Criança com febre: o que fazer

Olha, se tem uma coisa que me deixa angustiada é quando o Serginho tem febre, principalmente se for uma febre persistente e que volta de madrugada. Já saí correndo para levá-lo no pronto socorro antes do sol nascer porque dá um desespero. Com você também é assim?

Como esses dias o pequeno teve novamente febre por causa de uma bronquite (e esse é outro causo que vou falar depois aqui no blog), aproveitei para pesquisar o assunto e tentar entender melhor o que a bendita febre significa.

Segundo a médica Cristina Rodrigues da Cruz, da Sociedade Brasileira de Pediatra, a temperatura normal do corpo varia entre 36,2º C e 37,2º C. Acima de 37,5º C considera-se que a criança está em estado febril (alguns médicos só consideram febre a partir de 37,8º C ).

Vale lembrar que a febre não é uma doença, mas sim um sinal de que algo está errado e geralmente a causa é um processo infeccioso. Ela é uma reação de proteção do corpo. O aumento da temperatura ativa o metabolismo e acelera a reação dos glóbulos brancos que funcionam como soldados que defendem o organismo de vírus ou bactérias.

É comum que a temperatura alta seja acompanhada por outros sintomas como mãos e pés frios, aumento das frequências respiratória e cardíaca, fraqueza, irritação, falta de apetite, boca seca, desidratação, dor nas juntas e na cabeça, além de vômitos e diarreias. (Mas não necessariamente seu filho terá todos esses sintomas…)

O que fazer:

  • A primeira coisa é não se apavorar (e essa dica vale pra mim também kkk) porque a febre não é uma doença, mas sim um sintoma.
  • Consulte o pediatra para verificar que medidas seguir e explicar o quadro geral do seu filho (é bom lembrar que cada caso é um caso e a causa da febre precisa ser investigada). Geralmente os pediatras indicam o uso de um antitérmico quando a febre está acima de 37,8º C ou 38º C. A dosagem varia de acordo com o peso da criança.
  • Ofereça água e sucos para manter seu filho bem hidratado.  A ingestão de líquidos também auxilia na regulação térmica do organismo.
  • Coloque roupas leves e confortáveis para que a criança possa transpirar melhor.
  • Faça compressas frias usando toalha úmida ou bolsa térmica, principalmente nas axilas, virilhas e testa. Importante: se a criança estiver com muito frio, melhor evitar a compressa para não piora o mal estar.
  • Ofereça  uma dieta leve, com alimentos de fácil digestão, para que o corpo não queime muita energia tentando digerir a comida.
  • Tente deixar a criança em repouso e evite atividades físicas para não sobrecarregar o organismo, já que durante a febre gasta-se mais energia.
  • Dê um banho com água morna para ajudar a baixar a temperatura e relaxar o corpo (a água muito fria pode aumentar a frequência cardíaca, o que não é bom).
  • Evite colocar muito agasalho e cobertores. Ao ser medicada, a criança passará a suar mais e liberar calor porque o antitérmico bloqueia a ação das toxinas no hipotálamo e reduz a temperatura do corpo para voltar a 36,5º C.

Por fim, encontrei esse outro vídeo bem bacana com a pediatra Milena De Paulis, do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (HU-USP) que dá mais detalhes sobre o tema e explica o que fazer no caso da convulsão febril.

Fontes: Sociedade Brasileira de Pediatria, Drauzio Varella e Audiovisual HU USP

É bom saber que a febre é algo comum e que com orientação e acompanhamento médico logo nossos filhos ficarão bem, não é? Espero que essas dicas possam te ajudar!

Beijos, da Mamãe Prática Fabi

Foto: Roberta Jardim

logo_clubeCadastre-se no Clube Mamãe Prática para receber nossos posts e novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *