comer frutas, legumes e verduras.

E mais uma dica: quando for introduzir um alimento novo para o seu filho, coloque uma pequena quantidade/ porção desse item no prato. Assim você não cria a expectativa de que ele irá comer tudo, mas dá a chance de experimentar algo novo. Dessa forma, a criança vai se adaptando aos poucos com sabor.

E não fique desapontada se o seu filho não gostar do que experimentou. Faz parte! Na verdade, é preciso experimentar um mesmo alimento 5 a 8 vezes, em média, para se acostumar com um sabor diferente.

A Série Especial “Primeiro ano do bebê” só é possível acontecer porque temos o apoio de uma empresa que acredita no nosso trabalho, por isso, te convidamos a conhecer um pouco mais sobre a Burigotto e a Peg-Pérego.

Sobre a Burigotto

Fundada na década de 50 pelo italiano Luigino Burigotto, a marca tornou-se referência na fabricação de carrinhos de bebê e, em 2001, uniu-se ao grupo italiano Peg-Pérego.

Atualmente as mamães encontram, além dos modernos carrinhos de passeio, uma grande variedade de itens, como cadeirinhas para automóveis, berços, banheiras, cadeiras para refeição e cadeiras para descanso, brinquedos, entre muitos outros produtos que visam o bem-estar e o conforto das crianças, aliando a tradição da qualidade e do design italiano. Acesse aqui o catálogo de produtos da empresa.

Site: www.burigotto.com.br

Facebook: www.facebook.com/burigotto

YouTube: www.youtube.com/user/burigottooficial

Confira também a Série Especial “Produtos Infantis” com mais dicas sobre o universo materno. Clique aqui.

Gostou do post sobre papinhas? Compartilhe com seus amigos e nos ajude a levar informação de qualidade para mais famílias.

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Fotos: Fllickr_BrianBrodeur (abertura) e Burigotto

11 ideias sobre “Papinhas: 10 dicas para ter sucesso na introdução alimentar”

  1. Post bem completo para deixar as famílias mais tranquilas em como começar e de que forma fazer com que a refeição não seja encarada como um momento de tortura e estresse. Persistência e paciência sempre

    1. Verdade Regina, principalmente quando eles têm resistência a comer não é nada fácil. Beijos, da Mamãe Prática Fabi

  2. Tenho uma mega saudade de preparar as papinhas dos meninos salgadas e de frutas. Tempo bom aquele.
    Agora eles comem junto é tudo que a família come.
    POST super completo, vou indicar para as mamães dessas fases.

    @nossasaogemeos

  3. Ótimas dicas. A introdução alimentar é uma fase importante que nós mães ficamos ansiosa, eu pelo menos ficava, e quem nem sempre é fácil. Mas com calma e aproveitando essas dicas pode ser bem tranquila.
    beijos
    Chris

Deixe uma resposta