machucados

Machucados: como cuidar corretamente e evitar infecções

Todo mundo sabe que criança cai e se machuca. Não tem jeito, uma hora ou outra os nossos filhos acabam com algum arranhão ou machucado. Faz parte, apesar de nós ficarmos com o coração na mão! Felizmente, na maioria das vezes, as feridas são pequenas e logo cicatrizam, mas vale ficarmos atentas aos cuidados para que esses machucados não infeccionem.

Pensando nisso, pedimos para a nossa colunista, a dermatologista Tatiana Steiner, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), contar pra gente quais são os principais cuidados que devemos ter com os machucados das crianças (dicas que valem para toda a família). Com a palavra, Dra. Tatiana:

————————————-

Machucados: o que fazer?

É muito comum crianças, e também os adultos, se ferirem no dia a dia, com cortes, arranhões, queimaduras, mordidas. Estes são ferimentos e traumas que, na maioria das vezes, são superficiais e a cicatrização normalmente é rápida. Mas é preciso ficar atento aos machucados, pois, mesmos as pequenas feridas, se não forem cuidadas, podem causar contaminação da pele por fungos, bactérias ou vírus, levando à infecção.

Como cuidar dos machucados

O mais importante é a higiene e a limpeza da área afetada assim que a criança sofrer algum machucado.

Sobre a limpeza:

  • Lave imediatamente e de forma suave com água e sabão para remover toda a sujeira da pele. Muitas vezes, podem ficar restos de poeira, lascas e sujeira da área que sofreu a lesão.
  • Em seguida, seque a região que já foi higienizada e desinfete com um produto antisséptico para evitar a proliferação de bactérias e fungos. Também podem ser usadas loções à base de clorexidina. Esse processo pode ser feito até 24h após a ocorrência do machucado.

Os cremes repitelizantes são ideais para ajudar na cicatrização da ferida. Existem algumas opções no mercado, mas é importante ter a orientação do profissional que está acompanhando porque podem variar de acordo com o tipo de lesão. Por exemplo, cremes utilizados para “raspados” e cortes não são os mesmos utilizados para queimaduras.

O uso de curativo é recomendado dependendo da extensão e profundidade da lesão, especialmente em locais sujeitos a atritos, como as dobras e áreas em que a roupa raspe na região.

Normalmente os curativos são feitos com gaze e devem ser trocados diariamente ou quando sujar ou molhar. Em outras áreas, e quando a lesão é pequena, é aconselhável deixar o ferimento aberto para a pele se manter seca, facilitando a cicatrização.

Para evitar alergias e irritações em crianças quem têm pele mais frágil, é importante usar material apropriado para fixar os curativos, pois a pele ao redor do ferimento deve ser preservada e mantida sem agressões. O especialista poderá indicar curativos que são hipoalergênicos.

Quando o corte é muito profundo, com sangramento persistente, ou caso haja algum corpo estranho na ferida, é importante buscar ajuda médica, pois o profissional poderá realizar outros procedimentos, por exemplo dar pontos.

Muitos machucados são traumas e “batidas”, deixando a área afetada roxa. Quando o trauma for intenso e o local ficar dolorido e inchado, pode-se aplicar compressas de gelo que ajudam a diminuir o hematoma e a dor. Mas, caso a dor e o inchaço persistam e haja sensação de náusea ou vômitos, busque ajuda médica o mais rápido possível para uma avaliação mais criteriosa.

Como identificar uma ferida infectada

A infecção ocorre quando os micróbios (bactérias) penetram na pele por meio de algum corte, impedindo sua cicatrização.

Machucados que demoram para cicatrizar e não melhoram, podem estar infectados. Cortes extensos, especialmente provocados por objetos perfurantes têm maior risco de infecção. É preciso todo cuidado e muita observação, especialmente com relação às crianças.

Sinais frequentes de infecção:

  • Secreção amarelada
  • Dor
  • Vermelhidão ao redor da região e próximos aos pontos
  • Sensação de ardor, calor e coceira no local
  • Inchaço intenso
  • Odor ruim

Além desses sintomas, quando a infecção está mais avançada, pode haver febre e mal-estar generalizado.

O que fazer quando há infecção na ferida

Neste caso, quando a ferida apresenta sinais de infecção, deve-se manter os cuidados de higiene e buscar ajuda médica. O especialista vai avaliar a lesão, sua extensão e indicar o medicamento mais adequado, que poderá ser uma pomada antibiótica ou o uso de antibiótico via oral. Ele também poderá indicar a necessidade de vacina contra o tétano, caso a criança não tenha tomado.

A respeito do TÉTANO, vale lembrar que é uma doença infecciosa causada pela bactéria clostridium tetani, que ataca o sistema imunológico, gerando uma desordem no sistema nervoso. Esta bactéria penetra no corpo pelas lesões (cortes com objetos contaminados e enferrujados). 

Atenção PAIS e MÃES:

Portanto, é indicado buscar ajuda médica sempre que a criança se machucar e apresentar:

  • Febre
  • Mal-estar
  • Náuseas ou vômitos
  • Ferida escura ou vermelho
  • Dor, inchaço, pus ou mau cheiro

Como acontece a cicatrização dos machucados

Quando há formação de casquinhas sobre a pele machucada, o ferimento já está cicatrizando. As casquinhas servem como proteção e caem naturalmente, e não devem ser removidas antes do tempo.

A pele é um órgão complexo e todo machucado pode gerar uma cicatriz. O processo de cicatrização depende de vários fatores, como idade, raça, saúde, estilo de vida, entre outros, envolvendo o local da ferida, tipo e extensão da lesão.

A presença de infecções durante o processo de cicatrização também influencia e pode levar a uma cicatriz hipertrófica (larga e alta), ou até a um queloide (cicatriz com relevo irregular; se apresenta maior que a ferida inicial).

Felizmente as crianças têm um ótimo mecanismo de cicatrização e, se o machucado for bem cuidado, sem infecções e não sofrer exposição excessiva ao sol, as chances de não resultar em marcas na pele são grandes.

Atualmente existem muitos cremes que melhoram a qualidade da cicatriz e ajudam a cicatrização se tornar cada vez melhor. São cremes à base de silicones, óleos hidratantes e vitaminas (principalmente a vitamina E). O ideal é perguntar ao dermatologista qual o produto comercial indicado.

 

Dermatologista Tatiana SteinerCom seu olhar de mãe e médica, a dermatologista Tatiana Aline Steiner participa do blog com conteúdos para ajudar nós, mamães, diante dos desafios da maternidade, como quando nossos pequenos ficam doentes. Tatiana é mãe da Lorena e do Bruno, além de diretora técnica da Clínica DSkin – Unidade de Tratamentos.  Site: www.denisesteiner.com.br

 

 

Muito legal saber qual a forma correta de cuidar das feridas e machucados das crianças, assim evitamos que o problema piore e ficamos mais atentas aos sinais de infecção. Informação nunca é demais!

Gostou desse post? Compartilhe com seus amigos e nos ajude a levar informação de qualidade para mais famílias.

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto: Freeimages.com/ Karolina Michalak

Cadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

10 ideias sobre “Machucados: como cuidar corretamente e evitar infecções”

  1. NOssa que post incrivel temos que saber a forma correta de cuidar dos machucados dos nossos filhos.
    Achei super rico o artigo e com informações super claras.
    BJs
    Mari

  2. Ótimas dicas. Eu fui criança de brincar na rua e me machuquei muito, mas muito mesmo. Então cresci sabendo que tinha que lava com água e sabão, secar e, na época, passar o tal do merthiolate que ardia muito. Ainda bem que hoje os antissépticos não ardem.
    beijos
    Chris

    1. Então você teve uma ótima infância kkk Sim, ainda bem que hoje os antissépticos já não ardem. Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Deixe uma resposta