Publicado em Deixe um comentário

Meu filho não come: 5 formas de conexão com a criança

Meu filho não come

Você costuma dizer “meu filho não come”? Chega a hora das refeições e é aquela confusão porque a criança não quer comer e nem experimentar os alimentos?

Um caminho para acabar com esse problema está na atenção ao vínculo, ou seja, na conexão entre pais e filhos (cuidadores e criança), por meio da comida de verdade, como diz a Rita Lobo.

Então, o primeiro passo para ajudar a criança a comer melhor é prestar atenção, observar: como anda a sua própria relação com os alimentos e a refeição? Como acontece o momento das refeições junto com a criança?

Por isso, preparei algumas estratégias simples para os cuidadores colocarem em prática na busca de refeições mais felizes, e para nunca mais precisarem dizer “meu filho não come”. Vamos lá:

5 formas de conexão com a criança por meio da refeição

1. Mude a energia

Não adianta chamar a criança para almoçar de uma forma apressada demais ou impaciente. Afinal, as crianças são o reflexo do que estamos sentindo.

Uma dica é trabalhar com a previsibilidade. Muitas vezes as crianças fazem birras ou dão trabalho porque não querem parar o que estão fazendo pra sentar na mesa e comer. Assim, dez, cinco minutos antes, converse com a criança e faça o seu combinado. Por exemplo: “Só mais um desenho (ou brincadeira) e aí é hora de comer”.

2. Não assuste (inserindo os alimentos aos poucos)

Quando o adulto coloca no prato da criança apenas alimentos que ela anda resistindo comer, aí poderá haver um efeito bastante negativo.

É interessante colocar na mesa e em seu prato tanto alimentos de que a criança gosta como alimentos que ela ainda não come. E para não assustar, é preferível colocar bem pouquinho dos “novos” alimentos; assim a pressão para experimentar será menor.

Você ainda pode fazer um combinado com a criança sobre conhecerem aos poucos os alimentos. Pensem juntos em como tornar essa “brincadeira” mais divertida.

3. Não force a criança a comer

Especialistas em seletividade e dificuldade alimentar são praticamente unânimes quando afirmam que nunca se deve forçar uma criança a comer.

Para ajudar a criança a comer melhor, ela precisar estar motivada e tranquila para comer. Então, forçar ou usar de chantagens ou recompensas em nada ajudará. Pelo contrário: irá intensificar a resistência da criança em comer.

Além disso, se a criança comer por obrigação e forçada, ela poderá até engasgar e vomitar, criando um medo em relação aquele alimento.

No caso da recompensa, o problema é que ela poderá acreditar que a comida (refeição) é ruim e a sobremesa, o doce, é o gostoso. Por isso, não é indicado fazer a criança comer por recompensa, pois ela estará se afastando dos alimentos, da comida do dia a dia.

4. Mude a energia da casa

Se o ambiente estiver agitado e muito barulhento, uma opção é colocar para tocar, alguns minutos antes da refeição, uma música mais calma ou canções que a família goste de cantar juntos. Isso faz toda a diferença na “energia” e no humor das pessoas.

Mas se preferir, pode deixar a casa em silêncio e aproveitar para se comunidar com a criança em torno dos alimentos.

Meu filho não come: como se comunicar com a criança

  • Fale dos cheiros que estão vindo das suas panelas e forno
  • Comente sobre a receita que foi feita e quem gosta de comer aqueles alimentos
  • Peça para a criança adivinhar o que tem nas panelas só pelo cheiro (fechando os olhos para sentir o aroma)
  • Fale sobre os ingredientes da receita e criem juntos uma pitadinha de amor simbólica para colocar nas receitas e no prato já pronto

5. Deixe a criança se sentir útil

A criança pequena pode ajudar a colocar a mesa, do jeito dela (não precisa ser perfeito); pode colocar os copos e pratos infantis na mesa, ajudar a colocar a toalha, o guardanapo e os descansos de panelas, por exemplo.

Portanto, deixe a criança fazer parte da montagem da mesa/refeição e, se preciso, deixe que ela faça isso no tempo dela, sem apressá-la.

Com a supervisão do adulto, ela também pode começar a pegar das panelas ou travessas a comida e colocar em seu próprio prato. Assim, envolva-a e faça desse momento um momento gostoso e especial entre vocês.

Beijos, da Mamãe Prática Mari

Além de editora do site Mamãe Prática, Mariana Branco é mãe da Manuela e educadora parental por meio da metodologia KidCoaching. Com seu projeto Criando AMORas, ajudou dezenas de famílias a aproximarem as crianças dos alimentos. É autora do conto “Milho em dia de Brisa”, um conto para as crianças comerem melhor.

Foto: oficinal infantil do projeto Criando AMORas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.